Escola no CE é acusada de ensinar Física com conteúdo homofóbico

A analogia partiu da química, para explicar os fenômenos de atração e repulsão entre prótons e elétrons. Os prótons seriam meninos e os elétrons, as meninas. Dois meninos ou duas meninas se repelem. Só quando aproximamos um menino e uma menina ocorreria a atração, segundo um livro de uma escola de segundo grau em Fortaleza, no Ceará.

Foto: ABR

Um aluno do 3º ano do ensino médio enviou um e-mail à Associação Brasileira de Lésbicas, Gays Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) divulgando o material. O estudante, que pediu para não ser identificado, enviou para a ABGLT uma imagem do livro de Física, criado pelo próprio Colégio Farias Brito.

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) enviou denúncia ao Ministério Público e ao Ministério da Educação para apurar a denúncia de que o material constitui conteúdo homofóbico. A escola ainda não se manifestou sobre o caso.

 

Fonte: Yahoo

+ sobre o tema

A cobertura midiática das escolas ocupadas: silêncio e criminalização

Como em vários momentos da história, a imprensa, quando...

De jaleco e cocar, índia terena se forma em Nutrição e faz festa na aldeia

Aos 24 anos, Nilzanir Torres Martins foi a primeira...

Quatro estados brasileiros começam a implantar iniciativa da ONU ‘Escola sem Machismo’

“Divida, inicialmente, o quadro em três colunas e, em plenária,...

Trabalhe no Instituto Moreira Salles

IMS Paulista Do IMS Em julho de 2017, o Instituto Moreira...

para lembrar

Reitora da Ufba pretende trocar vestibular por Enem

Consolidar e inovar. Defendendo o slogan da campanha realizada...

Enem 2011 teve bom nível, mas estava extenso, dizem candidatos

Candidatos ainda se queixam da extensão de questões da...

Unesco, Brasil e Estados Unidos lançam projeto para ensinar respeito na escola

O projeto Ensinando o Respeito para Todos, resultado de...

História da África e cultura afro-brasileira na escola

1º Bloco -- História da África / Marina de...
spot_imgspot_img

Geledés participa de audiência sobre Educação das meninas e mulheres negras na Câmara dos Deputados

Geledés – Instituto da Mulher Negra participou, nesta quinta-feira 21, de audiência da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, em Brasília, da qual...

Unilab, universidade pública mais preta do Brasil, pede ajuda e atenção

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) surgiu com a proposta de fazer a integração de alunos de países africanos de língua...

Cotas, sozinhas, não acabam com a desigualdade

Há uma demanda crescente para que as universidades de alto prestígio (ou de elite) aumentem a diversidade étnico-racial e socioeconômica de seus alunos. Nessa...
-+=