Tag: Dilma

    E se não tivesse havido golpe?

    Vejam vocês que ironia. Não tivesse havido golpe, estaríamos agora entrando em uma eleição limpa, tranquila e muito provavelmente, com a saída democrática de 16 anos de governos do PT. Por Gustavo Conde Do Brasil247 Foto: Reprodução/Brasil247 Porque, se Dilma prosseguisse, o PT não despontaria como o favorito de agora. Seria dificílimo, quase impossível, encaixar mais uma vitória. Estaríamos vivendo, neste momento, um cenário de consolidação da democracia. Teríamos várias forças políticas ascendendo e participando do pleito de maneira soberana. Teríamos debate, autoestima e um pouco mais de clareza diante da economia e dos avanços sociais. Teríamos espaço para projetos novos de gestão, para sínteses dos legados deixados pelo PT e mesmo pelo PSDB. Possivelmente, não teríamos a gasolina nesse preço exorbitante, muito menos o gás de cozinha. Não teríamos massacres em presídios, genocídio de índios, escalada de feminicídios, escalada de violência e essa enxurrada de casos ...

    Leia mais

    Mulheres apoiam nota de Dilma em crítica à sórdida capa de Veja sobre Marisa

    Texto assinado por diversas mulheres do meio político, além de ativistas e entidades, entre elas a ex-ministra Eleonora Menicucci, diz que as "mulheres comprometidas com a tolerância zero contra qualquer forma de violência de gênero" apoiam a nota divulgada pela presidente deposta Dilma Rousseff, que condena "o jornalismo desqualificado e grotesco" da revista Veja; "A revista Veja desta semana julga ser necessário ferir sua memória, atingindo tudo o que ela mais amou", diz a carta; leia a íntegra Do Brasil247 Um carta assinada por diversas mulheres do meio político, além de ativistas e entidades, diz que as "mulheres comprometidas com a tolerância zero contra qualquer forma de violência de gênero" apoiam a nota divulgada pela presidente deposta Dilma Rousseff, que condena a capa da revista Veja sobre Marisa Letícia. Na nota, Dilma afirma que "o Brasil não merece esse jornalismo desqualificado e grotesco" e que a publicação não respeitou a ex-primeira-dama enquanto ...

    Leia mais

    Pedro Serrano: Ao manter os direitos políticos de Dilma, o Senado passou atestado de que houve golpe

    Por 61 votos a 20, o Senado aprovou nesta quarta-feira (31/08) o impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT). Por Conceição Lemes Do Viomundo Porém, por 42 votos a 36, manteve os seus direitos políticos. Para que Dilma ficasse inelegível por oito anos, seria necessário que dois terços (54) dos senadores votassem pela inabilitação. “Essa contradição é uma prova de que houve golpe e não decisão constitucional de impeachment”, afirma o jurista Pedro Serrano, professor de Direito Constitucional da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Serrano esmiuça a sua afirmação: * No mínimo, o Senado reconhece que não há gravidade na conduta da presidenta. * Isso significa, ao mesmo tempo, que não existe crime de responsabilidade. * Acontece que para o impeachment, a Constituição exige a gravidade. A Constituição fala em atentado à Constituição, não fala em qualquer irregularidade. * Logo, os senadores reconheceram implicitamente que não houve motivo constitucional para o impeachment. * Se achassem que tinha havido conduta grave, ...

    Leia mais

    Bernie Sanders pede que EUA se posicionem contra impeachment de Dilma

    O senador americano Bernie Sanders publicou, nesta segunda-feira (8), um comunicado onde pede que os EUA se posicionem contra o impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff. Do Brasil Post "Estou profundamente preocupado com o esforço atual para remover a presidente democraticamente eleita no Brasil, Dilma Rousseff. Para muitos brasileiros e observadores, o controverso processo de impeachment mais parece um golpe de estado." Em seu texto, Sanders - que perdeu para Hillary Clinton a candidatura do partido Democrata à presidência - também critica alguns movimentos feitos pelo presidente interino, Michel Temer como a extinção do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos. O democrata também critica a "substituição de uma administração diversa e representativa por um gabinete composto totalmente por homens brancos". "A administração nova, que não foi eleita, rapidamente anunciou planos para impor a austeridade, aumentar a privatização e impor uma agenda social de extrema direita", prossegue ...

