Demóstenes Torres do DEM responsabiliza negros pela escravidão

DEM, partido aliado de José Serra quer agora acabar com cotas na universidade.

Ontem Durante a discussão no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o sistema de cotas raciais nas universidades, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) afirmou que negros também eram responsáveis pelo tráfico de escravos. – Todos nós sabemos que a África subsaariana forneceu escravos para o mundo antigo, para o mundo islâmico, para a Europa e para a América.

Lamentavelmente. Não deveriam ter chegado aqui na condição de escravos. Mas chegaram. Até o princípio do século 20, o escravo era o principal item de exportação da pauta econômica africana – disse o senador. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a reportagem, Demóstenes ainda defendeu que a miscigenação no Brasil se deu de forma consensual, o que também iria contra as cotas: ”nós temos uma história tão bonita de miscigenação.

(Fala-se que) as negras foram estupradas (…) Gilberto Freyre, que é hoje renegado, mostra que isso se deu de forma muito mais consensual”. Ainda segundo o jornal, o DEM considera as cotas
inconstitucionais, pois iriam contra o princípio da igualdade dos candidatos no vestibular.

Dem não quer cotas

A constitucionalidade ou não do sistema de reserva de cotas para ingresso nas universidades, com base em critérios raciais, deve ser decidida pelo Supremo Tribunal Federal, neste primeiro semestre, depois de uma audiência pública a ser realizada nos dias 3, 4 e 5 de março, para a qual foram selecionados, pelo ministro Ricardo Lewandowski, 38 dos 252 debatedores inscritos – entre os quais o próprio ministro de Promoção da Igualdade Racial, Edson Santos, professores universitários, antropólogos e diversos representantes de entidades e movimentos da sociedade civil.

É uma Ação objetivando acabar com as cotas raciais na UnB. Há pedido de liminar para suspender a matrícula dos alunos aprovados no último vestibular da UnB”, informou a procuradora Roberta Kaufmann, que está atuando como advogada do DEM na ação.

Lembrando. Dem também quer acabar com o ProUni 

O DEM (ex-PFL) se juntou a Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino particular, e resolveram bater às portas do Supremo Tribunal Federal, sustentando a inconstitucionalidade dos atos que criaram o ProUni. Levaram para a Corte a discussão da legalidade de ações afirmativas baseadas em critérios de renda e de raça para o acesso ao ensino superior. Na semana passada, tomaram a primeira pancada, pelo voto do ministro-relator Carlos Ayres Britto.

+ sobre o tema

Observatório identificará situações racista ou violência contra a mulher e LGBTs

Essas estruturas permitem ampliar o campo de visão e...

Governo de SP não revela nomes de policiais que detiveram filho de rapper

Também foram negadas outras informações sobre as circunstâncias em...

Zulu Araújo – Ausência de cheque e tênis de marca

O ano de 2012 não está nada alvissareiro para...

Mais de 10 mil protestam na Itália contra racismo

Em Florença, um militante de extrema direita matou dois...

para lembrar

Decisão do STF abate o racismo religioso

Quem vocifera contra cultos de matriz africana busca ditar...

West Ham dá suspensão perpétua a torcedor racista

O diário inglês "Daily Mail" publica nesta terça-feira...
spot_imgspot_img

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...
-+=