quinta-feira, abril 15, 2021

Tag: cultura

Deputada estadual eleita Renata Souza (PSOL) (Foto: Caio Oliveira/Divulgação)

13 de abril: dia de celebração e luta para as mulheres do samba

“Não chora, meu bem, que dias melhores já vêm”. Num tempo em que atravessamos a pandemia do Coronavírus – a maior dos últimos cem anos -, os versos compostos e cantados lindamente por Dona Ivone Lara, que completaria 99 anos hoje, ecoam em nossos ouvidos como um acalanto, como força para seguirmos na luta. Vivemos o período mais duro e cruel da crise sanitária e humanitária em nosso país. Hospitais lotados, falta de vacina e um Governo Federal que se recusa a amparar a população e proporcionar isolamento digno aos brasileiros: esse é o grave quadro que enfrentamos. E nesse cenário crítico, a Cultura é um dos setores mais afetados. E as rodas de samba, cuja a essência e a engrenagem não se reproduzem virtualmente, é uma das manifestações culturais mais abaladas por essa situação. Produtoras, cantoras, compositoras, instrumentistas, empreendedoras, cozinheiras, djs: são incontáveis as mulheres do samba que são ...

Leia mais
Divulgação/FIXE

Plataforma FIXE seleciona jovens curadores bolsistas da periferia de São Paulo

A nova plataforma multilinguagem FIXE (lê-se “fiche”, gíria portuguesa que significa legal, com estilo e boas qualidades), que reúne a nova produção artística e cultural de países e regiões lusófonas, anuncia chamamento de jovens curadores bolsistas da periferia de São Paulo. Idealizada e dirigida pela empreendedora cultural Fabiana Batistela, que também é diretora geral da Semana Internacional de Música de São Paulo (SIM São Paulo), a FIXE vai selecionar seis jovens colaboradores para desenvolver um trabalho de pesquisa e curadoria artística. A atuação de cada colaborador abrange as expressões do Festival Fixe: música, cinema (audiovisual), artes visuais, literatura, teatro e gastronomia, revelando outros jovens talentos das periferias da capital paulista para o Portal FIXE.   Cada pesquisa será desenvolvida por um mês, com mentoria indicada pelo projeto e o resultado será compartilhado em destaque nas redes sociais e portal do FIXE. O trabalho, que busca dar visibilidade à nova produção artística, vai revelar 36 novos talentos legitimados ...

Leia mais
Foto: Divulgação

SescTV exibe e disponibiliza sob demanda curtas que destacam produções de mulheres negras

O SescTV disponibiliza sob demanda e exibe no canal curtas-metragens que vão ar a partir do dia 1º de abril, todas as quintas feiras, às 22h. As produções complementam o ciclo de curtas metragens "Mulheres Negras no Audiovisual", que começaram a ser exibidos durante o mês de março no canal. Os curtas-metragens "Barco de Papel", de Thais Scabio; "Corações Encouraçados", dirigido por Jamile Coelho e Cintia Maria; e "Cinzas", de Larissa Fulana de Tal serão exibidos na faixa +Curtas, composta por filmes de curta duração, documentais e ficcionais, produzidos no Brasil e no exterior. Sob a curadoria da cineasta Renata Martins, o ciclo Mulheres Negras no Audiovisual apresenta um recorte da produção recente em curtas-metragens feitos por mulheres negras, que dão visibilidade ao protagonismo negro e ao combate ao racismo. Todas as histórias podem ser assistidas em casa, na plataforma do SescTV, gratuitamente e sem necessidade de cadastro. Na animação ...

Leia mais
Christian Ribeiro (Foto: Arquivo Pessoal)

Pixinguinha, o samba e a construção do Brasil moderno

A inserção do Brasil no chamado “mundo moderno” foi a grande busca civilizatória de nossas elites entre final do século XIX e a primeira metade do século XX. Um país que almejava se equiparar as grandes nações da Europa Ocidental, em especial França e Reino Unido, tornando-se buscando galgar padrões de conjuntos sociais estranhos as nossas sociabilidades e historicidades, visando a construção de uma sociedade nacional europeia na parte sul da América, baseada em padrões de poder e desenvolvimento social, cultural e econômico em que prevalecesse um padrão único de identidade nacional, que deveria ser “branca, cristã (católica) e conservadora”. Elitismo civilizatório que resultou na literal demonização de nossas origens e características sociais e culturais, de nossas raízes civilizacionais, indígenas e negras, na desvalorização pura e simples de nossa verve popular enquanto sinônimo de barbarismo e atraso civilizatório, principais fatores de nosso atraso social e econômico e impedimento ao nosso ...

