segunda-feira, agosto 15, 2022
InícioSem categoriaDados nacionais mostram aumento de novos casos de aids entre os afrodescendentes

Dados nacionais mostram aumento de novos casos de aids entre os afrodescendentes

por Lucas Bonanno

Há 11 anos, o sistema nacional de notificação de aids passou a incluir o quesito raça/cor no boletim epidemiológico, o que foi possível analisar com mais precisão o impacto da epidemia nos afrodescendente, explica Damiana Neto, que trabalha na área de direitos humanos, risco e vulnerabilidade do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.

Segundo este boletim, em 2000, 37,5% das pessoas diagnosticas com aids se diziam preta e perda. Em 2010, elas já somavam 47%. Em 2009, por exemplo, houve mais casos registrados em mulheres afrodescendentes do que nas que se denominam brancas.

“Mas é importante ressaltar que a vulnerabilidade da população negra é social e não biológica”, enfatiza Damiana.

Ela afirma que preocupado com esta vulnerabilidade, o Departamento de Aids passou a apoiar tecnicamente e financeiramente eventos estaduais e municipais sobre o assunto.

Damiana cita como exemplo o projeto Afro-atitude, que, em parceria com universidades, promoveu pesquisas na área; atividades de prevenção junto aos praticantes de religiões afro, sendo que muitos deles são homossexuais; e o incentivo à participação de ativistas que lutam contra a desigualdade racial na Comissão de Articulação com Movimentos Sociais.

Em 2005, a campanha focada no Dia Mundial de Luta contra a Aids (1º de dezembro) teve como lema Aids e Racismo – O Brasil tem que viver sem preconceitos.

Pesquisas comprovam vulnerabilidade

Na publicação “Saúde e Sociedade”, lançada em março pelo Departamento de Aids, foram compilados os resultados de 10 pesquisas em sete Estados brasileiros a partir da Chamada de Pesquisas Nacionais em População Negra e HIV. Acesse aqui. http://www.aids.gov.br/sites/default/files/publicacao/2011/saude_sociedade_negros_aids_1_pdf_90064.pdf

As pesquisas mostraram um número expressivo de negras brasileiras que ainda têm baixos níveis de escolaridade e não possuem plano de saúde. Na região serrana do Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, 58,8% delas possuem apenas o ensino fundamental completo/incompleto e 55,6% não tem assistência de saúde privada.

O estudo realizado com jovens mulheres moradoras de 10 diferentes comunidades do Rio de Janeiro, comprova que 74% são negras, 39% são sexualmente ativas e 24,4% destas mulheres são portadoras de alguma doença sexualmente transmissível.

Dia da Consciência Negra

O Dia Nacional da Consciência Negra é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A semana dentro da qual está esse dia recebe o nome de Semana da Consciência Negra. A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar a resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1594).

Fonte: Agência de notícias da AIDS

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench