II Festejo Raízes do Riso exalta comicidades negras em confluência aos saberes indígenas e bendiz a alegria como fundamento-ético

O espaço formativo Terreiros do Riso anuncia o festival “II FESTEJO: RAÍZES DO RISO”, entre os dias 5 e 11 de abril, que tem como fundamento a alegria das mais diversas produções culturais negras em confluência aos saberes indígenas. Reúne mais de 70 pessoas, entre artistas do riso, grupos tradicionais, palhaçes, mestris, professoris, pensadoris, pesquisadoris, músices, dançarines, referências e vozes que atuam na contramão da visão euroreferenciada sobre riso, alegria e comicidade e enaltecem expressões diaspóricas, originárias e contemporâneas, pouco reconhecidas nas academias, nos espaços formativos e mercado cultural. 

Esses sete dias serão suleados pela oralidade, ferramenta de expressão e conexão de uma geração a outra, e pela estética criativa da comicidade ancestral. A memória e a força dos saberes tradicionais serão acionados para fortalecimento do riso e da alegria como orientadores da luta, resistência, denúncia e celebração negra no Brasil. Exu, o senhor das encruzilhadas, responsável por transportar o axé, é guia nessa jornada, atuando também como modo de pensamento e fundamento epistemológico e filosófico. 

“Quando percebemos alegria como um fundamento ético, presente na sabedoria afro-diaspórica e indigena, estamos falando de cura. Não a cura como a ciência ocidental fomenta, mas sim uma sabedoria ancestral, uma cura que sustenta e firma nossa alma”, conta Vanessa Rosa, idealizadora e produtora do Festejo. 

O burburinho de abertura será regido por Vanessa Rosa, o Xirê de Abertura conta com as participações do Babalorixá Rodney William – “Exu é Alegria” e o Professor Muniz Sodré – “Alegria é Regência”. Quem fecha o primeiro dia são as Pastoras do Rosário com o show “Pastoras do Rosário em Libertador”. O festejo também terá a honra de receber Monilson Santos, Fabio Soares, Mestre Martelo, Mestre Zelão, Coral Amba Vera, Família Xamego, Rainhas do Radiador, Cia Catappum, Guerreiro Santa Madalena, Saloma Salomão,

Nirlene Nepomuceno, Cibele Mateus, Jongo de Tamandaré, Deise de Brito, Bartira Menezes, Cristiane Rosa, Yakuy Tupinambá, Dona Didi, Carolina Ferreira, Lilyan Telles, Luz Cabloca, Mafá Santos, Raquel Franco, Familia Menezes, Terreiro Encantado, Gê de Lima, Danna Lisboa, Mestra Aurinda do Prato. e educadores do Centro de Educação e Cultura Indígena Tenondé Porã. 

O evento é totalmente online e gratuito, com a transmissão das oficinas, rodas de conversa, exibição de documentário, brincadeiras tradicionais, espetáculos e shows de circo, teatro e música através das plataformas digitais do Terreiros do Riso. A programação completa pode ser conferida no Instagram. 

Sobre o Terreiros do Riso 

Com a matrigestão de Vanessa Rosa, educadora, artista do riso, atriz e produtora, Terreiros do Riso é um espaço de experimentação no campo da alegria como fundamento-ético, do riso e das comicidades afro-diaspóricas, afro-indígenas e dos saberes da periferia, ligada a região do Grajaú e Cidade Dutra – Extremo Sul de São Paulo, local onde Vanessa inicia sua caminhada nas artes em 2004. Em diálogo constante com o território, desenvolve processos formativos para adultos e crianças fincado no desejo de transmitir ensinamentos ancestrais e referências cômicas afro-indígenas e periféricas. 

Serviço 

Evento II FESTEJO: RAÍZES DO RISO 

De 05 a 11 de abril 

Online, via Facebook, Youtube e Instagram do Terreiros do Riso 

Classificação indicativa: livre 

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 

+ sobre o tema

Exposição homenageia Nelson Mandela com obras de sul-africanos em Londres

Uma pintura de Mandela realizada pelo retratista britânico Richard...

Leilão de escravos na Líbia causa indignação em toda a África

Jovens africanos na rota migratória para a Europa, vendidos em...

Procura-se: Leitores de Literatura Negra Feminina, Prêmio: Cultura da mais Alta Qualidade

Procura-se: Leitores de Literatura Negra Feminina Por Wilson Do Estante do...

para lembrar

A literatura afro-brasileira de autoria feminina: um estudo de Úrsula, de Maria Firmina dos Reis

Resumo: O romance Úrsula, escrito por Maria Firmina dos...

Pelé-estrela negra em campos verdes

"PELÉ-Estrela Negra em Campos Verdes", livro de Angélica Basthi,  editora: Garamond...

Noite para Dandara e Zumbi

Em celebração ao dia 20 de novembro, no Torto...

Campanha propõe a afirmação da identidade afrodescendente no Censo 2011

Pela primeira vez, em um Censo Nacional, os uruguaios...
spot_imgspot_img

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=