Livro traz erotismo à flor da pele e contesta objetificação negra

“InCorPoros – Nuances de Libido”, feito em coautoria por Nina Silva e Akins Kintê e que aborda diversas nuances do amor afrocentrado, tem lançamento marcado para 5 de abril (quinta-feira)

Por Amauri Eugênio Do Alma Preta

Foto: Reproduzida/almapreta

Amor à flor da pele. Sensações e prazeres aflorados. Paixão e sensibilidade apresentadas de modo desnudo e sem censura. Esses são alguns dos aspectos que vêm à mente ao falar de “InCorPoros – Nuances de Libido”, cuja segunda edição será lançada nesta quinta-feira (5), no Centro Cultural Olido, em pleno Centro de São Paulo.

A obra, feita a quatro mãos pelos escritores Nina Silva e Akins Kintê, tem como objetivo trazer ao leitor a singularidade inerente ao furor das sensações, prazeres e relações entre corpos negro.

Mas se engana quem pensa que as relações descritas na obra caem, em algum momento, na objetificação da pessoa negra. Muito pelo contrário: os textos ali inseridos prezam pela valorização às particularidades em cada demonstração de afeto – ou, como explicou Akins à reportagem do Alma Preta, “sem perder o lirismo a poética do beijo, O carinho de nós com nós.”

 

Ponto a ponto

A ideia básica do livro surgiu a partir da pesquisa e da leitura da poesia erótica produzida no Brasil, que possibilitaram a constatação de que as obras eram majoritariamente brancas e, quando havia pessoas negras, a inserção era de forma para lá de estereotipada. Desse modo, por que não escrever obras do gênero, mas com a essência e a perspectiva negras?

“[O livro] começou ser escrito a quatro mãos em 2008”, conta Akins, sobre a parceria literária entre ele e Nina, ao falar que a obra foi o ponto de partida para a organização de antologia erótica negra, ao citar como “reacendeu o erotismo negro brasileiro”, nas palavras dele mesmo. Tanto que dez anos depois, a obra está de volta.

E é possível dizer, sem exageros, que um dos pontos altos de “InCorPoros – Nuances de Libido” é justamente a parceria entre Akins e Nina. “Eu sabia que o projeto ganharia força se fosse feito dessa forma. Então, alguns textos são escritos a quatro mãos, outros são meus e outros [são de autoria] dela”, ressalta o escritor, ao falar sobre o aspecto mais legal do livro: “mas achei que a sacada de não ter um autor, ou dividir por escritor, é o mais bacana dessa obra.”

Onde e quando chegar

A segunda edição – versão dos autores – de “InCorPoros – Nuances de Libido” será lançada em 5 de abril (quinta-feira), às 19h, no Centro Cultural Olido (avenida São João, 473, Centro, São Paulo).

A entrada do evento é gratuita. Haverá apresentações Jenyffer Nascimento, Michel Yakini, Sidney Santiago, Akins Kintê e Nina Silva, além de pocket musical da banda 2 Africanos.

+ sobre o tema

“Ah. . . mas o meu cabelo não é assim!”

 Pra começar, compartilho com vocês a reflexão abaixo, exposta...

13 de maio – Assinada a Lei Áurea

O Brasil está livre do trabalho escravo. Na tarde...

‘Abolição da escravatura’, diz Emicida após ser liberado da prisão

Os assessores do rapper Emicida deram uma versão oficial...

Discriminação religiosa ainda está ligada ao racismo no Brasil

Em outubro de 1999, o jornal Folha Universal estampou...

para lembrar

Por que precisamos provar que a música negra é negra?

O Jazz Bebop foi uma expressão intelectual e politizada,...

Cia Teatral Mamulengos abre seleção para atores negros

A Cia Teatral Mamulengos está selecionando, atores negros para...

Aumento da xenofobia nos serviços de saúde europeus

Access to healthcare in Europe in times of crisisand...
spot_imgspot_img

Álbum de Lauryn Hill é considerado melhor da história em lista da Apple Music; veja ranking

Uma lista publicada pela Apple Music elegeu os 100 melhores álbuns de todos os tempos. Em primeiro lugar, a escolha foi para 'The Miseducation...

Mostra Competitiva Adélia Sampaio recebe inscrições de filmes de mulheres negras até 16 de junho

A 6ª edição da Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio está com inscrições abertas para filmes dirigidos por mulheres negras de todo o...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...
-+=