Grupo protesta contra ato de racismo no supermercado Dia

Mulher negra foi acusada por segurança do estabelecimento de ter roubado pacote com peixe congelado

Do A Cidadeon

Foto: Luciano Claudino/código19

O grupo ativista Feminismo Negro Interseccional Campinas – Coletivo Lélia Gonzalez protestou na noite desta quinta-feira (7) contra um suposto ato de racismo praticado por um funcionário do supermercado Dia na Rua Delfino Cintra, centro de Campinas.

Segundo a denúncia do grupo, o ato foi cometido no último dia 24 de maio. Rosana Meneses, que integra o coletivo, foi abordada por um segurança do supermercado após deixar o estabelecimento, e foi acusada por ele de ter roubado uma bandeija de peixe congelado.

Rosana diz que apenas consultou o preço do produto, mas como achou caro, decidiu não comprar e devolveu o pacote à geladeira do supermercado.

O segurança disse que as câmeras de monitoramento teriam comprovado o roubo. Ele a conduziu de volta ao supermercado, e a vítima chamou advogados ligados ao grupo antirracista. Quando eles chegaram, foram informados que não seria possível dar a identificação do segurança.

Os funcionários disseram ainda que a segurança é feita por uma empresa terceirizada.

Rosana e o grupo Feminismo Negro classificam o ato como racismo. Um boletim de ocorrência foi registrado no 1º Distrito Policial como injúria racial.

No protesto desta noite, cerca de 50 manifestantes seguraram cartazes em frente ao Dia da Delfino Cintra e pediram o boicote da rede. A unidade fechou as portas antes do fim do expediente.

OUTRO LADO 

Em nota, a Rede Dia disse que está apurando o caso e informa que já notificou o franqueado proprietário da loja.

“O Dia repudia comportamentos discriminatórios de quaisquer naturezas e, com relação ao caso em questão, já solicitou ao franqueado que empresa de segurança que presta serviços à loja realize o afastamento do profissional até que o fato seja esclarecido, o que foi prontamente atendido”, disse.

A empresa afirmou ainda que “preza por relações respeitosas com todos os públicos com os quais se relaciona, em especial seus clientes, e, por isso, realiza treinamentos frequentes com as equipes de atendimento das lojas e aos parceiros de negócios”.

+ sobre o tema

Leci Brandão sai em defesa da Vai-Vai: ‘Nenhuma instituição está acima da crítica’

'A crítica social é necessária na medida em que...

Nota de esclarecimento GRCSES VAI-VAI

Em 2024, a escola de samba Vai-Vai levou para...

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO),...

para lembrar

Haitianos gravam vídeo em resposta às críticas de Luciano Huck

“Depois do que vi, acho que a humanidade não...

Atriz Adriana Alves e chef Olivier Anquier respondem a comentários racistas

Frases foram escritas em uma foto do casal, feita...

Famílias de vítimas pedem que Alemanha fecha enclave nazista criado no Chile

Santiago do Chile, 13 jul (EFE).- As famílias de...

Canal Viva: Globo é obrigada pela Justiça a editar suposta cena de racismo em reality

TV Globo foi surpreendida por uma decisão da Justiça,...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=