Leia mais
Divulgação

II Festejo Raízes do Riso exalta comicidades negras em confluência aos saberes indígenas e bendiz a alegria como fundamento-ético

O espaço formativo Terreiros do Riso anuncia o festival “II FESTEJO: RAÍZES DO RISO”, entre os dias 5 e 11 de abril, que tem como fundamento a alegria das mais diversas produções culturais negras em confluência aos saberes indígenas. Reúne mais de 70 pessoas, entre artistas do riso, grupos tradicionais, palhaçes, mestris, professoris, pensadoris, pesquisadoris, músices, dançarines, referências e vozes que atuam na contramão da visão euroreferenciada sobre riso, alegria e comicidade e enaltecem expressões diaspóricas, originárias e contemporâneas, pouco reconhecidas nas academias, nos espaços formativos e mercado cultural.  Esses sete dias serão suleados pela oralidade, ferramenta de expressão e conexão de uma geração a outra, e pela estética criativa da comicidade ancestral. A memória e a força dos saberes tradicionais serão acionados para fortalecimento do riso e da alegria como orientadores da luta, resistência, denúncia e celebração negra no Brasil. Exu, o senhor das encruzilhadas, responsável por transportar o ...

Leia mais
Foto: Divulgação

Festival Bixanagô começa nesta semana com exposição inédita e shows de Tássia Reis, Rico Dalasam e outros destaques da cena preta e LGBTQIA+

Começa nesta semana a edição de 2021 do Festival Bixanagô Bixanagô - Empoderamento e Estética Negra, que chega chegando totalmente online no dia 21 de março, Dia Internacional contra a Discriminação Racial, e segue nos dias 25, 26 e 27. A programação é aberta com uma exposição inédita e traz shows, rodas de conversa e oficinas para todas, todos e todes. Com curadoria de Micaela Cyrino e Paulete Lindacelva, a exposição de abertura “Como quebrar uma linha”, no sábado (21), reúne um grupo de cinco artistas que se aprofundaram em suas travessias - caminhos - e inquietações, entre contextos históricos e sociais, de afetação dos corpos, das almas e a amálgama que todos esses espaços preenchem. São eles: Alexandre dos Anjos, Karolyne Kimberbeli, Mayara Amaral, Micaela Cyrino e Manauara Clandestina. “Cada um dos artistas escolhidos tem sua própria trajetória e nós, o público, precisamos acompanhar e conhecê-los para desfazer esse ...

Leia mais
Kamille e o disco de Jorge, África Brasil (Foto: Daniela Dacorso/Divulgação)

O mistério de “África Brasil” (e de Jorge Ben)

O disco África Brasil, de Jorge Ben, lançado em 1976, lamentavelmente nunca foi reeditado com faixas bônus ou gravações ao vivo da época. É uma das coisas que faltam para completar o álbum de figurinhas de uma das obras mais significativas da história da música popular brasileira, porque o LP de Jorge ganhou recentemente uma biografia contando não apenas histórias sobre os bastidores e sobre as músicas, como também, no mesmo livro, uma radiografia bem interessante da vida do cantor naquele período. África Brasil: Um dia Jorge Ben voou para toda a gente ver, escrito pela jornalista carioca Kamille Viola (que passou por redações como as de O Dia e O Globo, e é colaboradora de Marie Claire, Trip e outros veículos) saiu pela coleção Discos da Música Brasileira e, além de mostrar a origem do disco que tem faixas como Xica da Silva, A história de Jorge e Umbabarauma ...

Leia mais
Figura 5. Capa da HQ Tintim na África

África em Quadrinhos

Introdução Os estudos sobre a História da África apresentam-se como essenciais para que se desconstrua uma visão tacanha que é reproduzida durante séculos, tratando o continente Africano como um único país, e apresentando a História da África como uma história de atraso, onde todos eram menos desenvolvidos, e nesse sentido, a Europa trouxe a “luz para as trevas”. Se faz necessário remover, abrir passagem, e constituir novos caminhos epistemológicos que permitam uma percepção adequada de nosso riquíssimo patrimônio africano-brasileiro (LUZ,2009). Hoje é necessário perceber a contribuição da Herança Africana para o mundo, e repensar todo o conhecimento que aprendemos, pois, até então, ouvíamos uma história vinda de um estudo etnocêntrico, onde à Europa detinha todo o conhecimento do mundo, e apresentava-se como a de “civilização”. Pois, para estes (europeus), o outro (negro) torna-se entãoreferência sinônimo de ser primitivo, inferior, dotado de uma mentalidade pré-lógica (MUNANGA, 2012). Torna-se importante para nós ...

