Mahany Pery, filha de camelô, brasileira vira queridinha da moda e se prepara para a primeira temporada em Nova York

Enviado por / FonteNa Vogue

Guarde esse nome: Mahany Pery. Quando tinha apenas 16 anos, a brasileira caiu no mundo da moda de paraquedas. “Nunca quis trabalhar com isso. Meu pai viu a matéria de uma modelo local que morava no lixão no programa da Fátima Bernardes. Ela foi preparada por um professor aqui em Niterói. Então, minha mãe correu atrás do contato e, em dois meses, já estava modelando”.

Com 11 irmãos – frutos de relacionamentos anteriores e atuais de seus pais – e de origem humilde, a fluminense afirma que passou dificuldades, mas nunca chegou a passar fome. “O momento mais marcante da minha infância foi brincar de escorregar no sabão com água na varanda de casa com meus irmãos”.

Vivendo com a mãe, que trabalhava como camelô, e o pai de criação em São Gonçalo, município do Rio de Janeiro, mudou-se para São Paulo um ano depois, em 2015. “Estava enjoada do meu cabelo e eu mesma raspei, com máquina dois. Não demorou muito para aparecer os trabalhos, pois cheguei bem na temporada de moda”.

Recordista dos desfiles do SPFW e com trabalhos para grifes nacionais como a Osklen, À La Garçonne, Lenny Niemeyer, Animale e Vitorino Campos, foi apontada pela edição americana da Vogue como um dos destaques da nova geração de modelos brasileiras, ao lado de Ari Westphale Barbara Valente. “Foi uma emoção muito grande. Uma prova de que eu estava no caminho certo”.

De lá pra cá, virou um dos rostos da Maybelline e se prepara para sua primeira temporada de moda internacional, em Nova York – que acontece de 07 a 13.09. Hoje, aos 18 anos e com 1.77m, Mahany – que ganhou este nome em homenagem a melhor amiga de sua mãe – se dedicou para que nada desse errado nesse período. “Foquei meus estudos no inglês, fiz dieta e tratamentos estéticos”.

Ela, que é fã da ex-modelo e cantora Grace Jones, confessou que não tem como sonho desfilar para uma marca específica. “Desfilo para o que está preparado para mim. Nos lugares que meus orixás me mandarem, estarei feliz lá”.

 

+ sobre o tema

Deixem meu cabelo em paz

Do lado de lá o "padrão" é cabelo liso. Do...

O presidiário bonitão assina um contrato como modelo

O retrato da ficha policial de Jeremy Meeks conseguiu...

Mezzo africano e mezzo afro-brasileiro

Como boa parte das pessoas, em algum momento da...

Save the Children pede acção para diminuir mortes

A organização humanitária, Save the Children, refere que...

para lembrar

Peponi – Versão Africana de Paradise dos Coldplay

Peponi é uma adaptação, em estilo africano, da música...

Países que tiveram escravos devem reparar vítimas, afirma relatora independente

A relatora especial da ONU sobre formas contemporâneas de...

Governo oficializa anistia política de Marighella

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, oficializou a...

Com mieloma múltiplo, Luiz Melodia faz quimioterapia e é internado na UTI

O cantor Luiz Melodia, 66, está internado desde terça-feira...
spot_imgspot_img

Gilberto Gil é homenageado na Uerj por contribuições culturais ao país

Cantor, compositor, escritor, produtor musical, imortal da Academia Brasileira de Letras, ex-ministro da Cultura. Dono de vários talentos e posições, Gilberto Gil ganhou nesta...

Rihanna já tem atriz favorita para possível cinebiografia

Rihanna está se antecipando em relação a como quer ser vista, caso sua história venha a ser uma cinebiografia em algum momento do futuro. A cantora...

NICHO 54 lança publicação inédita que investiga a história do Cinema Negro no Brasil 

Pesquisa que mapeou e consolidou dados sobre filmes produzidos por pessoas negras no Brasil de 1949 a 2022 encontrou 1.104 obras; 83% de toda...
-+=