Em seis meses, Dilma deve ir à África defender ampliação de parcerias

Daqui a seis meses, a presidenta Dilma Rousseff deve participar da 3º Cúpula América do Sul-África (ASA), em Malabo, na Guiné Equatorial (África), que ocorrerá nos dias 15 e 16 de maio de 2012.

A ideia é recomendar que todos aproveitem os avanços econômicos, políticos e sociais alcançados pelos países das duas regiões e busquem incrementar as relações comerciais. Os chanceleres encerraram nesta sexta-feira as negociações preliminares.

Só no ano passado, o intercâmbio entre as duas regiões alcançou US$ 32,2 bilhões. Na reunião no próximo ano, a presidenta deve propor que as ações adotadas tenham como preocupação o desenvolvimento sustentável com inclusão social. O tema é o principal assunto da Conferência Rio+20, que ocorrerá no Rio de Janeiro, de 28 de maio a 6 de junho de 2012.

Nos últimos dois dias, os ministros das Relações Exteriores participaram da 4ª Reunião Ministerial da Cúpula América do Sul-África, em Malabo.

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, lembrou que a crise econômica internacional mostrou o potencial dos países fora do eixo Estados Unidos-Europa.

O ministro ressaltou que o momento serve para reconciliação da “democracia, crescimento econômico, redução da pobreza e políticas ambientalmente sustentáveis”. “Em um mundo em que presenciamos o esgotamento de modelos de desenvolvimento concebidos pelo Norte, e em que as próprias economias desenvolvidas enfrentam crises, a América do Sul e a África despontam de décadas de estagnação e conflitos, para um novo ciclo de progresso e emancipação”, disse ontem.

Patriota ressaltou que há um esforço do governo da presidenta Dilma Rousseff, iniciado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de aproximação com a África em todas as vertentes. Segundo Patriota, até o próximo mês, terá completado dez visitas a países africanos.

– A história nos aproximou por intermédio da escravidão e dos laços com ex-potências distantes das nossas realidades materiais e humanas. Hoje, podemos fazer história forjando laços diretos de comércio, cooperação e coordenação político-diplomática, destacou ontem o chanceler.

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

A inovação política que emerge nas periferias

Resultados do 1º turno reforçam nova configuração no Folha de...

Obama precisa se justificar perante o Congresso sobre ação militar na Líbia

A Casa Branca enviou, nesta quarta-feira, um dossiê de...

Mitt Romney é vaiado por organização afro-americana nos EUA

Republicano foi vaiado por 25 segundos durante convenção em...

O duplo desafio de Obama

- Fonte: O Estado de São Paulo - Conforme...

para lembrar

O cabelo dos meninos pretos – por Cidinha da Silva

Por Cidinha da Silva Algo de sinistro acontecia com os...

Pesquisa Sensus aponta empate entre Serra e Dilma

Pesquisa Sensus encomendada pelo Sintrapav (Sindicato dos Trabalhadores...

É só alegria! Por Cidinha da Silva

Por Cidinha da Silva Os dias eram pré-carnavalescos no Rio...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=