Feminine Hi-Fi entrevista em live Zakiya Carr, ex-diretora de Inclusão Social e Racial do governo Barack Obama

O projeto paulistano Feminine Hi-Fi, voltado à representatividade da mulher na música, entrevista ao vivo na próxima segunda-feira, dia 8 de junho, a ativista americana Zakiya Carr Johnson. Fundadora da consultoria ODARA Solutions, voltada ao talento inexplorado de comunidades historicamente marginalizadas, jovens e mulheres nas Américas, e co-fundadora do Black Women Disrupt, plataforma de empreendedorismo, inovação e tecnologia voltada às mulheres negras, Zakiya foi diretora da unidade de Raça, Etnia e Inclusão Social do Departamento de Estado norte-americano durante o governo Barack Obama. Ela também atuou como Assessora Internacional e Juvenil no Geledés-Instituto da Mulher Negra de 1999 a 2002.

O bate-papo com a especialista e estrategista, que tem extensa experiência em desenvolvimento internacional e políticas públicas, acontece em uma live no canal de Instagram da Feminine Hi-Fi, e será mediado por uma das fundadoras da Feminine, a cantora Laylah Arruda. A conversa inaugura a nova série de entrevistas ao vivo do projeto, o Feminine Talks, que pretende trazer periodicamente ao público nomes relevantes das mais diversas áreas de conhecimento.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Em um momento tão crucial para a sociedade, nosso espaço aqui, que é quase exclusivamente voltado à música, passa a ser também um espaço de compartilhamento de ideias e de amplificação de vozes. Na próxima segunda a gente estreia o 🔊FEMININE TALKS🔊, bate-papo online que pretende trazer periodicamente ao público nomes relevantes das mais diversas áreas de conhecimento. E começamos com uma figura importantíssima: a ativista americana 🌟Zakiya Carr🌟 @makebasmom! Fundadora da consultoria @odarasolutions, voltada ao talento inexplorado de comunidades historicamente marginalizadas, jovens e mulheres nas Américas, e co-fundadora do @blackwomendisrupt, plataforma de empreendedorismo, inovação e tecnologia voltada às mulheres negras, Zakiya foi diretora da unidade de Raça, Etnia e Inclusão Social do Departamento de Estado norte-americano durante o governo @barakobama. Quem recebe Zakiya é @laylaharruda. O papo rola na segunda, 8/6, às 20h, ao vivo aqui no perfil! Chama todo mundo, vem ouvir e participar dessa conversa!

Uma publicação compartilhada por Feminine Hi-Fi (@femininehifi) em

SERVIÇO

FEMININE TALKS #1: Feminine Hi-Fi entrevista Zakiya Carr (EUA)

8 de junho de 2020, segunda-feira, às 20h (horário de Brasília)

Ao vivo no www.instagram.com/femininehifi.

Sobre a Feminine Hi-Fi
O trabalho da Feminine Hi-Fi, fundada em 2016, foca na valorização do papel da mulher no contexto dos sistemas de som característicos da cultura jamaicana e na promoção da linguagem do reggae como expressão contra a opressão vinda das questões de gênero. As apresentações contam com discotecagem e intervenções de cantoras, singjays e MCs. Com duas passagens pela Europa, figurou entre os finalistas do Prêmio Melhores do Ano Guia da Folha 2019 como “Festa do Ano”. Além das apresentações musicais, a Feminine Hi-Fi possui as seguintes frentes de trabalho:

> Feminine Hi-Fi Lab: atividades de estímulo ao aprendizado e compartilhamento de informações (bate-papos, workshops, entrevistas, projetos online, produção de conteúdos especiais, exibição de documentários, oficinas).
> Feminine Hi-Fi Tunes: selo dedicado à gravação, promoção e distribuição musical com foco nas vozes femininas do reggae.

+ sobre o tema

Netinho: A cidade precisa servir a todos sem distinção de classe

"A cidade (São Paulo) precisa servir a todos sem...

Mulheres ganham em média 20,5% menos que homens no Brasil

As mulheres ganham cerca de 20% menos do que...

8 de Março – Mulheres sem-teto invadem prédio no centro de SP

Cerca de 200 mulheres ligadas a vários movimentos de...

para lembrar

Dilma recomenda Disque 100 para denunciar violência homofóbica

A presidenta Dilma Rousseff informou neste domingo (4) através...

“Virou Gay Agora?”

No sábado, quando orgulhosamente participei do I Encontro de Jovens Feministas...

Janot defende enquadrar homofobia como crime de racismo

O procurador-geral da República afirma que existe "clara ausência"...

Duas barreiras que afastam as mulheres da ciência

Elas recebem menos convites para avaliar o trabalho de...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=