    Leia mais
    Roberto Stuckert Filho/PR

    Dilma vai ao povo, Temer debate 80 horas semanais

    Enquanto a presidente eleita Dilma Rousseff mantém sua agenda de encontros com a população, como fez ontem num evento que discutiu moradia popular, o interino Michel Temer discute, a portas fechadas, a supressão de direitos trabalhistas, como na reunião com Robson Andrade, da Confederação Nacional da Indústria, que defendeu uma jornada de 80 horas semanais; proposta é tão esdrúxula que faria com que o Brasil retrocedesse a uma era pré-revolução industrial, quando até as crianças trabalhavam nas manufaturas inglesas Do Brasil247 Lá se vão quase dois meses de governo provisório e ainda não se viu uma foto de Michel Temer junto à população brasileira. O interino se mantém trancado nos palácios ou em reuniões fechadas com grupos de empresários. Ontem, ele participou de uma reunião na Confederação Nacional da Indústria, que discutiu a ampliação da jornada de trabalho de 40 horas para 80 horas semanais. A ideia foi levada a Temer por ...

    Leia mais

    Onde andam os indignados de junho de 2013?

    Há três anos, de repente, não mais que de repente, milhares de brasileiros foram às ruas protestar contra tudo e todos: a corrupção, a má qualidade dos serviços públicos e o descontentamento com a classe política. “Vocês não nos representam”, diziam os cartazes. No dia 20 de junho de 2013 as manifestações assumiram seu caráter mais violento e político, com tentativa de invasão do Congresso e de incêndio contra o Itamaraty. O Brasil nunca mais foi o mesmo, mas hoje, com a presidente reeleita em 2014 afastada, o governo interino alvejado por denúncias de corrupção que derrubam ministros em série e alcançam o presidente interino, sem falar no derretimento moral do Congresso, com as políticas públicas, inclusive as de mobilidade urbana, sendo desmanchadas, por onde andam aqueles indignados? Do Brasil247 O estopim, dias antes, fora o aumento de R$ 0,20 no preço do transporte coletivo em São Paulo,  mas as ...

    Leia mais

    ‘HP’: Tudo sobre o ultrajante impeachment da primeira presidente mulher do Brasil

    Site lembra em sua matéria que o PT retirou mais de 29 milhões de brasileiros da pobreza Do Jornal do Brasil Matéria publicada nesta segunda-feira (20) no The Huffington Post, fala sobre o processo de impeachment contra Dilma Rousseff, a primeira mulher eleita no Brasil. Segundo a reportagem, durante a gestão de Dilma e seu antecessor, ambos do Partido dos Trabalhadores, retiraram mais de 29 milhões de brasileiros da pobreza. De acordo com o grupo de monitoramento da corrupção, e Transparência do Brasil, 60% dos 594 membros do Congresso Nacional do Brasil enfrentam acusações criminais graves, envolvendo principalmente corrupção, suborno e fraude eleitoral, além de desmatamento ilegal, sequestro e assassinato. Como presidente, Dilma não fez nada comparado ao que estes políticos fizeram. O Huffington ressalta que a presidente Dilma nunca foi acusada de corrupção. As acusações de manipular as contas que a levaram a ser afastada é amplamente utilizada em todos os níveis do ...

    Leia mais
    Votação da chapa Dilma-Temer no TSE. Brasília, 06-06-2017Foto: Sérgio Lima/PODER 360

    Gilmar Mendes: “se Dilma tivesse cometido crime….”

    Em entrevista ao repórter Wellington Calasans, na Suécia, para o blog Cafezinho, o ministro do STF Gilmar Mendes fez uma confissão constrangedora: a de que a presidente Dilma Rousseff sofre um processo de impeachment sem ter cometido um crime; "Veja, se ela também tivesse cometido o crime, ficasse flagrantemente provado que ela tivesse cometido o crime, e ela tivesse obtido 172 votos, ela também não seria processada", afirmou Por Marcelo Auler Do Brasil247 Jornalismo é uma questão de oportunidade também. Foi o que o Cafezinho fez, ao contratar o jornalista Wellington Calasans, radicado na Suécia há muitos anos, para acompanhar Gilmar Mendes, ministro do STF e presidente do TSE, em evento realizado em Estocolmo. Foi, gravou e trouxe o resultado. Em uma passagem, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do TSE, , gaguejando -afinal, não estava diante dos jornalistas que conhece no Brasil – fala no condicional do possível crime da ...

