Cuba é feita pra apanhar, é boa de cuspir. É a Geni da língua portuguesa

Leonardo Sakamoto

Enquanto isso, em lugar chique de São Paulo…

– E esse negócio de participação social é cubano. Eles vão querer tomar conta de tudo daqui para frente.
– Eles quem?
– Esse povo aí.

A análise desse diálogo rende um doutorado. Já tenho o título:

O Gigante Acordou
Uma abordagem interdisciplinar, à luz de  Norman Fairclough e Pierre Bourdieu, sobre o discurso de criminalização dos instrumentos de participação social como elemento estruturante para a manutenção do status quo e a preservação das relações hegemônicas em um contexto de clivagem geracional

Vou me ater a outro aspecto, contudo: o que que é essa gente colocando Cuba em qualquer conversa?!

Pode criticar o país e seu regime à vontade, há um monte de razões para isso. Mas o ódio de algumas pessoas é tão grande, tão grande que transformou “cubano” em um adjetivo que expressa o que há de pior no mundo. Ódio, esse, que foi fomentado por um monte de malucos na internet, incluindo pessoas que se dizem jornalistas.

Já vi, em mais de uma ocasião, a tentativa de imputar um efeito negativo em uma frase agregando Cuba à história. Cuba virou a nova Geni. Cuba é feita pra apanhar, Cuba é boa de cuspir, Cuba dá para qualquer um. Maldita, Cuba!

Com base nessa evolução detectada em nosso léxico, sugiro uma breve releitura dos preconceitos paulistanos:

– Meu filé está muito ruim. O serviço aqui está cada vez mais cubano, nunca vi.
– Ai amor, tem um cubaninho vindo ali. Levanta rápido o vidro do carro!
– Minha empregada em casa é tão cubana que me deprime. Ô raça…
– Pior do que bandido, meu bem. Cubano.
– Eu não sou cubano, paguei caro por isso aqui.
– Mulher no volante, cubano constante.
– É um cubano, quando não faz na entrada, faz na saída.
– Apesar de cubano, tem caráter.
– Servicinho cubano esse seu, hein?
– Não gostaria de ver minha filha casada com um cubano. Não por ele ser cubano, é claro, mas os filhos deles sofreriam muito preconceito.
– Esse cubanos deveriam ir para a periferia onde não incomodariam ninguém.
– São Paulo é São Paulo, né amiga? Não é Havana.
– Se a mulher estava vestida daquele jeito e porque era uma cubana e mereceu o que levou.

Confesso que já ouvi três desses acima. Mas deixo vocês descobrirem quais. Se conseguirem…

 

Fonte: Blog do Sakamoto

+ sobre o tema

Marcos Coimbra: O “povão” e a nova maneira de avaliar os candidatos

Por Marcos Coimbra, no Correio Braziliense   A...

A periferia que a esquerda não viu!

Alguém já parou pra pensar que a esquerda pode estar...

5 coisas que você deve saber antes de considerar ir morar no exterior

Outro dia compartilhei um texto no Facebook no qual...

Candidatos Negros: Deputados Estaduais Eleitos em São Paulo 2010

Leci Brandão  - 86.298 votos JOSÉ CANDIDO...

para lembrar

Após apontar racismo em prova, ex-aluna da UFF é denunciada à Justiça

Quatro anos após denunciar por racismo uma professora do...

Morte de policial em Osasco-SP é denunciada à OEA

Poderia ser mais um caso suspeito de resistência...

Salvador terá postos fixo e móvel para denúncias de racismo no carnaval

Posto fixo irá operar na sede no Procon, no...

Maior acusado de agressão a homossexuais na Avenida Paulista pode ir a júri

Jovem foi indiciado por tentativa de homicídio, formação de...

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=