Leia mais
Anderson Mariano de Santana Santos (Foto: Reprodução/ Instagram)

Negros não viajam no tempo

Quem nunca respondeu a esta pergunta: Se você pudesse voltar no tempo, o que faria? Essa simples premissa já serviu de norte para histórias incríveis da cultura pop. Livros, filmes, séries, quadrinhos, a quantidade de narrativas que jogam seus personagens para algum período do passado é enorme. Normalmente, essas histórias estão envoltas a questões tecnológicas muito avançadas, tendo, muitas vezes, como personagens cientistas com grau elevado de conhecimento. Apesar de se basear no ficcional, parece que imaginar negros viajando no tempo é a ainda mais irreal do que a própria viagem em si. Talvez seja por que os negros não querem correr o risco de esbarrar no passado... talvez não. O cinema já construiu diversas narrativas de viagem no tempo em seus diversos gêneros. Comédia, terror, ficção científica, ação... Um bom roteirista consegue encaixar essa premissa em todos os gêneros possíveis. O primeiro registro de uma narrativa com essa temática ...

Leia mais
Foto: Divulgação

Núcleo da Maré ao Luar apresenta espetáculo “Resiliência” em projeto aprovado na Lei Aldir Blanc

Temporada virtual de “Resiliência” terá parceria com a Rádio JHP (Jovens Haitianos Progressistas) De 12 a 21 de março de 2021, às sextas-feiras, sábados e domingos, sempre às 20h00, o Núcleo da Maré ao Luar, grupo de São Bernardo do Campo - SP, realiza apresentações virtuais do espetáculo “Resiliência” em seu canal do Youtube: bit.ly/nucleodamareaoluar “Resiliência” é um espetáculo criado a partir das memórias de vida de imigrantes haitianos, angolanos, congoleses e dominicanos, trazendo sua cultura e história para dar vida aos diálogos e narrativas, que mesclam o passado vivido por eles em suas terras natais e o presente, a esperança por uma vida melhor. O Núcleo da Maré ao Luar fará uma temporada virtual que contará com seis apresentações gratuitas e está programando uma ação especial com a Rádio JHP (Jovens Haitianos Progressistas) com sede no Bairro de Utinga, em Santo André, que atua fortalecendo laços com conterrâneos no ...

Leia mais
Foto: Ju Matemba

Carimbó Cobra Venenosa apresenta a lenda da “Flor de Mururé” em clipe de curta-metragem

São Paulo, março de 2021 – Um menino, que saiu vestido de menina, foi agredido e teve seu corpo jogado nas águas dos rios da Amazônia. Ao submergir, voltou em forma da flor de mururé, uma planta aquática com características femininas e masculinas, de origem amazônica, muito comum na região do Afuá (Ilha do Marajó - PA). Essa é a lenda da “Flor de Mururé”, repassada de forma oral pelas antepassadas de Naraguassu Pureza da Costa (54 anos), uma figura lendária do Afuá, que manteve viva a tradição ancestral da pajelança amazônica. Com inspiração na lenda e com a música “Flor de Mururé”, o grupo paraense Carimbó Cobra Venenosa lança seu primeiro videoclipe, em formato de curta-metragem, dirigido por Marcos Corrêa e Priscila Duque. A obra é uma ode à beleza, às encantarias e ao poder feminino amazônico e, por isso, é lançada no dia 8 de março, Dia Internacional ...

Leia mais
(Foto por: Anna Maria Moura/ Coletivo Quariteré)

Biblioteca comunitária dedicada à cultura africana e afro-brasileira é inaugurada em Cuiabá

Foi inaugurada na manhã desta quarta-feira (03.03), a Afroteca Comunitária Carolina Maria de Jesus. A biblioteca fica localizada no Centro Cultural Casa das Pretas, Praça Conde de Azambuja, nº 25 (casarão em frente à Praça da Mandioca), no centro histórico de Cuiabá. O projeto foi contemplado pelo Edital MT Nascentes da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT). O projeto consiste em compor acervo bibliográfico temático, disponibilizado para a população cuiabana e mato-grossense, de diversas faixas etárias, que poderão realizar consultas no local para obter dados, acessarem pesquisas, conhecer e reconhecer as contribuições africanas e afrodescendentes nas diversas áreas do conhecimento. A biblioteca conta com 450 livros, nos gêneros: infantil, Infantojuvenil, adulto e pesquisa científica. Para Antonieta Luisa Costa, proponente do projeto, a palavra chave é representatividade. “A Afroteca é um lugar de conhecimento histórico e atual, de memórias e lutas do povo negro, onde autores e autoras ...

