Loja de luxo suíça nega racismo contra Oprah Winfrey

A proprietária de uma loja luxuosa em Zurique, na Suíça, negou que racismo estivesse envolvido quando a apresentadora de TV norte-americana Oprah Winfrey foi desencorajada a comprar uma bolsa de couro de crocodilo de 35 mil francos suíços (US$ 38.100).

Oprah, recentemente nomeada a celebridade mais poderosa do mundo pela revista “Forbes”, estava em Zurique para o casamento da cantora Tina Turner quando ocorreu o incidente, no mês passado.

A apresentadora disse em duas entrevistas nos EUA que uma assistente de vendas se recusou a mostrar para ela a bolsa de marca, dizendo que era “cara demais” para a celebridade afro-americana e levando-a em direção a outras bolsas mais baratas.

A loja luxuosa Trois Pommes negou discriminação contra Oprah, que pediu para ver uma bolsa “Jennifer”, desenhada por Tom Ford e batizada em homenagem à atriz Jennifer Aniston. A proprietária disse que o incidente se deveu a uma barreira linguística.

“Esse é um desentendimento totalmente clássico”, disse a proprietária, Trudie Goetz, à Reuters nesta sexta-feira (9).

A assistente de vendas quis mostrar a Oprah que a bolsa também estava disponível em outros materiais, o que pode ter dado a apresentadora a impressão de que a loja não queria vender a ela a bolsa, disse Trudie.

“É claro que não é este o caso. Quem não iria querer vender uma bolsa de 35 mil francos?”.

Durante sua estadia, Winfrey se hospedou no luxuoso hotel Dolder Grand de Zurique e decidiu dar um passeio pelas ruas e visitar as lojas mais exclusivas da cidade.

Indignada com o tratamento, a estrela americana disse que chegou a pensar em comprar a loja inteira, mas desistiu quando percebeu que isso faria com que a vendedora recebesse uma enorme comissão pela venda.

Oprah, 59 anos, dirige sua própria emissora de televisão e ganhou US$ 77 milhões de junho de 2012 a junho de 2013, ficando no primeiro lugar na lista da “Forbes” no mês passado. Foi a 5° vez que ela liderou o ranking de 100 celebridades mais poderosas. Oprah tem uma fortuna avaliada em 2,8 bilhões de dólares, segundo a revista.

Repercussão

O órgão público que promove o turismo na Suíça, o Suisse Turisme, pediu desculpas a Oprah Winfrey, pelo suposto tratamento racista que sofreu em uma loja de luxo de Zurique.

“A vendedora que atendeu a celebridade teve um comportamento inadequado e sentimos muito”, escreveu a organização em sua conta no Twitter.

Vários meios de comunicação também lamentaram a impressão que Winfrey teve da Suíça.

Por: Katharina Bart

Oprah Winfrey diz que foi “vítima de racismo” na Suíça

Fonte: UOL

+ sobre o tema

O caráter racista da PEC 55

Cortar investimentos públicos significa manter os negros nos grilhões Por Djamila...

Representantes do movimento negro defendem cotas no Programa Ciência sem Fronteiras

da Agência Senado Em audiência pública no Senado na...

A luta abolicionista e o papel do negro na construção da própria história

O movimento abolicionista é exemplo de nossa resistência aconteceu...

para lembrar

Estátua de Leopoldo II, rei que causou genocídio no Congo, é derrubada na Bélgica

A cidade de Antuérpia, localizada no norte da Bélgica,...

Racismo à brasileira: Em Fortaleza, Andy Monroy – estudante caboverdiano – confundido com o próprio perigo

Excelente dica do professor Igor Vasconcelos, @idevasco, que compartilho....

Santos confirma exclusão de conselheiro após ofensa racista

Em áudio, Adilson Durante Filho disse que 'mulato é...

Um ano depois do assassinato de Floyd, negros ainda sofrem com violência policial

Há um ano, em Minneapolis (EUA), George Floyd, homem...
spot_imgspot_img

Em ‘Sitiado em Lagos’, Abdias Nascimento faz a defesa do quilombismo

Acabo de ler "Sitiado em Lagos", obra do ativista negro brasileiro Abdias Nascimento, morto em 2011, no Rio de Janeiro. A obra, publicada agora pela...

Registros de casos de racismo aumentam 50% entre 2022 e 2023 no estado de SP

Números obtidos via Lei de Acesso à Informação pela TV Globo, mostram que o número de ocorrências registradas por racismo e injúria racial tiveram alta...

Justiça reconhece atribuições familiares das mulheres

Saiu da Justiça de São Paulo uma tão inédita quanto bem-vinda decisão de reconhecimento de atribuições familiares das mulheres, sempre exigidas, nunca valorizadas. Um...
-+=