    Leia mais
    Mario Tama/Getty Images

    Dilma na TV Brasil: caminho é a consulta popular

    Em entrevista, presidente Dilma Rousseff afirma que o golpe desqualifica a soberania popular; ela alerta para o risco de ser adotar um semi-parlamentarismo ou, mesmo, a volta de eleições indiretas; explica que, num país de oligarquias como o nosso, o presidencialismo foi o regime das mudanças; diz que a consulta popular é a “única forma de lavar e enxaguar esta lambança que virou nosso sistema político” Por Fernando Brito Do Brasil247 Demorou quase a metade da entrevista, mas finalmente veio o lead de Dilma Rousseff, quando ela diz: “O Governo Temer é a expressão do Eduardo Cunha, é a síntese do Eduardo Cunha”. Daí em diante, Dilma começa a abrir o verbo e passa a dizer que o impeachment é obra essencialmente de Eduardo Cunha, do qual Michel Temer é é o passageiro privilegiado. Fala da lava Jato, onde “setores da mídia se tornaram cúmplices de vazamentos seletivos”, feitos com propósitos ...

    Leia mais
    Foto: Reuters/U. Marcelino

    Imprensa alemã vê “derrota” e “declaração de falência” de um país

    Uma nação "que queria ser moderna" recua no tempo e se coloca ao lado de Honduras e Paraguai como países onde "presidentes eleitos foram afastados de forma questionável", afirmam análises sobre o impeachment de Dilma. Do DW A aprovação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff pelo Senado é um dos principais destaques da imprensa europeia nesta quinta-feira (12/05). Com o título "Um país perde", o site Spiegel Online afirma que "o drama em torno da presidente é um vexame para um país afundado na crise". Para o correspondente Jens Glüsing, "o grande e orgulhoso Brasil terá que se resignar a, no futuro, ser citado por historiadores ao lado de Honduras e Paraguai – e não só por causa de apresentações bizarras de seus representantes populares. Também em Honduras e Paraguai, presidentes eleitos foram afastados de forma questionável do cargo." Para ele, o "espetáculo indigno" apresentado pelos políticos brasileiros ...

    Leia mais
    Paula places her hand on the back of her mother, Brazil's President Dilma Rousseff, after Rousseff received the presidential sash after being sworn in for a second four-year term in Brasilia January 1, 2015. Brazil's President Dilma Rousseff began her second term Thursday vowing to rein in government spending to curb inflation and pull Latin America's largest economy out of a four-year slump. REUTERS/Ueslei Marcelino (BRAZIL - Tags: POLITICS)

    A política não veste saia

    "Democracia, substantivo feminino, passível de feminicídio porque ousou vestir suas saias pela primeira vez." Por Thais Viyuela Brasil Post A frase acima é de Maria Gabriela Saldanha. Agora, entre as mulheres, paira um sentimento de morte. É um sentimento de impotência, de silenciamento, de retrocesso. Não falo em política ou economia. Um grupo grande de personagens e circunstâncias é responsável por isso. Falo em representatividade. Falo de uma mulher que entrou num ninho de cobras, num universo muito machista, sujo e baixo, e jogou o jogo até o fim, um jogo imposto por homens brancos, para homens brancos. Ela, ao contrário de tudo que se espera de uma mulher, não chorou, não se descontrolou, não fez escândalo, trabalhou de forma firme e séria até agora. Ela não agiu "como uma menininha". E isso assusta. Por falta de argumentos, os ataques e os adjetivos ficaram ainda mais ofensivos. Com histórico de perseguição ...

    Leia mais

    Por que me envergonho do meu País

    No ano da graça de 1900, um camarada chamado Afonso Celso escreveu um livro intitulado Porque me ufano do meu País. Por Alexandre Andrada Do Brasil Post No texto, o autor cita as características que fazem desse País tropical um impávido colosso, gigante e bonito pela própria natureza. São onze os motivos de seu ufanismo, tais como a vastidão de nosso território, as belezas naturais de nosso País, seu clima ameno, a ausência de desastres naturais, as riquezas de nosso solo, a miscigenação de nosso povo, etc. Todos os clichês que você já ouviu sobre o Brasil ser o paraíso na terra - ao menos em potencial - estão no referido texto. O autor elenca ainda motivos menos nobres, como o fato de termos vencido a guerra contra o Paraguai. O nacionalismo não raro sorri um sorriso predatório, daqueles em que não basta eu ser o melhor, é preciso esmagar os ...

