terça-feira, dezembro 6, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaEntretenimentoGrupo Afrolaje no Quilombo Sacopã 20 de novembro - 15h

Grupo Afrolaje no Quilombo Sacopã 20 de novembro – 15h

Homenageado no Dia Nacional da Cultura (05\11) com a Medalha da Ordem do Mérito Cultural Carioca, o Grupo Cultural Afrolaje, está com a agenda de novembro repleta de atividades, entre oficinas, ensaios e apresentações.

Após ser destaque na 24ª edição projeto Sonora Brasil, do Sesc Rio, o grupo está entre os convidados da programação alusiva ao Dia de Zumbi dos Palmares, no Quilombo Sacopã.

O Quilombo participa do Novembro Negro 2022, promovido pela Prefeitura do Rio abrindo suas portas às 10h, de domingo para uma extensa programação: música, poesia, documentário, roda de conversa e a tradicional Feijoada.

A roda de jongo com Grupo Afrolaje será às 15h. 

Flavia Souza (Foto: Grupo Arolaje)

Serviço: 

O Que? Roda de Jongo com Grupo Afrolaje no “Novembro Negro” do Quilombo Sacopã  

Quando? 20 de novembro, Domingo, às 15h 

Onde? Quilombo Sacopã – Rua Sacopã\Fonte da Saudade, 250 – Lagoa 

Quanto? R$40,00, com direito à Feijoada 

Sobre o Grupo

A Associação Cultural Grupo Afrolaje – dança música, percussão e pesquisa – foi fundada, em 2012, no Engenho de Dentro, pela coreógrafa, atriz e professora e ativista cultural Flavia Souza e pelo professor de capoeira Ivan Karu.  

A proposta surgiu na laje da casa de Flavia, como uma releitura da ressignificação da laje das casas de comunidades carentes do Rio de Janeiro, lugar reconhecido como um espaço de encontro de guetos e foco de resistência cultural. 

Formado por crianças, jovens e adultos em sua maioria negros/as, que vivem em desvantagem social e econômica, o Afrolaje através das manifestações artísticas busca resgatar a identidade cultural de matriz africana que tanto influenciou na formação cultural do país.  

Com jongo, samba, capoeira angola entre outras manifestações de patrimônio imaterial, desenvolve diversos projetos, entre os quais, a Roda Cultural mensal na Praça Agripino Grieco\Méier – com o intuito de ocupação e do espaço público e resistência da cultura afro brasileira – e o Memória Ancestral, criado em 2020, de forma virtual, com foco no diálogo com mestras e mestres populares e na visibilidade de seus saberes. 

Realizou apresentações no Theatro Municipal do Rio, Teatro Carlos Gomes, Circo Voador, Engenhão, Festival Madalenas em Berlim, turnê pela Itália, Olimpíadas 2016, além de diversos shows e oficinas no Brasil e exterior.  

Reconhecido como Ponto de Cultura pelo Ministério da Cultura e agraciado com diversos prêmios:  

Medalha da Ordem do Mérito Cultural Carioca\ Prefeitura Rio de Janeiro, 2022 

Menção Honrosa Ubuntu, no Teatro Carlos Gomes, 2020  

Fazedores do Bem, pelo recorde de inserções em mais de 300 escolas, 2017 

Berimbal de Ouro Mestre Naldinho, 2014 

Prêmio Ações Locais, 2015. 

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench