Ex-ouvidora-geral da Defensoria Pública, socióloga Vilma Reis anuncia pré-candidatura à prefeitura de Salvador

A socióloga, ex-ouvidora geral da Defensoria Pública da Bahia (DP-BA) e ativista pelos direitos humanos, Vilma Reis, anunciou pré-candidatura à prefeitura de Salvador para 2020.

Por: Bruno Luiz no BNews

Por: Alessandra Lori/ DP-BA

Em postagem em sua página no Facebook, feita no Dois de Julho, data que marca a Independência da Bahia, Vilma escreveu: “As Mulheres Negras construindo um programa para governar toda Salvador”. A publicação seguiu de um card que traz os dizeres “Agora é ela”, “Mulheres Negras na prefeitura de Salvador” e também aquele que parece que será um dos slogans de sua candidatura, a hashtag “#bicãonadiagonal”.

Ainda não se sabe por qual partido a socióloga deve concorrer ao cargo, mas o PSOL e o PSB demonstraram interesse em abrir conversas com ela sobre o assunto, de acordo com informações recebidas pelo BNews.

Pessoas ligadas ao Movimento Negro comemoraram nas redes sociais o anúncio de Vilma, que é referência na luta contra o racismo no Brasil.

“No meu país chamado Bahia, teremos uma prefeita negra”, escreveu uma seguidora. “Todo mundo pronto para a campanha mais revolucionária que Salvador já viu? Agora é ela!!!”, comemorou a comunicadora e ativista pelos direitos humanos Midiã Noelle.

Referência nacional na luta antirracista e contra o genocídio da juventude negra, Vilma foi ouvidora-geral da DP-BA de 2015 a 2019. Em seu mandato, destacou-se por aproximar o órgão de grupos vulneráveis, pela luta contra o racismo e o sexismo na atuação dos órgãos de justiça, por reivindicar a interiorização da Defensoria Pública baiana e pautar a discussão da democratização do sistema de Justiça.

+ sobre o tema

Tornar-se negra, intelectual e ativista: percursos de Lélia Gonzalez – Por: Flavia Rios e Alex Ratts

No último dia 1º de Fevereiro comemoramos 78º aniversário...

A palavra lésbica deixa de ser pornográfica no Google

A partir de agora, na pesquisa por lésbicas no...

Carta para a mulher que fui

Seu nome ainda me assusta e quando o escuto na rua...

para lembrar

Nenhum dos 13 governadores eleitos no 1º turno é mulher

Apenas 51 deputadas federais foram eleitas, o que representa...

Sempre aos domingos: A roupa como uma tomada de posição

A jogadora de tênis Serena Williams é um gigante...

Violência e Gênero nas práticas de Saúde

O Grupo de pesquisa "Violência e gênero nas práticas...

Conto de fadas brasileiro quebra paradigmas ao contar história de amor entre duas mulheres

Um conto de fadas geralmente traz uma receita já...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=