    Leia mais

    New York Times, em editorial: foi golpe

    Assim como vários outros veículos da imprensa internacional, como The Guardian, El País, CNN e Der Spiegel, o NYT, maior jornal do mundo, também condenou o golpe parlamentar liderado por Eduardo Cunha & Cia, que transformou o Brasil numa república bananeira aos olhos do mundo; segundo editorial, as pedaladas fiscais foram um pretexto para um referendo sobre o PT, no poder desde 2003; “Dilma, que foi reeleita em 2014 por quatro anos, está sendo responsabilizada pela crise econômica do país e pelas revelações das investigações de corrupção que envolvem a classe política brasileira”, diz o texto, que ressalta que o processo é conduzido por políticos acusados de crimes mais graves do que os atribuidos à presidente; ainda há tempo para que o Senado e o Supremo Tribunal Federal corrijam a lambança Do Brasil247 Assim como vários outros veículos da imprensa internacional, como The Guardian, El País, CNN e Der Spiegel, o ...

    Leia mais

    O show de horrores da Câmara em 7 charges e poucas palavras

      Para uma coisa a votação de ontem pode ter servido: para apresentar a Câmara dos Deputados aos brasileiros, que talvez não tivessem noção do tanto que ela é ruim — provavelmente a pior da História Por Kika Castro, Do Revista Fórum Estou sem palavras para definir o show de horrores a que assisti, por várias horas, na TV Câmara ontem à noite. Ou com tantas palavras, tão entristecidas e prolixas, que não ficariam bem em um post de blog. Mas acho que tanta gente boa já escreveu a respeito que não faria muita diferença eu escrever também. Sobre Bolsonaro dedicando seu voto a um torturador — o torturador de Dilma Rousseff. Sobre Bolsonaro filho dedicando seu voto aos “militares de 64”. Sobre o voto emblemático da deputada Raquel Muniz (PSD-MG), que dedicou seu “sim” ao marido, Ruy Muniz, prefeito de Montes Claros que, segundo ela, faz o Brasil ter jeito, ...

    Leia mais

    Câmara aprova golpe parlamentar contra Dilma

    Às 23h07 deste domingo, a oposição atingiu o número de 342 votos necessários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, que poderá ser cassada sem ter cometido crime de responsabilidade; líder da minoria, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) foi quem deu o voto necessário para o golpe, quando eram contabilizados 135 votos contrários; placar final foi de 367 votos a favor e 137 contra; agora, o processo será encaminhado ao Senado, onde será instalada uma comissão especial; se vier a ser aprovada pelo plenário, Dilma, a primeira mulher presidente, será afastada por 180 dias e o vice Michel Temer assumirá a presidência até o julgamento também pelo Senado Do Brasil247 Às 23h07 deste domingo, a oposição atingiu o número de 342 votos necessários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, que poderá ser cassada sem ter cometido crime de responsabilidade. O deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), líder da minoria, foi o deputado que deu o voto ...

    Leia mais

    Novo governo ou governo novo?

    Desde que se agravou a crise política no Brasil nas duas últimas semanas, crise esta criada, sustentada por setores conservadores, elitistas e destituídos do poder institucionalizado e, ainda alimentada por uma mídia representante dos grandes empresários que tem uma carga histórica profundamente negativa por apoiar o golpe civil-militar de 1964, o que mais tem povoado a mente dos brasileiros é a possibilidade de eleições gerais. Por José Nicolau da Silva Neto Guest Post para o Portal Geledés Mas, como falar em eleições gerais sem consultar o povo? Aliás, este é o que menos tem sido consultado. Muitos foram levados às ruas simplesmente afogados em mágoas adquiridas ao longo de décadas. Vários tomaram ruas e avenidas levados por uma causa que sequer entenderam na sua amplitude. Foram corroídos por uma carga ideológica que não é a sua, mas a de um sistema político e econômico que serve apenas para lhe manipular. Foram convencidos ...

