Graciliana Selestino Wakanã: ‘O que a gente quer é viver bem’

Graciliana Selestino Wakanã, do povo Xucuru Kariri, fala sobre Bem Viver, a situação das mulheres indígenas no Nordeste do Brasil, e nos conta um pouco de sua trajetória de luta. Por Carmen Silva e Paula de Andrade.

Por Carmen Silva e Paula de Andrade

“O que a gente quer é Viver Bem” – Entrevista com Graciliana Selestino Wakanã

Em outubro, durante os Diálogos Interculturais sobre o Bem Viver no Brasil,1 entrevistamos Graciliana Selestino Wakanã, uma das referências da trajetória do povo Xucuru Kariri, do município de Palmeira dos Índios, no Estado de Alagoas.

Os Diálogos nasceram do desejo de trazer à tona as convergências e diferenças entre os modos de pensar e de viver das mulheres indígenas e das não indígenas no Brasil. O propósito era perceber o que nos unia e aproximava, e o que era diferente e precisava ser respeitado e dialogado, em meio a reflexões que nos ajudassem a ponderar sobre o que poderíamos fazer juntas, sabendo-se que, separadas, já fazemos muitas coisas.

Que mundo queremos para viver? Como pensamos que pode ser feita sua transformação? Como desejamos a relação entre mulheres, entre mulheres e homens, entre seres humanos e natureza, as relações nas comunidades e no Estado etc. Participaram 16 indígenas: algumas “cacicas”,2 outras vice-“cacicas”, integrantes de diversas organizações,3 além de várias que se destacaram na luta pela regularização de territórios indígenas. Entre todas, lá estava Graciliana, hoje com 37 anos, que já integra o Comitê Intertribal de Mulheres Indígenas/Nordeste (Coimi/NE) e, em meio aos Diálogos Interculturais, refletiu sobre a participação política das mulheres indígenas, os conflitos e os desafios que enfrentam nas relações dentro e fora da aldeia.

 

 

 

Fonte: SOScorpo

+ sobre o tema

Psicóloga paranaense é cassada por prometer ‘cura gay’

O SERVIÇO PRESTADO PELA PSICÓLOGA É CONSIDERADO OFENSIVO À...

Ministra Luíza Bairros – A prioridade de sua Secretaria é o combate à mortalidade de jovens negros

A gestora da Secretaria Especial de Promoção da Igualdade...

Tecnologia auxilia articulação de rede contra o racismo

A Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, ainda...

para lembrar

“Os homens avançam mais rápido na carreira porque não têm o trabalho doméstico nas costas”

Hildete Pereira de Melo é economista da Universidade Federal...

Justiça alemã obriga homem a deletar imagens íntimas de ex-namorada

Uma briga entre ex-namorados acabou na Justiça alemã por...

8 de março, celebrar o que? Nós, mulheres negras marchamos

8 de março, dia internacional da mulher, o que...

Unesco reconhece união homoafetiva como patrimônio mundial

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de reconhecer,...
spot_imgspot_img

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Novas pesquisas mostram que meninas nos EUA estão tendo sua primeira menstruação mais cedo. A exposição ao ar tóxico é parcialmente responsável. Há várias décadas, cientistas ao redor do...

Leci Brandão recebe justa homenagem

A deputada estadual pelo PC do B, cantora e compositora Leci Brandão recebe nesta quarta (5) o Colar de Honra ao Mérito Legislativo do...
-+=