Inscrições abertas para III encontro etnicidades

O Projeto Raízes de África (ONG Maria Mariá) está com inscrições abertas para o III Encontro Etnicidades Brasil: “Cidadania em Gênero, Raça e Resistência!”, que ocorrerá dia 24 de julho, das 09 às 12 no auditório Industrial Antonio Cansanção/ Federação das Indústrias no bairro do Farol.

O III Encontro Etnicidades, patrocinado pela Federação das Indústrias tem como objetivo construir diálogos sobre o 25 de julho-“Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra”, como também homenagear 10 mulheres empreendedoras sociais, negras, alagoanas das bases populares com o certificado Tereza de Benguela.

25 de julho-“Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra”.

A situação da mulher negra brasileira deverá ser debatida a cada dia 25 de julho em todo o país. Nesta data será celebrado o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, segundo o Projeto de Lei do Senado (PLS) 23/09, de autoria da senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), que foi aprovado em decisão terminativa, no dia 07 de julho de 2009, pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

No dia 25 de julho, assinalou o relator do projeto, senador Paulo Paim (PT-RS), celebra-se o Dia Internacional de Luta da Mulher Negra da América Latina e do Caribe. E o símbolo dessa luta no Brasil, em sua opinião, é Tereza de Benguela, líder quilombola do século 18, que resistiu por mais de 20 anos à escravidão à frente do Quilombo do Quariterê, no Mato Grosso.

Quem foi Tereza de Benguela

Teresa de Benguela séc XVIII Mulher de José Piolho, que chefiava o Quilombo do Piolho ou Quariterê, em Guaporé, Mato Grosso. Quando seu marido,José Piolho, morreu Teresa de Benguela assumiu o comando. Revela-se uma líder ainda mais implacável e obstinada. Valente e guerreira ela comandou uma comunidade de três mil pessoas, o quilombo cresceu tanto ao seu comando que agregou índios bolivianos e brasileiros, isto incomodou muito a Coroa, pois isto influenciaria a luta dos bolivianos e americanos (ingleses e espanhóis) para a passagem de mercadorias e internacionalização da Amazônia. A Coroa age rápido e envia uma bandeira de alto poder de fogo para acabar com os quilombolas. Presa Teresa suicidou-se. Em 1994 vira samba enredo da Unidos deo Viradouro por obra de Joãzinho Trinta, Teresa de Benguela – Uma Raínha Negra no Pantanal.

Serviço:

III Encontro Etnicidades Brasil: “Cidadania em Gênero, Raça e Resistência!”

Dia: 24 de julho de 2009

Local: Auditório Industrial Antônio Cansanção (4º andar)-Federação das Indústrias do Estado de Alagoas

Horário: 09 às 12 horas

Inscrições abertas: solicitar inscrição pelo e-mail

[email protected]

Celular: (82)8815-5794

+ sobre o tema

Caso Amarildo: Direitos Humanos contesta relatório da polícia

O presidente da Comissão de Defesa dos Direitos...

Ser a favor da legalização não significa ser a favor do aborto!

Após o comentário do digníssimo presidente da Câmara dos...

Anistia exibe hoje curtas sobre remoções forçadas

O Cineclube da Anistia Internacional reexibe hoje, às...

para lembrar

As Tartarugas Ninjas: Caos Mutante é um recomeço perfeito da narrativa para a geração Z

Em um mundo em constante evolução cinematográfica, poucas franquias...

Trabalho escravo é flagrado em confecção das Lojas Americanas

Uma fiscalização do Ministério Público do Trabalho (MPT) e...
spot_imgspot_img

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...
-+=