Edgar Morin: “Um mundo agoniza, mas um novo mundo ainda não consegue nascer”

Defensor da teoria da complexidade, Edgar Morin, nascido em Paris, em 8 de julho de 1921, chega aos 95 anos de idade escrevendo, viajando, palestrando e comportando-se como o intelectual que tem sido desde a sua resistência ao invasor nazista na França ocupada da II Guerra Mundial. Autor de dezenas de livros, tem como obra-prima os seis volumes de “O Método”. Sociólogo, filósofo, epistemólogo, antropólogo e pensador da sociedade contemporânea, ele escreveu sobre quase tudo: das vedetes de cinema ao imaginário da morte. Em 2000, recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela PUCRS.

Por Juremir Machado da Silva, do Correio do Povo 

Correio do Povo: Qual é a sensação de ter visto quase tudo ao longo de um século: a Alemanha nazista, a guerra, a resistência, o império soviético e seu desaparecimento, os “ismos” – marxismo, existencialismo, estruturalismo, maoísmo –, o homem na Lua, a televisão, a Internet.
Edgar Morin: A sensação de que não aprendemos com o passado, não tiramos as conclusões necessárias dos erros, que se reproduzem no presente: inconsciência, sonambulismo, ilusão.

CP: De todos esses acontecimentos qual o marcou mais?
Edgar Morin: A guerra e a resistência.

CP: O senhor é um homem de livros, dos livros. Teme que o livro, em papel, ao menos, vá desaparecer?
Edgar Morin: A televisão não matou o rádio; o cinema não matou a literatura; o livro nas telas não matará o livro em papel, mas fará com que ele perca espaço.

CP: O senhor sempre combateu por um mundo melhor. Acredita que não há mais utopias. O capitalismo, apesar das suas crises, venceu em definitivo?
Edgar Morin: O planeta marcha para prováveis catástrofes, mas, às vezes, o improvável acontece e muda o destino das coisas.

CP: A França passa por mais uma crise. O governo socialista quer modificar a legislação trabalhista. Trata-se de mais um sinal do fim de uma concepção de mundo?
Edgar Morin: Um mundo agoniza, mas um novo mundo ainda não consegue nascer.

CP: O cinema e a televisão foram objetos dos seus estudos, que abordaram as estrelas, as vedetes e os olimpianos. Qual personagem desse mundo do imaginário midiático mais o marcou?
Edgar Morin: Charles Chaplin.

CP: A sua cultura é gigantesca, enciclopédica. O senhor passou a vida lendo. Que livros mudaram a sua vida?
Edgar Morin: “Crime e Castigo” e “Os Irmãos Karamazov”, de Dostoievski; as obras de Montaigne, Pascal, Spinoza, Hegel, Karl Marx e Jean-Arthur Rimbaud.

CP: A reforma do pensamento, necessária à complexidade, defendida em suas obras, está em curso?
Edgar Morin: Ela está apenas começando.

CP: A idade mudou a sua maneira de ver a vida e o mundo?
Edgar Morin: Ainda não.

CP: A idade muda o olhar dos outros?
Edgar Morin: Uns veem a minha velhice; outros veem a juventude da minha velhice.

CP: O senhor tem medo de morrer?
Edgar Morin: De vez em quando.

CP: A poesia e os poetas ainda o encantam? Que poema vem em primeiro lugar à sua mente?
Edgar Morin:“O Lago”, de Lamartine.

+ sobre o tema

Taxação dos super-ricos tem que ser encarada de frente, diz Neca Setubal

Maria Alice Setubal diz que não saiu ilesa daquele 2014....

Salário menor na advocacia é mais frequente entre mulheres e negros

A proporção de advogados na menor faixa salarial da...

Lei que implantou escola cívico-militar em SP fere modelo educacional previsto na Constituição, diz PFDC

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão...

para lembrar

Dilma irá aos EUA atrás de ‘know-how e inovação, não de dinheiro’

Por: Pablo Uchoa   Sinal dos avanços e...

Para os Jornais a corrupção noBrasil é como meu uísque: 12 Anos

Jornalista Xico Sá, que se demitiu da Folha de...

Obama pede que China liberte Prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo

Para líder americano, reforma política chinesa não seguiu passos...

Respeite o Hip- Hop

Fonte: Cufa- Luiz Eduardo Soares Antropólogo e Cientista ...

Ação enviada ao STF pede inconstitucionalidade de escolas cívico-militares em SP

Promotores e defensores públicos encaminharam ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (5) um pedido para tornar inconstitucional a lei estadual que criou as...

Nova identidade tem CPF como número principal, QR code e abriga dados de outros documentos

O governo federal quer acelerar a corrida para digitalizar a identidade dos brasileiros. A nova CIN (Carteira de Identidade Nacional) representa o fim do RG e da impressão...

ONU pede que Brasil legalize aborto e denuncia ‘fundamentalismo religioso’

Alertando sobre o avanço do que chamou de "fundamentalismo religioso" no Brasil, um dos principais órgãos da ONU que lida com a situação da...
-+=