Leia mais
Foto: Divulgação

Boitempo realiza ciclo de debates internacional e curso sobre o pensamento feminista negro

Em comemoração ao Dia da Mulher, a Boitempo realiza na próxima semana, de 8 a 12 de março, o curso Introdução ao pensamento feminista negro e o ciclo de debates internacional Por um feminismo para os 99%. O curso terá seis aulas semanais, tendo início em 8 de março – data que celebra o Dia Internacional da Mulher. As aulas acontecem sempre às segundas-feiras, às 11h. Já o ciclo de debates, viabilizado pela Lei Aldir Blanc, contará com 24 pensadoras e ativistas de cinco nacionalidades diferentes. O evento acontece durante o mês de março, nos dias 10, 17, 24 e 31, sempre às 14h. A programação foi inspirada pelo livro Feminismo para os 99%, escrito por Cinzia Arruzza, Tithi Bhattacharya e Nancy Fraser, e publicado pela Boitempo em 2019. Chamando atenção para as mulheres da classe trabalhadora, o objetivo é discutir as premissas de um feminismo incondicionalmente internacionalista e anticapitalista, ...

Leia mais
Foto: Divulgação

Grandes cordelistas têm encontros marcados com os novos tempos, de 6 de março a 24 de abril

Não é de hoje que a literatura de cordel faz o coração do pesquisador Fernando Assumpção bater na cadência das rimas. Nos idos de 2010, ele atuava na equipe que batalhou, junto ao Iphan, para emplacar, em 2018, o cordel como patrimônio imaterial da Brasil. Agora Fernando sonha em tocar a Amo Cordel, uma associação fundada por ele e já repleta de projetos que valorizam a manifestação cultural que teve início em Portugal, no século XII, com os trovadores medievais. O primeiro deles vêm aí: Encontro Virtual com Poetas Populares. Ao todo, o projeto vai apresentar os versos e a prosa de 16 grandes cordelistas – do sergipano octogenário João Batista Melo, com mais de 150 livretos publicados e carta da ONU, até o capoeirista carioca Victor Lobisomem, beirando os 5o anos – alinhavados em oito temas, com dois artistas por vez, em conversas ao vivo mediadas por estudiosos e ...

Leia mais
Espetáculo Negra Palavra | Solano Trindade (Foto: Mariama Prieto)

Identidades negra e indígena são tema do Palco Virtual de cênicas com leituras e espetáculos em construção de teatro e dança

O Itaú Cultural abre a programação Palco Virtual de março com uma série de apresentações de teatro e dança do dia 4 ao dia 7 (quinta-feira a domingo), guiada pela temática identitária. Mantendo a proposta de dar luz à dramaturgia brasileira em trabalhos que estão sendo construídos, apresenta as leituras inéditas de Sob o Céu de Paris, da premiada dramaturga Gabriela Rabelo, na qual quatrocentões brancos têm que lidar com o racismo a partir da neta negra, e Amora Paulada, com texto e direção de Renato Gama sobre as masculinidades, afetividades, paternidades e subjetividades do homem negro de meia idade. Por sua vez, a Companhia de Teatro Íntimo e o Coletivo Preto apresentam Negra Palavra | Solano Trindade, em cima da vida e obra do poeta pernambucano que dá nome ao espetáculo. Uma dobradinha de dança fecha a programação com o curta-metragem Baobá, sobre a identidade étnica que está por ...

Leia mais
Viviane Ferreira (Foto: Imagem retirada do site Glamurama)

Cineasta Viviane Ferreira será a nova diretora-presidente da SPCINE

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, anuncia que a cineasta e advogada Viviane Ferreira será a nova diretora-presidente da SPCine. Especialista em políticas do setor audiovisual pela UNB e advogada com atuação voltada para o direito público, Viviane assume a empresa municipal do cinema com a missão de dar continuidade ao trabalho de amparo e desenvolvimento do setor audiovisual na cidade. Nascida em 1985 na cidade de Lauro de Freitas, criada no bairro do Coqueiro Grande, em Salvador, na Bahia, Viviane é moradora de São Paulo há mais de uma década. Ela dirigiu o longa-metragem Um Dia Com Jerusa (2020), exibido com destaque em eventos como o Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e o Festival de Tiradentes; documentários como Pessoas – Contar Para Viver (2019); e o curta O Dia de Jerusa (2014), que esteve ...

Leia mais
Imagem retirada do site DASartes

Monumentos de São Paulo apagam a história de negros e indígenas, mostra estudo

Dos mais de 360 monumentos que homenageiam personalidades e fatos históricos da cidade de São Paulo, menos de 3% representam pessoas negras e indígenas. É o que mostra novo levantamento realizado pelo Instituto Pólis, que avaliou obras presentes no município, a fim de identificar como essa população é representada na história visual da cidade e contribuir com informações para o debate público sobre os monumentos oficiais registrados pela Prefeitura de São Paulo. O Instituto Pólis avaliou 367 monumentos expostos pela capital paulista. Desses, 200 retratam figuras humanas, apenas 5 são de pessoas negras, sendo 4 figuras masculinas e uma feminina. Em relação a representações de indígenas, 4 estátuas trazem a temática, todas de figuras masculinas. Monumentos em homenagens a homens brancos somam 137 obras. O estudo foi feito a partir de dados da plataforma GeoSampa e está disponível na íntegra em https://polis.org.br/estudos/presencanegra/. De acordo pesquisadores do Pólis Cássia Caneco e ...

Leia mais
Foto: Divulgação

Sarau Poética da Macumba ocorre sábado (21) no YouTube

No próximo sábado (21), às 17h, Latitudes Africanas organiza o Sarau Poética da Macumba, que será transmitido em seu canal do YouTube. O Sarau Poética da Macumba é uma atividade artístico-cultural pan-africana e internacional que visa proporcionar reflexões em torno do Mês da Consciência Negra. O objetivo é receber artistas e poetas negros/as do Brasil, Colômbia, Guiné-Bissau, México e República Democrática do Congo. Será mediado por Cicí Andrade, cantautora, estudante de Antropologia em Unila, cria de Saraus da Zona Sul de SP, e que desenvolve sua arte de maneira independente, e por Bas´Ilele Malomalo, natural da RDCongo, filósofo, poeta e coordenador de Latitudes Africanas/Unilab. Entre os convidados, conta-se com a presença de Chay C., músico compositor, produtor afromexicano do estado de Oaxaca, membro e fundador do grupo “Aguaje Ensamble”, projeto que busca dar visibilidade ao povo afromexicano. Jônatas Petróleo, sambista paulista, ativista sociocultural e professor de música. Alicia Reyes, comunicadora ...

Leia mais
Arquivo Pessoal

As tantas porteiras desnecessárias

“Por que está dentro de mim, se porteira é coisa que existe fora? Me abro para você sair.” Achei estas frases, escritas por mim, perdidas na agenda. E se juntaram a algo que venho pensando há um tempinho. Quantas demandas que nós, pretos e pretas, temos que dar conta para, simplesmente, sermos pretas e pretos. Tantas porteiras fincadas. Quem colocou porteira aqui e acolá? No terreiro, é dizer, que já ouvi algumas vezes: “da porteira para fora é uma coisa, da porteira para dentro é outra”. Orientando nossos maus-modos-e-maus-costumes de cultura não-preta, que não são bem-vindos ali na roça. Entendi por muito tempo. Concordei.  Concordo até chegar na frente da porteira, saindo do terreiro e indo para casa: eu não quero ser outra quando atravessar a cancela. Quero levar comigo o que vivi aqui estes dias. Levar em mim o bocadinho-de-novo, que aprendo em todo canto e tempo, dentro do ...

Leia mais
Divulgação

Curso: Espaços culturais – lugares de livre associação

A Comunidade Cultural Quilombaque, movimento político étnico cultural regido pelos tambores, localizado no bairro de Perus-SP, está ameaçado de perder o seu espaço físico para a especulação imobiliária. Foram intimados a entregar o espaço, caso não ocorra a compra do terreno, porém o valor e o prazo estimado para a aquisição são incompatíveis com o orçamento da comunidade. Ao longo desses quinze anos de resistência no bairro, várias conquistas foram alcançadas, porém sabemos que ainda há muitos desafios a serem consolidados e um deles é a permanência nesse espaço (anteriormente um lugar de abandono e altamente degradado), construído coletivamente com grande valor afetivo e transformado em um ponto de referência cultural para o bairro e para a cidade de São Paulo. Por essa razão eles lançaram a campanha #FICAQUILOMBAQUE (link para contribuição: http://vaka.me/1341779) para arrecadação de dinheiro para a permanência de sua sede. Sendo assim, o coletivo Margens Clínicas oferece ...

Leia mais
Página 1 de 3 1 2 3

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist