Luiz Fernando Vianna – Silêncio no Complexo do Alemão

Fonte: Írohín-Jornal Online – Direitos Humanos

 

 

 

RIO DE JANEIRO – Na última sexta-feira, o presidente Lula e o governador do Rio, Sérgio Cabral, se abraçaram muito carinhosamente no complexo de favelas de Manguinhos e, à tarde, foram ao Complexo do Alemão. Entregaram 56 apartamentos para moradores removidos de suas casas em razão das obras do PAC.

Na véspera, o governo federal também marcara presença no Rio. O ministro da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, lançou na Biblioteca Nacional o livro “Brasil – Direitos Humanos”, um conjunto de artigos, entrevistas e reportagens.

Na página 264, recorda-se o que aconteceu no Alemão em 27 de junho de 2007: 1.350 homens das Polícias Civil e Militar (de Cabral) e da Força Nacional de Segurança (de Lula) entraram na área da Grota e mataram 19 pessoas. É possível que a maioria fosse traficante e estivesse em confronto, mas não há como ter certeza: não houve perícia no local e, de acordo com o livro, provas foram destruídas pela polícia.

Três peritos examinaram os corpos na época e produziram para a Secretaria dos Direitos Humanos um relatório. Apresentaram “argumentos para embasar a afirmação de existência de execução sumária e arbitrária”, entre eles o “grande número de orifícios de entrada na região posterior do corpo, numerosos ferimentos em regiões letais, elevada média de disparos por vítima, proximidade de disparos, sequência de disparos em rajada e armas diferentes utilizadas numa mesma vítima”. Dos 78 tiros encontrados nos 19 corpos, 32 foram pelas costas.

Sempre que Lula e Cabral fossem ao Alemão, deveriam explicar como aquela operação contribuiu para dar paz às favelas. As crianças da Grota que ainda falam dos momentos de pavor que viveram naquele 27 de junho gostariam de ouvi-los.

Matéria original: Luiz Fernando Vianna – Silêncio no Alemão

+ sobre o tema

Um em cada três adultos no mundo têm pressão alta, indica OMS

No Brasil, 39,4% dos homens com mais de 25...

Pernambuco lembra o Dia Mundial da Doença Falciforme

  O Dia Mundial da Doença Falciforme, comemorado hoje está...

Sonia Leite – Parte uma grande Guerreira !

Sentirei sua falta minha querida Sônia Leite.Voce sempre será...

para lembrar

Geledés participa do I Colóquio Iberoamericano sobre política e gestão educacional

O Colóquio constou da programação do XXXI Simpósio Brasileiro...

Sônia Nascimento – Vice Presidenta

[email protected] Sônia Nascimento é advogada, fundadora, de Geledés- Instituto da...

Suelaine Carneiro – Coordenadora de Educação e Pesquisa

Suelaine Carneiro [email protected] A área de Educação e Pesquisa de Geledés...

Sueli Carneiro – Coordenadora de Difusão e Gestão da Memória Institucional

Sueli Carneiro - Coordenação Executiva [email protected] Filósofa, doutora em Educação pela Universidade...
spot_imgspot_img

Geledés participa do I Colóquio Iberoamericano sobre política e gestão educacional

O Colóquio constou da programação do XXXI Simpósio Brasileiro da ANPAE (Associação Nacional de Política e Administração da Educação), realizado na primeira semana de...

A mulher negra no mercado de trabalho

O universo do trabalho vem sofrendo significativas mudanças no que tange a sua organização, estrutura produtiva e relações hierárquicas. Essa transição está sob forte...

A lei 10.639/2003 no contexto da geografia escolar e a importância do compromisso antirracista

O Brasil durante a Diáspora africana recebeu em seu território cerca de 4 milhões de pessoas africanas escravizadas (IBGE, 2000). Refletir sobre a formação...
-+=