Debate sobre democratização do ensino superior abre atividades dos 10 anos de implantação da UFT

Um rico debate movimentou na noite desta terça-feira (21), a Universidade Federal do Tocantins – Câmpus de Palmas. Estudantes, professores, membros de movimentos sociais, ativistas e pessoas interessadas no tema “Democratização do Ensino Superior” lotaram o Centro Universitário Integrado de Cultura, Ciência e Arte (Cuica) para discutir questões ligadas à igualdade racial, Lei de Cotas e direitos sociais. A mesa-redonda promovida com base no projeto de extensão Ordem Jurídica, Igualdade Racial e Educação, e organizada pelo Diretório Acadêmico (DA) do curso de Direito, abriu as atividades alusivas às comemorações dos 10 anos de implantação da UFT.

Divulgação/UFT

A solenidade foi aberta pelo o reitor da UFT, Márcio Silveira, que deu as boas-vindas a todos e falou da importância de a UFT promover o debate. Em seguida pró-reitores fizeram uso da palavra e destacaram a importância de a Universidade discutir um tema atual e relevante do ponto de vista social. O presidente do DA, Kássio Monteiro, falou do momento de aprendizado do conhecimento de cidadania e consciência crítica, importantes na formação dos alunos. Posteriormente, a mesa-redonda teve início com a exibição de um vídeo-documentário sobre a luta dos negros, desde os tempos da escravidão, passando por quilombos, manifestações em busca de reconhecimento, conquista de identidade, cidadania e direitos.

 

A mesa-redonda “Democratização do Ensino Superior” teve como mediadora, a professora e coordenadora do projeto de extensão Ordem Jurídica, Igualdade Racial e Educação, Ana Lúcia Pereira, e como debatedores Paulo Vinícius Luduvice, do Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais (IPDMS) e Humberto Adami, advogado especialista em casos que envolvem racismo e discriminação racial e membro do Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (IARA). Ana Lúcia abriu o debate destacando que o projeto está sendo desenvolvido no curso de Direito para discutir as políticas de ações afirmativas do Brasil. “Nós não estamos mais no estágio de discutir se somos a favor ou contra a política de cotas”, observou.

Ana Lúcia disse que o programa tem como objetivo preparar os alunos cotistas para que os mesmos possam entender o sistema de cotas. “O Projeto existe nos câmpus de Palmas e Tocantinópolis, mas “é importante que todas as unidades da UFT implantem o programa”, avaliou. Já o advogado Humberto Adami, que promove ações judiciais no sentido de concretizar ações afirmativas, igualdade racial e a lei de cotas nas universidades federais, ressaltou a importância do momento para os alunos de Direito. “Para os alunos, futuros advogados, juízes, promotores de justiça, esse é um tema atual, que gera muita polêmica, mais de muito aprendizado”.

reitor5

Paulo Vinicius Luduvice explicou que o Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais (IPDMS) trabalha para fazer valer a democratização do ensino superior. “Porque o processo de democratização do ensino superior se dá entre a Universidade e o povo, que sustenta o seu funcionamento,” observou. Luduvice chamou atenção também para a responsabilidade social da Universidade. “A universidade pública historicamente tem a responsabilidade de produzir conhecimento e precisa socializar essa produção”, disse ele, reiterando que o aluno de universidade pública é parte da responsabilidade social.

Reitor – Márcio Silveira avaliou como positiva a discussão, afirmando que os grandes momentos são importantes para debates dessa magnitude no ambiente acadêmico. “É um tema adequado e que faz parte da educação pública brasileira. É um momento de a gente parar, refletir, analisar e praticar o ócio criativo. Para Silveira o pensar coletivo enriquece sempre, pois são visões de diferentes, formações diferentes. “É o tipo de projeto de extensão que mantém a universidade acesa. Uma medida que provoca a discussão entre estudantes, professores, servidores e a sociedade. Esse é o papel da universidade”, concluiu.

