Como alguém pode fazer adesivos como estes de Dilma e não terminar na cadeia? Por Paulo Nogueira

Minha pergunta é: como alguém pode fazer adesivos como estes de Dilma e não enfrentar, imediatamente, problemas legais?

por : Paulo Nogueira, do DCM

Punições exemplares são imperiosas, mas você não ver acontecer nada.
O autor tem que explicar como ele imaginou poder atentar assim contra a honra de uma pessoa – e fazer disso um comércio sujo, repugnante.

Onde, do lado do governo, alguém para pedir satisfações?

Porque é a imagem da autoridade máxima do governo que está sendo enlameada.

Posso estar enganado, mas vejo um silêncio absoluto que apenas estimula esse tipo de comportamento criminoso.

Fora da omissão governamental, tenho minha tese a respeito desse tipo de coisa.

A justiça brasileira ficou tão partidária que delinquências de direita não têm quaisquer consequências.

Um idiota fanatizado se julga no direito de invadir a privacidade de um homem como Mantega com insultos. Ele sabe que nada vai acontecer.

Em que país civilizado você pode fazer esse tipo de coisa sem correr o risco de dormir na prisão por assédio moral e agressão?

É tal a impunidade da direita que mentecaptos saem às ruas para pedir nada menos que o retorno da ditadura militar.

Severidade legal só vale contra a esquerda, como se viu no Mensalão e se observa agora na Lava Jato.

Há uma tolerância máxima com desvios de conduta de gente de direita.

Que a Polícia Federal não se mexa para enquadrar ações que atentem contra a honra de alguém como os adesivos, eu até entendo, dado o conservadorismo pétreo dos policiais.

Que a justiça se omita, também entendo, pelos mesmos motivos.

Mas e o governo?

A tolerância máxima deve se converter em tolerância zero. Você ultrapassou o limite, que pague por isso.

Imagino o que aconteceria na Inglaterra, por exemplo, se alguém fizesse adesivos de do premiê Cameron nos moldes dos de Dilma.

Quantas horas até a polícia bater na porta do autor?

Crime é crime.

Nenhum país é respeitável quando crime de direita é tratado, como no Brasil, com tapinhas nas costas.

PS- Me recusei a publicar os adesivos. Quem quiser vê-los, basta ir ao Google e clicar adesivos Dilma.

Sobre o Autor

O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

+ sobre o tema

A magnata nigeriana que destronou Oprah Winfrey

Com uma fortuna de 2,8 mil milhões de euros...

Tamara Franklin renova o rap e apresenta discurso em defesa da mulher negra

Incorporando estilos como baião, batidas africanas e reggae, ela...

Grupo usa mitologia dos orixás para criar coreografias e oficinas de dança

Balé das Yabás debate o feminismo e o transforma...

para lembrar

Lea T. revela que 1º orgasmo da vida só foi possível após mudança de sexo

A modelo Lea T. revelou que só conseguiu ter...

“Boca de Cachorro Louco” relato de uma mulher que conviveu com a dor travestida de amor

Escritora cearense lança livro sobre relacionamento abusivo   Um relato...

Pesquisadoras e artistas lançam obra sobre produção de mulheres na Filosofia

A obra “12 Mulheres 12 Filósofas 12 Artistas” (334 páginas) acaba...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=