sábado, fevereiro 4, 2023
InícioQuestão RacialCasos de RacismoComissário europeu que falou demais sobre Portugal acusado de racismo

Comissário europeu que falou demais sobre Portugal acusado de racismo

Guenther Oettinger provocou polémica em Portugal ao falar do segundo resgate. Agora volta a acender o rastilho de críticas depois de referências aos chineses que foram consideradas racistas.

Do Observador

O comissário europeu que há um mês falou demais no Parlamento português — ao juntar na mesma frase “preocupação” “Portugal” e “segundo resgate” — usou uma expressão depreciativa para falar dos chineses e fez ainda considerações sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, num encontro com empresários em Hamburgo. Guenther Oettinger foi rapidamente acusado de racismo e discriminação sexual, mas diz que foi mal interpretado.

Oettinger é o comissário europeu responsável pelas pastas da Economia e Sociedade Digital e falou demais numa intervenção na semana passada, que era privada mas foi filmada. O vídeo foi rapidamente posto a circular no youtube e nele é possível ver e ouvir o alemão fazer uma descrição depreciativa dos chineses, nomeadamente dos nove ministros do país que visitaram a União Europeia no âmbito da cimeira anual UE-China.

YouTube video

Na parte do discurso que está gravada é possível ouvir Oettinger descrever a delegação chinesa como “nove homens, um partido. Zero democracia” e “todos eles de fato de um botão, azul ou preto, todos com o cabelo penteado da esquerda para a direita e sapatos polidos”. Mas também usa a expressão alemã,”schlitzaugen”, segundo a Reuters, que é depreciativa relativamente aos chineses, por dizer respeito aos seus “olhos rasgados”.

Além disso, o comissário e militante da CDU (partido de Angela Merkel) deixou ainda críticas às políticas alemãs mais liberais, quanto à idade da reforma ou à licença de maternidade. E foi neste ponto do discurso que atirou, de forma irónica, provocando risos na sala: “Talvez o casamento homossexual obrigatório também venha a ser introduzido”.

O discurso foi classificado de “racista” e discriminatório” pelos seus críticos e as acusações fizeram com que o comissário viesse garantir, numa entrevista ao jornal alemão “Die Welt”, que “não quis ser desrespeitoso com a China”. E ainda justificou o que disse sobre o seu país com a intenção de “alertar para o excesso de auto-confiança da Alemanha”.

No início de outubro, numa visita a Portugal, o comissário europeu falou com os deputados da comissão parlamentar de Assuntos Europeus e, pensando que estava a falar à porta fechada, confidenciou a preocupação europeia com a hipótese de um segundo resgate. A audição estava a ser transmitida pela AR TV, com a declaração a provocar imediata polémica e a fazer disparar reações e críticas políticas. Oettinger é desde a semana passada também responsável pela pasta do Orçamento no Governo comunitário, depois da saída de Kristalina Georgieva para diretora executiva do Banco Mundia.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench