CEERT – Abertas inscrições para o 6º Prêmio Educar para a Igualdade

O prêmio é dividido em duas categorias: professor e gestão escolar

iStockphoto

Estão abertas as inscrições para a sexta edição do Prêmio “Educar para a Igualdade Racial: Experiências de Promoção da Igualdade Étnico-racial no Ambiente Escolar”. A iniciativa, promovida pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert), incentiva educadores de todo o Brasil a adotarem programas e ações voltados para a valorização da diversidade e promoção da igualdade racial. As inscrições podem ser feitas até o dia 31 de maio pelo portal do Ceert ou pelo correio.

A ideia é relatar uma atividade desenvolvida entre os anos de 2009 e 2011 na Educação Infantil e em qualquer uma das áreas de conhecimento no Ensino Fundamental e Ensino Médio. Para participar é necessário ser professor ou gestor de escolas que estejam em atividade na Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio de instituições públicas ou privadas no Brasil.

O prêmio é dividido em duas categorias: professor e gestão escolar. A primeira, mapeia e dá visibilidade às boas práticas escolares desenvolvidas por professores. A segunda, incentiva as iniciativas planejadas e executadas diretamente pela gestão escolar.

Na categoria professor, oito docentes serão premiados. Como recompensa cada um receberá R$ 5 mil. Na categoria gestão escolar, oito instituições também serão selecionadas. Cada uma delas receberá R$ 10 mil além de serem beneficiadas com plano de acompanhamento para estimular e potencializar a institucionalização das práticas. Os vencedores nas duas categorias receberão um kit com livros sobre a temática da diversidade e igualdade étnico-racial e terão a oportunidade de participar de um curso sobre educação igualitária, promovido pelo Ceert.

O Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades, fundado em 1990, é uma organização não-governamental, apartidária e sem fins lucrativos. A missão do Ceert é combinar produção de conhecimento com programas de treinamento e intervenção comprometidos com a promoção da igualdade de oportunidades e de tratamento e a superação do racismo, da discriminação racial e de todas as formas de discriminação e intolerância.

Idealizada há onze anos a premiação incentiva educadores de todo o Brasil à adotarem programas e ações voltados para a valorização da diversidade e promoção da igualdade racial. Ao longo desse tempo, foram catalogadas quase 2 mil práticas pedagógicas relacionadas à educação igualitária oriundas de todos os estados brasileiros e de todos os níveis educacionais, exceto o superior. O objetivo é prosseguir valorizando o protagonismo dos educadores, fortalecendo a progressiva institucionalização das ações educacionais e contribuindo para a efetiva implementação da LDB e das diretrizes curriculares que se ocupam do tema.

O prêmio é reconhecido pelo MEC como uma das principais ações realizadas pela sociedade civil para promoção da igualdade na educação. “Também é considerado como importante instrumento que estabelece a obrigatoriedade do ensino da história e cultura afro brasileira nos estabelecimentos de ensinos”, explica Fátima Solano, coordenadora Estadual de Educação e Diversidade da Seduc.

No Piauí, todas as escolas da rede pública de ensino interessadas em desenvolver atividades e projetos relacionados à diversidade, contam com o apoio da Coordenação de Educação e Diversidade da Secretaria de Estado da Educação e Cultura.

Caso a inscrição seja realizada por meio eletrônico, clique aqui para acessar o portal do Ceert.

Caso a inscrição seja realizada pelo Correio o endereço é: Ceert – Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades, Rua Duarte de Azevedo, 737, Santana, CEP 02036-022 – São Paulo – SP. Mais informações: Coordenação de Educação e Diversidade – 3216-3396

Fonte: CEERT

+ sobre o tema

O racismo como polêmica escolar

ERICA BARBOSA BAIA FERNANDA MARQUES DE ALMEIDAROSIANE MACHADO...

MEC cria ‘Enem’ para professores

Primeira prova deverá ser realizada em 2011. Participação de...

Núcleo da UNEB oferece curso sobre história e culturas africanas e afro-brasileira

O Núcleo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros em...

Estudantes negros são menos de 10% nas universidades federais

Em 2003, pesquisa mostrava que taxa não chegava a...

para lembrar

Fuvest 2011 tem mais inscritos do que ano anterior

Ao todo, 132.969 pessoas se candidataram às 10.752 vagas...

ENEM: OAB orienta candidatos do Enem a procurar MP e não descarta pedir anulação

Os candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio...

Faltam professores qualificados no ensino médio

Por: Cinthia Rodrigues Docentes desta etapa lidam com várias...
spot_imgspot_img

Faculdade de Educação da UFRJ tem primeira mulher negra como diretora

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana...

O que a proibição de livros nos diz sobre o futuro que nos aguarda

Reportagem da Agência Pública mostrou que existe um movimento coordenado para barrar a entrada de determinados livros no sistema prisional de Minas Gerais. Apenas títulos...

Encontro anual do SETA definiu ações e estratégias para uma educação antirracistae emancipatória.

Geledés - Instituto da Mulher Negra participou do planejamento anual Projeto SETA  (Sistema de Educação Por Uma Transformação Antirracista) em Paraty, Rio de Janeiro....
-+=