Mara Rúbia: Ele veio com muita força e furou o meu olho

Vítima depõe em Goiânia e relata que ex-marido sempre foi violento, não aceitava a separação e a ameaçava de morte constantemente.

Mara Rúbia, 27 anos, operadora de caixa que teve os olhos perfurados pelo ex-marido Wilson Bicudo, em 29 de agosto, depôs, nesta sexta-feira (6), em Goiânia. “Ele me amarrou toda, pegou uma faca de mesa, achei que ia cortar meu pescoço. Daí, ele veio com muita força e furou o meu olho direito. Doeu muito, eu cheguei a fazer xixi e cocô na roupa de tanta dor. Depois, ele veio e furou o meu outro olho.”

O depoimento durou aproximadamente 1h30 e Mara contou que já havia sido vítima de ameaças. “Ele dizia: ‘Vou te matar, pode ter certeza’”. Visivelmente emocionada, a operadora de caixa contou que tinha cabelos compridos, e que o seu ex-marido, o cortou também com uma faca.”

Ainda segundo ela, no dia do fato, antes do acusado furar os olhos, ele a machucou muito. Mara Rúbia disse que Bicudo a amarrou com pedaços de um vestido de seda, toalhas e o fio de um telefone e apertou seu pescoço.

No depoimento, Mara relatou que Bicudo sempre foi violento e que, durante os seis anos em que foram casados, ela chegou a chamar a polícia para contê-lo. “Ano passado ele me deu um surra e falou que eu poderia ter certeza que ele iria me matar”, frisou ela, que revelou ainda que Bicudo ameaçava também o filho.

Quando Mara pediu a separação, seu ex-marido imediatamente a acusou de ter um amante.  “Quando eu quis me separar dele, ele não entendia que eu não tinha outro homem. Ele me dizia que um homem bater em uma mulher não era motivo para não gostar mais”, narrou a depoente.

A operadora de caixa afirmou que chegou a fugir para o Maranhão, com a intenção de se esconder do então marido. Ela teria ficado na casa da tia, porém, Bicudo a descobriu no local, a obrigando a voltar para Goiânia.

As perseguições e constantes agressões fizeram com que Mara entrasse em depressão. “Eu não trabalhava, não dormia, não comia, não tomava banho, não falava com ninguém. Perdi vários empregos, mudei para vários lugares e tive vários endereços.”

Wilson Bicudo, que ficou 21 dias foragido, foi indiciado por tentativa de homicídio triplamente qualificado.

 

 

Fonte: Revista Fórum

+ sobre o tema

Entrevista Ìyá Sandrali de Òsún

Pois, quis Olorum que a humanidade nascesse na África...

II Encontro da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras

Sobre o encontro Do Docs A Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras...

Construção da identidade da criança negra em meio as relações de racismo na escola

Às vezes me pego recordando minha infância e chego...

para lembrar

Mulheres Negras nas ruas. Ouçam nossas vozes!

Somos as mulheres negras de São Paulo que ajudaram...

Pastor suspeito de abusar de filha e enteada é preso em MT

A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cáceres...

Mãos à obra: a trajetória de Enedina Alves Marques

Faz 41 anos que Enedina Alves Marques faleceu de...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=