Geledés Instituto da Mulher Negra elege nova presidenta

Artigo produzido por Redação de Geledés

Geledés Instituto da Mulher Negra realizou nesta sexta-feira (23),  sua Assembleia Geral Ordinária que elegeu o novo Conselho Diretivo Executivo e empossou a Doutora Antonia Aparecida Quintão como presidenta da organização e a Doutora Sonia Maria do Nascimento como vice-presidenta. 

A reunião, que ocorreu de forma remota, também aprovou nossa Política de Compliance, e referendou a indicação das novas associadas de Geledés: Neon Cunha, Rafaella Reis de Oliveira e Viviana Santiago.

 

Sobre a nova presidenta de Geledés

Antonia Aparecida Quintão é Coordenadora de Cursos de Educação Continuada do Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA) da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Membro do Grupo Identidade e profissionalidade docente: desafios e perspectivas para a formação e atuação docente na área de negócios, na Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (ANPAD). É professora adjunta no Centro de Ciência Sociais e Aplicadas da Universidade Presbiteriana Mackenzie, pesquisadora no Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (Portugal), no Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares do Negro Brasileiro na Universidade de São Paulo e no Núcleo de Estudos em Liderança e Diversidade nas Organizações da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Linha de Pesquisa: Estudo sobre Relações Raciais no ambiente organizacional. 

Concluiu no ISCTE-IUL a pesquisa internacional: Relações Brasil-África: Aspectos Político-Estratégicos, Econômicos e Histórico-Culturais. Referência do projeto: PTDC/AFR/110095. O resultado desta pesquisa foi a proposta de publicação do livro: Brazil-Africa Relations Historical Dimensions and Contemporary Engagements, publicado em maio de 2019 pela Editora James Currey no Reino Unido. É autora do sexto capítulo intitulado: Africa in Brazil: Slavery, Integration, Exclusion.

Cursou a graduação, mestrado e doutorado na Universidade de São Paulo, tendo realizado parte de suas pesquisas em Lisboa, por ter sido agraciada com uma Bolsa de Estudos do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal. Também tem experiência na área de formação de professores, tendo lecionado várias disciplinas na Pós-Graduação para os cursos de Formação Docente, Didática para o Ensino Superior, Relações Internacionais, Gestão de Negócios, Pedagogia Empresarial e Gestão de Pessoas, entre outras. 

Participa como professora convidada no curso: “Aspectos da Cultura e da História do Negro no Brasil”, promovido pelo Centro de Estudos Africanos da Universidade de São Paulo. Seus livros encontram-se em dezenas de universidades internacionais, entre elas as Universidades de Zurich, Toronto, Amsterdam, Oxford, Harvard, Princeton.

 

Vice Presidenta

Sônia Maria Nascimento foi eleita vice-presidenta. Ela é advogada, fundadora de Geledés – Instituto da Mulher Negra, tendo ocupado a presidência por duas gestões, no período de 30 de abril de 1994 a 30 de abril de 2000.

No Programa de Direitos Humanos de Geledés coordenou os seguintes projetos: SOS – Racismo de Assessoria Jurídica às Vítimas de Discriminação Racial de 1994 a 1998, e o projeto Atendimento Psicossocial às Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Sexual. 

Foi uma das coordenadoras do projeto PLPs – Promotoras Legais Populares de Geledés; integrante da Comissão do Negro e Assuntos Antidiscriminatórios – CONAD da OAB/SP;  da Coordenação Região Sudeste do Movimento Nacional de Direitos Humanos; da Executiva da Comissão da Mulher Advogada da OAB/SP, na gestão 2000 a 2003; da Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP, na Sub-Comissão do Negro da OAB/SP; da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, na gestão de 1997 a 2003, onde coordenou a Subcomissão Contra a Discriminação nas Relações de Consumo, tendo realizado o projeto “OAB vai para a periferia” em 1997/98 e coordenou o “Curso de Capacitação em Direitos Humanos, Cidadania e Discriminação nas Relações de Consumo” para oficiais, sargentos, cabos e soldados da Policia Militar do Estado de São Paulo, numa parceria OAB/SP e o Comando da Policia Militar de São Paulo, de agosto a novembro de 1999 e curso sobre o mesmo tema em 2001 e 2002 para soldados e cabos.

 

+ sobre o tema

A comissão em prol da vida

Ex-ministros de vários governos e ativistas de direitos humanos...

Uma liderança em Ferraz de Vasconcelos

A voz que atendeu a reportagem de Geledés por...

Uma negra na contramão das estatísticas

A reportagem abaixo inicia a série Geledés- Retratos da...

Pacto Nacional do Poder Judiciário para a Equidade Racial

No último dia 25 de novembro, Geledés-Instituto da Mulher...

para lembrar

8 de março: os desafios por justiça racial e de gênero

Ao refletirmos sobre a situação das mulheres negras na...

“A escravidão não oferece resposta para tudo”

Neste 13 de maio, são 132 anos da assinatura...

“A poesia nos une pela cor, pela dor e pelo amor”, diz o poeta Sérgio Vaz

Mineiro de Ladainha, o aclamado poeta da periferia, Sérgio Vaz, chegou à periferia de São Paulo, aos quatro anos. Através do pai, desde menino,...

“Há um racismo velado, naturalizado, e por muitas vezes explícito na escola”, diz Elenir Fagundes Freitas

Assim como milhares de crianças negras, Elenir Fagundes Freitas, enfrentou situações de racismo no ambiente escolar. Logo na primeira série, na hora da fila,...

“Não sofro com a discriminação racial, mas aproveito o espaço da mídia para denunciar, combater. E vejo isso como uma missão”, afirma a atriz...

Aos 74 anos, a atriz e cantora Maria José Motta de Oliveira, mais conhecida como Zezé Motta, está a todo vapor, em plena gravação...
-+=