terça-feira, julho 5, 2022
InícioQuestões de GêneroViolência contra MulherInstituto Avon Lança Pesquisa Inédita Sobre Violência Doméstica

Instituto Avon Lança Pesquisa Inédita Sobre Violência Doméstica

Seis em cada 10 brasileiros conhecem alguma mulher que foi vítima de violência doméstica.

Desse total, 63% tomaram alguma atitude, o que demonstra a mobilização de grande parte da sociedade para enfrentar o problema.

27% das mulheres entrevistadas declararam já ter sido vítimas de violência doméstica – enquanto apenas 15% dos homens admitiram ter praticado esse crime.

Esses são alguns dos achados da pesquisa Instituto Avon / Ipsos – Percepções sobre a Violência Doméstica contra a Mulher no Brasil, realizada entre 31 de janeiro a 10 de fevereiro de 2011, em que 1,8 mil pessoas de cinco regiões brasileiras foram entrevistadas. Trata-se do segundo estudo realizado pelo Instituto Avon. O primeiro foi feito em 2009, em parceria com o Ibope.

“Mundialmente, 6,5 milhões de mulheres têm a oportunidade de se fortalecer por meio dos ganhos obtidos com a venda de produtos Avon, o que contribui para seu próprio desenvolvimento e de suas famílias, mas sabemos que uma mulher se fortalece de verdade quando sua saúde e segurança estão garantidas. É justamente por isto que sentimos fortemente, como a ‘companhia voltada para as mulheres’, que precisamos continuar trabalhando para quebrar o silêncio da violência doméstica”, disse Andrea Jung, presidente mundial da Avon. “A pesquisa divulgada hoje pelo Instituto Avon contribui para a compreensão das atitudes e percepções sobre violência doméstica aqui no Brasil, como também abre oportunidades para educação e recursos que vão não somente assistir as vítimas no curto prazo, como também colaboram para por fim no ciclo da violência contra as mulheres no longo prazo.”

59% Conhecem uma Mulher que já sofreu Violência Doméstica

“Com esse estudo, a Avon e o Instituto Avon esperam contribuir para a reflexão e maior compreensão deste desafio e oferecer subsídios para fundamentar o trabalho dos envolvidos – organismos públicos e privados, associações de bairro, lideranças comunitárias, acadêmicos e leigos – em encontrar saídas para a erradicação da violência doméstica” afirma Luis Felipe Miranda, presidente da Avon Brasil. “Teremos cumprido nossa missão se conseguirmos ampliar a discussão do tema, pautando-a na construção de relações baseadas na cooperação, no respeito e na convivência pacífica.”

62% Reconhecem Violência Psicológica

Sociedade mais madura – “A pesquisa demonstra, com números contundentes, que a percepção de homens e mulheres sobre a gravidade da violência contra a mulher avança na sociedade brasileira. Hoje, 62% da população já reconhecem a violência psicológica como uma forma de violência doméstica, por exemplo,” afirma Jacira Melo, do Instituto Patrícia Galvão, ícone na análise da violência doméstica e outro parceiro do Instituto Avon nesse estudo. Os resultados revelam que há ainda um longo trabalho a ser realizado em disseminação de informação, já que os números sobre a percepção da definição do que é violência diferem pouco do estudo anterior.

“E é exatamente por dados como este que o Instituto Avon se empenha em contribuir destinando os recursos arrecadados com a venda de produtos, como a Pulseira da Atitude, agora disponível nos folhetos da Avon, a seminários, desenvolvimento de cartilhas informativas e pesquisas como esta”, afirma Luis Felipe Miranda.

Método inédito – Como romper o silêncio é a principal batalha a ser vencida, uma das grandes conquistas desse estudo foi a ampliação do espaço seguro para homens e mulheres se comunicarem, segundo avaliação da especialista em pesquisa de opinião Fátima Pacheco Jordão, conselheira do Instituto Patrícia Galvão: “Uma técnica sofisticada foi utilizada pela primeira vez nas pesquisas sobre violência contra mulheres no Brasil, com o objetivo de obter respostas mais fidedignas para um assunto tão complexo. No capítulo relativo à violência vivenciada por homens e mulheres, os entrevistados preencheram o questionário em sigilo (sem nenhuma indicação de dados pessoais), e o colocaram em um envelope. Dessa forma, evitou-se que o entrevistado se sentisse inibido ou influenciado a dar respostas padrão e aceitas pelo costume”.

94% Conhecem a Lei Maria da Pena, mas apenas 13% sabem o conteúdo

Desafios a serem vencidos – Com mais clareza sobre a importância do acesso à informação sobre a abrangência da Lei Maria da Penha, como também sobre o que pode ser feito para dar suporte às vítimas, o Instituto Avon decidiu divulgar, no final deste estudo, a rede de serviços apresentados no site da Secretaria de Políticas para as Mulheres.

Outro parceiro na pesquisa, a Associação Palas Athena, contribuiu com a reflexão sobre a invisibilidade das atitudes violentas no cotidiano, como também preparou uma lista que relaciona diversos recursos à disposição dos interessados no assunto – de livros a organizações e profissionais especializados em tratar os conflitos familiares com ferramentas pacificadoras.

Outros dados importantes do estudo:

– Falta de condições econômicas e preocupação com a criação dos filhos: percebidas como as principais razões para manter as mulheres atadas a um relacionamento abusivo.

– Delegacias e conversa com amigos e familiares: as ajudas que as mulheres mais indicam para as vítimas.

A maioria das pessoas (60%) pensa que, ao ser denunciado, o agressor vai preso.

Sobre a Avon

Celebrando 125 anos de atividade, a Avon, empresa voltada para as mulheres, é líder mundial no mercado de beleza, com uma receita anual de mais de US$ 10 bilhões. A empresa está no Brasil há 53 anos e atualmente conta com mais de 1,1 milhão de revendedores autônomos, comercializando os produtos Avon em todo o país. A Avon Brasil possui uma fábrica na cidade de São Paulo e três centros de distribuição nos estados de São Paulo, Ceará e Bahia.

Sobre a Avon Foundation for Women, e Instituto Avon

A Avon é uma empresa global líder em ações sociais com foco em causas que interessam especialmente à mulher. Até 2010, foram doados mais de US$ 800 milhões em mais de 50 países para essas causas, por meio da Avon Foundation for Women, com sede nos Estados Unidos. A ação de responsabilidade social da Avon está concentrada em duas campanhas – Avon Breast Câncer Crusade (no Brasil, Avon contra o câncer de mama), com foco na detecção precoce da doença por meio de investimento em centros de prevenção, ações de conscientização e apoio a pesquisas sobre o câncer de mama, e Speak Out against Domestic Violence (no Brasil, Fale sem Medo – não à violência doméstica), focada em reduzir a violência contra a mulher. A Avon também atua de forma efetiva na prestação de auxílio em caso de desastres naturais em várias partes do mundo.

No Brasil essas campanhas são realizadas pelo Instituto Avon, fundado em 2003, que já doou R$ 25,4 milhões para projetos da campanha Avon Contra o Câncer de Mama, que beneficiaram cerca de 1,7 milhão de mulheres e R$ 3,5 milhões para a campanha Fale sem Medo (www.institutoavon.org.br).

A Avon revende em seus folhetos de produtos itens criados especialmente para arrecadar fundos para as causas, como a Pulseira da Atitude, que está agora sendo oferecida aos consumidores. Da mesma forma, promove eventos com participação de milhares de pessoas em várias partes do mundo para gerar fundos e promover a conscientização da sociedade. Além disso, a Avon prepara e distribui vários materiais informativos, divulgados por meio das mais de 6,5 milhões de revendedoras de produtos Avon em todo o mundo. Para saber mais sobre a Avon Brasil acesse www.avon.com.br.

PRIMEIRA PÁGINA : www.ppagina.com

Betina Piva: redacao.betina@ppagina.com . Tel: (11) 5575-1233 ramal 212 – (11) 9464-2098

Luiz Carlos Franco: (11) 5575-1233.

www.institutoavon.org.br

Avon – Responsabilidade Social Corporativa

 

 

Fonte: Lista Racial

Artigos Relacionados
-+=