“Eu penso em ter mais filhos”, diz Taís Araujo

Enviado por / FontePor Bruno Astuto, do Época

vale_tais_vicente_lazaro
Taís e Lázaro em passeio com o filho mais velho, Vicente. “Eu quero ter mais filhos, o Lázaro também quer”, afirma ela (Foto: AG. News)

Taís Araújo apresenta, a partir do dia 11 — ao lado de Cauã Reymond —, o Globo de Ouro Palco Viva, programa que celebra os 100 anos do samba. “Sou do samba. Nunca esqueci quando desfilei na ala das crianças da Imperatriz Leopoldinense, num desfile em homenagem a Jorge Amado. Aquele samba do Arlindo Cruz foi marcante para mim”, diz ela, contando que o gosto pelo gênero vem de berço. “Minha mãe sempre foi foliã, é daquelas que ouvem sambas-enredo no carro todo dia. É ela quem leva meu filho à escola e dia desses ele soltou: ‘Vovó, não dá para trocar essas músicas?’”, diz, às gargalhadas.

Além de Vicente, de 5 anos, Taís e Lázaro Ramos são pais de Maria Antônia, de 1 ano. “Tem dias que quero ter mais filhos, mas tem dias que não. Mas vou acabar tendo, amamos criança, é uma delícia. Recentemente, achei que estivesse grávida, ficamos felicíssimos, mas foi alarme falso”, afirma. Símbolo da luta contra o preconceito desde que foi alvo de comentários racistas na internet, ela se posiciona sobre os casos de abuso contra a mulher. É muito difícil uma mulher que não passou por isso, e comigo não foi diferente. Uma cantada grosseira no meio da rua, para mim, já é assédio. Nossa cultura é muito machista. É preciso posicionamento firme de nós, mãe de meninos, ao educarmos nossos filhos, ficarmos alertas contra isso”, diz Taís, aque bateu um papo com a coluna:

Pensa em ter mais filhos?

Eu quero ter mais filhos, gosto de ser mãe, amamos criança, é uma delícia. Tem dias que acho que quero ter, tem dias que não. Ainda não sei, mas vou acabar tendo. O Lázaro também quer. Outro dia mesmo achei que estivesse grávida, ficamos felicíssimos, mas foi alarme falso.

tas_arajo_crdito_marcelo_tabach_2
Taís apresentando o Globo de Ouro Palco Viva, programa que celebra os 100 anos do samba e estreia no dia 11 (Foto: Marcelo Tabach)

Depois do que você passou, você virou uma representante da luta contra o preconceito. Como tem visto todos esses casos de violência contra a mulher?

Tem um único lado bom nisso, que é o de discutir essas questões, trazer esses temas para a roda. Isso sempre aconteceu, mas ficava ali embaixo do tapete. Quando a gente vê as atrizes americanas, as estrelas lá de fora contando suas histórias de abuso em programas como o da Oprah, a gente pensa: “Nossa, como isso acontece muito lá fora, nos Estados Unidos, lá longe”. Mas também acontece aqui o tempo inteiro, é que ninguém fala. Acontece diariamente. É muito importante que se debata isso.

tais e caua
“Trabalhar com o Cauã é sempre uma delícia. Fazia tempo que não nos víamos, estava com saudade”, diz Taís (Foto: Marcelo Tabach)

Você já sofreu assédio?

É muito difícil uma mulher que não tenha passado por isso, que não tenha sofrido assédio. E comigo não foi diferente. Uma cantada grosseira no meio da rua, por exemplo, para mim já é um assédio. Nossa cultura é muito machista, toda mãe manda a menina que está de minissaia fechar a perna, mas ninguém manda o menino não olhar. É preciso ter um posicionamento firme de nós, mãe de meninos, ao educarmos nossos filhos, e ficarmos sempre alerta.

Como a cidadã Taís Araújo está vendo esse caos político no país?

Parece uma novela. Está tudo caótico, a sensação que dá é de que estamos em uma areia movediça mesmo. Fico muito tensa em ter de esperar dois anos para que tudo aco ‘faraós serão derrubados’. Estamos vendo isso acontecer, faraós estão sendo derrubados, coisa que a gente nunca imaginou. Mas não adianta só expor, é preciso ter punição, porque eles não têm vergonha.

+ sobre o tema

A jornada épica de Beyoncé

Beyoncé já pertence à realeza da pop e agora...

Debate discute o protagonismo no negro na sociedade nesta quarta-feira (17/06)

Evento conta com o lançamento do livro Gramática da...

Experiência com epidemias vem ajudando a conter disseminação do coronavírus na África

Medidas restritivas foram tomadas de maneira preventiva; analistas, no...

para lembrar

Beyoncé vira sócia de serviço de entrega de comida vegana

São Paulo – Muita gente quer copiar a dieta...

UFPB terá seminário de Cultura Afro-Brasileira; veja programação

O terceiro Seminário Nacional de Estudos Culturais...

Raça Negra: “Fazemos samba romântico, não pagode”

Pela primeira vez na Virada Cultural, banda realiza show...

Sem atores profissionais, ‘Subúrbia’ foge da linha tradicional

Para Luiz Fernando Carvalho, narrar não significa simplesmente tecer...
spot_imgspot_img

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=