ILHÉUS: Professor é preso por raciso

Fonte: Pimenta na Muqueca –

 

O professor Saulo da Cruz Ramos, que é também aspirante da PM, encontra-se preso na carceragem da 7ª Corpin, em Ilhéus, sob acusação de racismo. Na madrugada deste sábado, no bar Mar Aberto, zona sul ilheense, ele teria usado palavras discriminatórias contra Jamile Catarino Pacheco.

No registro da ocorrência, consta que Ramos referiu-se a Jamile como “neguinha de cabelo chapado” e chegou a afirmar que, com ele, “preto não tem vez”.

As imbecilidades ditas pelo professor, exatamente um dia após a data em que se comemora a Consciência Negra, devem estar lhe causando sério arrependimento. Como racismo é crime inafiançável, não se sabe quando o ser de mentalidade pré-histórica sairá do xilindró.

Matéria original

+ sobre o tema

“Estava a visão do inferno”

Policial que participou do massacre do Carandiru conta para...

Sete a um é pouco para a derrota da política social

Pode ter sido revival do trauma pela eliminação da...

O futuro do futebol brasileiro – as mudanças no futebol brasileiro

Você já foi ao museu do futebol ? Espaço...

Doméstica etíope espancada no Líbano se suicida após vídeo do abuso passar na TV

O caso revoltou libaneses e etíopes e reacendeu debate...

para lembrar

O estereótipo que estimula policiais brutamontes

Ao ingressar em qualquer profissão, o indivíduo é submetido...

Advogados de Rafael Braga afirmam que juiz nega direito à ampla defesa do ex-catador

Magistrado Ricardo Coronha afirmou ser “impertinente” pedido de acesso aos...

Michelle e Obama, o filme

Por Tulio Custódio, do Medium    Assisti apenas recentemente o filme sobre...

“Morra de inveja!”: Como funciona o racismo estrutural – por Flávia Simas

Deu vontade de contar uma história pra vocês: uns...
spot_imgspot_img

Maurício Pestana: escola de negros e o Terceiro Vagão

Em vários artigos já escritos por mim aqui, tenho apontado como o racismo no Brasil utiliza a via da questão econômica e educacional para...

Tragédia no RS apaga pessoas negras e escancara racismo ambiental

No início dos anos 2000, viajei a Mato Grosso do Sul para participar de um evento universitário. Lembro que na época eu causei espanto...

Racismo em escolas de Niterói: após reunião com mãe de dois adolescentes vítimas de insultos, deputada vai oficiar MP, polícia e prefeitura

Após uma reunião com Renata Motta Valadares, mãe de dois adolescentes de Niterói que foram vítimas de racismo em duas diferentes escolas particulares, a deputada estadual...
-+=