    Leia mais

    “É melhor morrer em pé do que viver de joelhos”

    Quem ama as liberdades democráticas que se mire em La Pasionaria – Isidora Dolores Ibárruri Gómez (1895-1989), comunista espanhola que bradou: “É melhor morrer em pé do que viver de joelhos”. Imaginar viver sob o ideário fascista é terrorismo político! A última dose de fascismo foi a ditadura militar de 1964. E quem possui dois neurônios íntegros não deseja repeti-la! Por Fátima Oliveira Enviado para o Portal Geledés O fascismo crê que há seres humanos melhores e com mais direitos do que outros e que só alguns podem ser usufrutuários da Terra e de tudo o que nela há! O fascismo, que aprofunda as opressões de gênero, racial/étnica e de classe, é uma irracionalidade! Pontuo que o nazismo é uma forma de fascismo – perseguição à democracia, desde o início, na Itália no pós-Primeira Guerra Mundial, para suplantar as ideias socialistas. O vocábulo “fascismo” deriva do italiano “fascio” (“aliança” ou “federação”), cuja origem é “fasci”: “feixe”, simbolizando, desde a Roma Antiga, a força de muitos ...

    Leia mais

    “Vazamentos são seletivos e oportunistas”, diz Dilma após delação da Andrade

    Nesta quinta-feira, o jornal "Folha de S.Paulo" revelou que o ex-presidente da empreiteira disse, em delação, que realizou doações para as campanhas eleitorais de Dilma Rousseff Do Ultimo Segundo A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta quinta-feira (7) um pacto pelo entendimento nacional para superar as crises política e econômica. “O Brasil hoje precisa de um grande pacto. O Brasil já superou momentos difíceis fazendo pactos, mas nenhum pacto ou entendimento prosperará se não tiver como premissa o respeito à legalidade e à democracia”, disse a petista. A presidente discursou para uma plateia de mulheres representantes de movimentos sociais e sindicais, como as marchas das Margaridas, Mundial das Mulheres e das Mulheres Negras e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), que foram ao Palácio do Planalto para apoiar o mandato de Dilma. Em meio a gritos de "Dilma fica, Cunha sai", a presidente criticou a publicação "Isto É". A edição mais recente da revista trouxe uma ...

    Leia mais

    Ficou muito fácil escolher o lado certo da História

    Aos indecisos sobre o momento político brasileiro, há uma questão importante a ser definida: do lado de quem querem estar? Dos peemedebistas Eduardo Cunha, Romero Jucá e Eliseu Padilha, que já foram citados em vários escândalos e sacramentaram a traição contra a presidente Dilma Rousseff? Dos tucanos José Serra e Aécio Neves que foram a Portugal pregar a ruptura da ordem democrática? Ou de Letícia Sabatella, que mesmo fazendo oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff, foi ao Palácio do Planalto defender a democracia? Quem sabe, então, de Chico Buarque, que, depois de ter vivido 1964, agradeceu aos jovens que foram às ruas ontem e lhe deram a certeza de que a tragédia do passado não se repetirá no presente? Ou, ainda, de Wagner Moura, que, num artigo cristalino, cravou que Dilma é vítima de um golpe clássico? Nunca foi tão simples optar entre o certo e o errado Do ...

    Leia mais

    Todos os estados e o DF têm atos pró-Dilma e contra o impeachment

    Manifestantes defendem a permanência da presidente no governo federal. Também foi registrado um protesto em Lisboa e Londres, no exterior. Do G1 Manifestações a favor da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), e contra o processo de impeachment aconteceram em todos os estados e no Distrito Federal nesta quinta-feira (31). Houve também atos em Lisboa e em Londres. Ao menos 75 cidades registraram atos. No total, foram 824 mil manifestantes, segundo organizadores, e 159 mil, segundo a polícia. Em São Paulo, a concentração foi na Praça da Sé. Em Brasília, manifestantes seguiram em marcha até o Congresso Nacional, após se reunir em quatro pontos da cidade. No Rio, artistas se apresentaram em um palco no Largo da Carioca, no Centro. No exterior, houve um ato em Lisboa, com cerca de 50 manifestantes, em frente à Faculdade de Direito da Universidade da cidade, onde acontece o Seminário Luso-Brasileiro com autoridades e políticos ...

    Leia mais
    Página 1 de 3 1 2 3

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist