“É gente que não presta, racistas”

O congolês Samba lamentou os cânticos racistas e homofóbicos dos adeptos do Zenit, onde jogam Dany e Bruno Alves, durante os jogos. “Eles vivem noutro século”.

Samba, defesa de raça negra do Anzhi, da Rússia, diz que os adeptos do Zenit, clube onde jogam os portugueses Dany e Bruno Alves “vivem noutro século”, numa alusão ao racismo e à homofobia que revelam nas suas ações nos estádios de futebol.

“Não me surpreende. É gente que não presta, racistas. Eles vivem noutro século; é triste para o futebol russo. Hoje em dia há pessoas de diferentes comunidades, de diferentes países que fazem parte de equipas de futebol. Se eles não conseguem aceitar isso nunca progredirão”, analisou o futebolista congolês citado pela BBC.

Recorde-se que o Zenit era o único clube de topo da Rússia que não tinha futebolistas negros até à chegada de Axel Witsel, ex-Benfica, ao clube. Os adeptos do clube de S. Petersburgo já foi multado pela federação russa por os seus adeptos terem atirado bananas ao lateral brasileiro Roberto Carlos, quando jogava no Anzhi.

Com os grupos neonazis em ascensão no país, a vida dos jogadores negros tem-se complicado. Nos estádios, os adeptos imitam gritos de macacos quando os jogadores negros jogama a bola e o próprio Samba já foi alvo de atos racistas quando um adepto do Lokomotiv lhe atirou uma banana.

Fonte: O Jogo

+ sobre o tema

Conversas sobre o luto: quando uma mãe preta retorna ao mundo das encantadas

O encantamento é uma das principais heranças deixadas por...

E assim vamos nós, lutando pela existência de nossas gerações

Vamos que vamos! Frase muito usada por quem sonha...

Ser menina na escola: estamos atentos às violências de gênero?

Apesar de toda a luta feminista, leis de proteção...

Condenação de Daniel Alves é medida exemplar contra o machismo, diz vice-presidente da Espanha

A segunda vice-presidente da Espanha, Yolanda Días, afirmou que a condenação...

para lembrar

Ator é vítima de racismo durante espetáculo:’Isso não pode ficar impune’

Uma espectadora interrompeu a peça e deu uma banana No...

Grupo antirracismo critica apoio do Liverpool a Suárez

Um grupo que realiza campanhas contra o racismo no...

Minas registra um novo caso de racismo a cada 22 horas e 16 minutos

Expressivo, número de crimes raciais levados aos tribunais está...

Austrália propõe mudar lei, mas aborígenes querem mudança real

Por: Liz Lacerda Alison Golding tinha 10 anos...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=