Classe C é 50% da população e eleitora ‘decisiva’, diz estudo da FGV

A classe C, também chamada de nova classe média, somou 94,9 milhões de pessoas em 2009 e chegou a 50,5% da população, de acordo com a pesquisa “A Nova Classe Média: O lado brilhante dos pobres”, divulgada nesta sexta-feira (10) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e feita com base em dados da última Pesquisa Nacional de Amostragem por Domicílio (PNAD).

Em 2008, essa fatia de renda representava 49,2%. Segundo o estudo coordenado pelo professor Marcelo Neri, do Centro de Políticas Sociais (CPS) da FGV, cerca de 29 milhões de pessoas entraram para a classe C entre 2003 e 2009.

“Isso significa que a nova classe média poderia sozinha decidir um pleito eleitoral”, diz Neri. “Complementarmente, esta também é a classe dominante do ponto de vista econômico”, diz Néri no documento.

Conforme o pesquisador, a classe C concentrava mais de 46,24% do poder de compra dos brasileiros no ano passado, contra o percentual de 45,66% em 2008.

Para ele, a expansão econômica é baseada em melhres condições de trabalho e renda do brasileiro do que na expansão do crédito.

“O crédito é importante mas não é o protagonista desse crescimento, é o coadjuvante. O Brasil teve duas grandes estabilizações, a primeira do Real em 1994 e a segunda do “real do Lula”, que foi o choque de confiança na economia, mostrou que não ia quebrar contratos firmados, e tirou o ‘bode da sala’. O trabalho e a educação do brasileiro ainda estão muito ruins, mas melhoraram”, afirmou Neri ao G1.

A parcela é maior que a das classes AB, que detinham no ano passado 44,12% do total poder de compra.

A “base da pirâmide” social, formada pelas classes D e E, também encolheu de 2003 para 2009: de 96,2 milhões para 73,2 milhões , “sendo 2 milhões no ano da crise internacional. Isso significa que, nas últimas sete PNADs, mais de meia população do Reino Unido foi incorporada às classes ABC”, afirma Neri.

No estudo, o especialista comparou ainda o crescimento do Brasil ao dos países ao de outros  BRICs, como a China. Embora a taxa de expansão brasileira seja bem menor, tem qualidade superior. “A qualidade do crescimento brasileiro é indiscutivelmente melhor que a da China em vários aspectos: melhor tratamento do meio ambiente e do trabalho juntamente com a igualdade crescente”, diz.

Mais renda

O estudo da FGV identificou ainda que o crescimento do país nos últimos anos está mais baseado em geração de renda do que em consumo. Enquanto o índice sintético de potencial de consumo aumentou 22,6% entre 2003 e 2008, o índice de geração de renda subiu 31,2%. Para Neri, isso indica a sustentabilidade do crescimento.

“Está prosperando mais o lado trabalhador do que o lado consumidor”, afirmou. “Com isso, as empresas devem estar contentes, pois as pessoas vão poder continuar comprando.”

De acordo com o responsável pela pesquisa, “não é só crédito e programas sociais (a razão do crescimento da renda) – o Brasil foi para a escola nos anos 90, conseguiu trabalho com carteira assinada, está contribuindo para a Previdência, está investindo em computadores”, comentou.

Fonte: G1

+ sobre o tema

PL antiaborto viola padrões internacionais e ameaça vida, diz perita da ONU

O PL antiaborto viola padrões internacionais de direitos humanos...

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e...

para lembrar

Um em cada quatro jovens relata ter sofrido violência no Brasil

Os brasileiros de 15 a 29 anos estão mais...

Diretor da OIT diz que Bolsa Família provou ser uma das forças de superação da crise econômica no Brasil

Fonte: Clica Brasília- O diretor executivo do Setor de Proteção...

Vale-cultura deverá valer já em setembro

"Eu gostaria muito que uma padaria ou um...

Janaina, Jair, impeachments e a seleção artificial

Antes de tudo, preciso pontuar o que tenho afirmado...

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a tramitação em regime de urgência do projeto de lei que equipara aborto acima de 22 semanas...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste ano, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque...

‘Criança não é mãe’: manifestantes em todo o Brasil protestam contra PL da Gravidez Infantil

Diversas cidades do país receberam na noite desta quinta-feira (13) atos de movimentos feministas contra o projeto de lei que equipara aborto a homicídio,...
-+=