A estranha morte dos incríveis embondeiros africanos

Nove dos 13 embondeiros africanos mais velhos, com idades que rondam os dois mil anos, morreram na última década. A causa da morte ainda não é clara mas as pistas dos investigadores apontam para as alterações climáticas.mn

Por Andrea Cunha Freitas Do Publico

JONATHAN BRADY/EPA

“A morte da maioria dos maiores e mais antigos embondeiros africanos nos últimos 12 anos é um acontecimento de uma magnitude sem precedentes”, escrevem os autores de um artigo publicado na revista científica Nature Plants. A equipa de investigadores conta em apenas três páginas a história da rápida e inesperada morte de nove dos 13 mais velhos e de cinco dos seis maiores embondeiros de África. Sem conclusões sobre as causas do estranho declínio, avançam com a suspeita de um fim associado às mudanças climáticas nesta região do planeta.

O embondeiro está nos livros, poesias, contos, provérbios, lendas e crenças no continente africano e fora dele. Dizem que parece estar virado ao contrário (com os seus fortes ramos a confundirem-se com uma raiz) e que é sagrado. Conta-se que serve de morada aos espíritos humanos e que a árvore simboliza a sabedoria, uma vez que nenhum homem consegue abraçá-la sozinho. A imagem de um postal de África cola-se à imponente silhueta de um embondeiro num por do Sol.

A equipa de investigadores que anuncia a morte dos maiores e mais antigos embondeiros de África investigou e datou mais de 60 árvores do Norte e do Sul de África durante o período de 2005 a 2017, durante o qual procuraram exemplares muito grandes e potencialmente antigos. A datação foi feita com radiocarbono e alguns dos segredos da estranha arquitectura das árvores que assegura a sua longevidade e tamanho são descritos no artigo. Mas, escrevem, “o facto mais inesperado e intrigante é que, desde 2005, nove dos 13 espécimes mais antigos de embondeiros africanos e cinco dos seis maiores indivíduos morreram ou pelo menos as suas partes maiores e/ou mais velhas entraram em colapso e morreram.”

As inesperadas mortes, acrescentam, “não foram causadas por uma epidemia e também houve um rápido aumento nas mortes aparentemente naturais de muitos outros embondeiros maduros”. “Suspeitamos que o desaparecimento de embondeiros monumentais possa estar associado, pelo menos em parte, a modificações significativas das condições climáticas que afectam particularmente o Sul de África. No entanto, mais investigações são necessárias para apoiar ou refutar essa suposição”, concluem.

Entre os vários casos detectados, a equipa destaca três histórias de três árvores: Panke, Platland e Chapman. Panke era um embondeiro considerado sagrado numa área remota de Matabelelândia Norte, no Zimbabwe. A descrição deste indivíduo inclui “um anel definido por três hastes fundidas em torno de uma falsa cavidade com uma entrada baixa” e ainda “três hastes adicionais”. Em 2010, os ramos começaram a quebrar-se e sucessivamente a colapsar e, depois, as hastes dividiram-se e tombaram uma após a outra ao longo de mais de um ano. “Recolhemos e datamos várias amostras de seus restos mortais”, dizem os investigadores no artigo, revelando que a amostra mais antiga revelou que se tratava de um exemplar com 2450 anos. Ou seja, Panke era o mais antigo embondeiro africano e morreu em 2011.

Platland, também conhecido como embondeiro de Sunland, ergueu-se na província do Limpopo, na África do Sul, e “foi provavelmente o embondeiro africano mais promovido e visitado”. O mais célebre, portanto. Uma notoriedade conseguida talvez pelo impressionante “volume total de madeira de 501 metros cúbicos”. No enorme tronco encontravam-se duas estruturas em forma de anel com duas cavidades falsas interconectadas. “A maior unidade separou-se quatro vezes em 2016 e 2017 e os seus cinco caules acabaram por tombar e morreram.”

+ sobre o tema

Brasil investe pouco em prevenção de desastres

Separada por duas ruas da margem do rio dos...

Ações para a cidadania

Testemunhamos casos de guerras, violências, feminicídios e racismo diariamente....

Entidades de segurança pública e direitos humanos dizem que novo edital precariza programa de câmeras da PM em SP

Entidades da sociedade civil ligadas à segurança pública manifestaram...

Convenção da extrema direita espanhola é alerta para o Brasil

"Manter o ideal racial de um continente branco de...

para lembrar

Votos dos imigrantes latinos na Flórida podem ser decisivos para eleição

Lucas Rodrigues* Miami, Flórida - A cidade de Miami, na...

O surrealismo político de extração macarthista no Brasil

Não tem sido fácil a vida sob o cerco...

CENSO: População poderá preencher na web questionário do Censo 2010

O Censo 2010 começará no dia 1º de agosto...

Ascensão econômica desde 2003 não modifica valores políticos, diz pesquisa

Estudo mostra que população associa ganhos dos últimos 10...

Aprovado no Senado, PL dos planos de adaptação esboça reação a boiadas do Congresso

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (15/05) o Projeto de Lei 4.129/2021, que cria diretrizes para a elaboração de planos de adaptação à...

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram emergência no Maranhão devido às fortes chuvas que atingem todo o estado. A informação foi...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do Estado emerge da catástrofe. A pandemia de Covid-19 deveria ter sido suficiente para demonstrar que...
-+=