evento2

Oficial – O evento abre a programação alusiva aos dez anos de implantação da UFT no câmpus de Palmas, que segue até sexta-feira. Até o final do ano outros eventos comemorativos irão ocorrer nos demais câmpus. A abertura oficial das comemorações alusivas aos 10 anos de implnatação da UFT ocorre nesta quarta-feira (22), a partir das 19h, com a conferência de abertura, com participação da Orquestra ‘Sanfônica’ Amor Perfeito, formada por crianças da rede pública estadual de ensino, e um coquetel no corredor do Prédio da Reitoria, com a abertura da exposição “As Faces Contemporâneas”, do artista Renato Moura.

publico2

Programação:
* Todos os eventos são abertos à comunidade
Quarta-feira (22)
Abertura oficial das comemorações alusivas aos 10 anos de implantação da Universidade Federal do TocantinsLocal: Centro Universitário Integrado de Ciência, Cultura e Arte (Cuica)

  • 19h – Apresentação da Orquestra ‘Sanfônica’ Amor Perfeito
  • 19h15 – Sessão solene
  • 20h – Conferência de Abertura

Local: Corredor Cultural do Bloco IV (Reitoria)

  • 21h30min – Coquetel e abertura da exposição “As Faces Contemporâneas”, de Renato Moura


Quinta-feira (23)
Local: Centro Universitário Integrado de Ciência, Cultura e Arte (Cuica)

  • 9h – Apresentação cultural
  • 9h30 – Sessão extraordinária conjunta Consepe/Consuni
  • Conferencista: Ildeu Moreira Coelho (UFG) – Tema: Universidade e Formação

Local: Auditório do Bloco IV

  • 14h – Sessão do Consepe

Local: Palco aberto, Câmpus UFT Palmas

  • 19h30 – Stand-up comedy com Paulo Henrique Vieira (Grupo Tô na Comédia)

Sexta-feira (24)Local: Auditório do Bloco IV

  • 8h30 – Sessão do Consuni

Local: Centro Universitário Integrado de Ciência, Cultura e Arte (Cuica)

  • 19h – Apresentação Cultural – Concerto para Sabrina e o Pandeiro – Intervenção de cordel e música, com Sabrina Fittipaldi
  • 19h30 – Conferência de Encerramento – Conferencista: Senador Cristovam Buarque – Tema: Perspectivas e Desafios da Educação Superior no Brasil

Local: Palco aberto, Câmpus UFT Palmas

  • 20h30 – Show musical

Por: José Filho

 

 

Fonte: UFT

+ sobre o tema

Educação domiciliar e seus impactos para a convivência democrática

A educação domiciliar, também conhecida internacionalmente como homeschooling, tem...

Candidatos do Rio Grande do Sul terão isenção no Enem

O ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou que todos...

Liberdade para Ensinar e Aprender: Pesquisa Nacional Analisa Violências Sofridas por Educadores/as no Brasil

O Observatório Nacional da Violência contra Educadoras/es (ONVE), sediado...

Taxa de alfabetização chega a 93% da população brasileira, revela IBGE

No Brasil, das 163 milhões de pessoas com idade...

para lembrar

‘Qualidade para poucos não é qualidade’: novo indicador sobre educação põe desigualdade em foco

Índice aponta que maioria das escolas públicas brasileiras tem...

Governo fecha pacto para erradicar analfabetismo infantil até 2020

Dilma Rousseff afirma que esta é uma tarefa inadiável...

Cotas raciais na Faculdade de Direito da USP

Dia Histórico! Anos de luta do movimento negro, movimento de...

Projeto de lei prevê prisão de docente que falar sobre “ideologia de gênero”

Atualmente, tramitam no Congresso Nacional ao menos cinco projetos...
spot_imgspot_img

Projeto de escolas cívico-militares é aprovado na Alesp após estudantes serem agredidos por policiais

O projeto de lei que prevê a implementação das escolas cívico-militares na rede estadual e municipal de ensino foi aprovada na noite desta terça-feira (21) na...

Educação domiciliar e seus impactos para a convivência democrática

A educação domiciliar, também conhecida internacionalmente como homeschooling, tem sido objeto de debate em diversos contextos nacionais e internacionais, mobilizando famílias, a sociedade e...

Candidatos do Rio Grande do Sul terão isenção no Enem

O ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou que todos os candidatos do Rio Grande do Sul terão isenção no pagamento da inscrição do Exame Nacional...
-+=