Declaração das mulheres presentes no FSM 2013 Tunis – Tunisia

Congratulamo-nos com a presença significativa de mulheres, organizações de mulheres e feministas que participaram do Fórum Social Mundial em Tunis, em março de 2013, e expressou sua solidariedade com as lutas das mulheres em todo o mundo, especialmente as de região árabe.

A diversidade do trabalho das várias actividades da semana destacou uma análise comum:

– As políticas de austeridade e da globalização neoliberal que afeta principalmente mulheres e bater mais fortemente os povos;
– Fomentou guerras em todo o mundo (Palestina, Síria, Líbano, Mali, Congo …) usar o corpo feminino como uma arma de guerra e acentuar a exploração sexual (estupro, os casamentos precoces e forçados)
– Aumento da influência do extremismo e poderes religiosos da queda político, no âmbito de uma reestruturação do mercado global, é uma ameaça para a emancipação das mulheres.
Sua finalidade é estabelecer uma sociedade pós-revolucionária baseada em um novo poder teocrático, exercendo com os fundamentos do Estado de Direito e do patriarcado dando uma impressão de religiosidade.
O estatuto das mulheres é uma questão política importante para empresas e instituições através da introdução de violência diária para excluir as mulheres do espaço público dessas políticas retrógradas são parte das mesmas políticas econômicas neoliberais que estabelecem a Mundial de austeridade.

Atualmente, as mulheres são as mais afetadas pelo declínio nos direitos económicos e sociais e de insegurança generalizada.

Nós, as mulheres, as mulheres e associações feministas, declaramos que:
– Nosso compromisso inabalável com a universalidade dos direitos humanos das mulheres;
– A nossa vontade é ratificada base CEDAW dos direitos constitucionais das mulheres, especialmente nos países árabes
– O nosso direito de beneficiar da riqueza do mundo (água, propriedade da terra, riqueza mineral ….)
– A nossa determinação de lutar contra todas as formas de violência contra as mulheres (estupro, assédio sexual …)
– Nossa exigência para a proteção de mulheres refugiadas em zonas de conflito, vítimas de tráfico e exploração sexual

Nós, mulheres, temos de pedir ao Conselho Internacional do FSM
– A inclusão de mulheres no conjunto da programação oficial do Fórum Social Mundial;
– Reforço da presença de organizações feministas na composição do Conselho Internacional diversificando sua representação;
– A implementação de um desejo real e os meios para aumentar a paridade real em tanto a composição do conselho no internacional cruz-organização dos debates;
– A atribuição de fundos de solidariedade levar em conta o componente de gênero;
– A implementação efetiva de uma rede internacional de solidariedade com mulheres tunisinas lutam por seus direitos.

Feito em Tunis 30 de março de 2013
Fale FSM mulheres Dinâmica 2013: E-mail: ahlem.dynafemmes

+ sobre o tema

Por um jornalismo não sexista

A Língua Portuguesa não é sexista. Seu mau uso,...

VII Seminário Agosto Para a Igualdade Racial : Homenagem à Marielle Franco e Wangari Maathai

  Programação na Universidade  Estadual da Paraíba  e Universidade Federal...

Machismo e racismo pintados de colonialismo verde

Nos últimos dias, sentimentos de raiva, ódio, indignação, revolta...

Senado abre consulta pública sobre legalização do aborto

O Senado Federal lançou uma consulta pública para saber...

para lembrar

“Leis para violência contra lésbica não funcionam na prática”, diz advogada 

Lesbofobia, lesbocídio, estupro corretivo: esses são nomes de violências...

‘Farol que se apaga’: assassinada, Tia Vera criou creche na periferia de SP 

Quando o caixão da líder comunitária Vera Lúcia da...

Seu ‘amor livre’ não chega na favela

Durante minha vida nunca havia imaginado que existiria uma...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=