Comissão de Combate à Intolerância Religiosa em ato contra a eleição do pastor Marco Feliciano

O interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), Ivanir dos Santos, participou, na tarde de hoje (9), de ato realizado na Cinelândia, ao lado de centenas de pessoas. Os manifestantes reuniram-se contra a eleição do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.
17535-intolerancia-religiosa-2
“Como religioso e cidadão, acredito somente que quem presida a Comissão de Direitos Humanos deva ter consciência dos valores da sociedade que beneficiam a todos. A liberdade, seja de fé ou de qualquer outra forma, é essencial para um País diversificado como o Brasil”, defendeu, acrescentando que o protesto era pelo estado laico e não para atingir uma pessoa. “Um religioso respeita o outro. Estou aqui pelo fato de acreditar que esta comissão deve ter uma pessoa que a sociedade se sinta representada. Se as pessoas estão aqui reunidas e ainda marcando outra manifestação pelas redes sociais  em todo o País, para a semana que vem, é porque não o querem lá. Como sacerdote do Candomblé, ativista das causas dos negros, interlocutor de um grupo que congrega vários segmentos religiosos (CCIR) e ex-subsecretário de Estado, não me sinto representado por ele, pois a perseguição ou demonização de qualquer grupo não faz parte da democracia”.

+ sobre o tema

para lembrar

Negros na Itália

- Negros na Itália - Os negros na Itália...

Somos todos defensores de Rafael Braga

Jovem, negro, pobre, catador de latinhas e morador da...

Austrália: Facebook sob pressão para apagar página racista

  O Facebook está a ser pressionado pelo Governo australiano...
spot_imgspot_img

Mãe não é tudo igual

- Coloca um casaco, meu filho! - Na volta a gente compra, filha. É bem provável que muitos de nós já tenhamos ouvido alguns desses bordões...

Carta aos negacionistas: comprem um seguro de vida

Senhores negacionistas, Coube à nossa geração viver uma encruzilhada existencial: ou mudamos a forma de nos relacionar e habitar o planeta, ou simplesmente esse planeta...

À espera da extinção da escravidão

Dia 13 de maio de 2024 completam-se 136 anos da assinatura da Lei 3.353/1888 pela então princesa imperial regente. Para além do abandono dos negros...
-+=