A maravilhosa resposta de uma menina de 11 anos às críticas por ter sido adotada por um casal homoafetivo

Quando Rob Scheer tinha 10 anos, perdeu seus pais e acabou indo parar em um orfanato. Foi lá que viveu sua infância, junto a dezenas de outras crianças, até completar 17 anos. Sem ter onde ir ou o que fazer, morou nas ruas e viveu de bicos até conseguir ser chamado no exército, onde conseguiu uma vida e uma carreira. Anos depois, ele acabou deixando o serviço militar e se apaixonou por Reece, que viria a ser seu parceiro e pai de seus filhos. O casal adotou quatro crianças órfãs: Amaya, Makai, Greyson e Tristan.

Amaya e Makai são irmãos e foram os primeiros a chegar à casa dos Scheer. Em dois sacos de lixo carregavam seus poucos pertences. Quando foi a vez de Grayson e Tristan chegarem à família, os dois garotos também trouxeram seus sacos de lixo e a cena bateu fundo no coração de Rob.

No orfanato também ele tinha seu saco de lixo, em que carregava os poucos pertences que tinha. Foi então que o ex-militar tomou uma decisão: “Eu quero ter certeza de que nenhuma criança tenha que carregar um saco de lixo“, disse ele, que fundou a Comfort Cases, uma organização não-governamental que oferece kits de cuidados às crianças que chegam aos orfanatos. Em uma mochila, os pequenos recebem itens básicos como um pijamas, um cobertor, uma escova e pasta de dentes, um bichinho de pelúcia e uma escova de cabelo.

Toda a família Scheer ajuda no projeto, que conta basicamente com voluntários. Por essas e outras a pequena Amaya, de 11 anos, foi convidada para ser capa da edição de novembro/dezembro da revista American Girl, em uma matéria intitulada “Forever Family”(“Para Sempre Família”, em tradução livre). Na reportagem, a revista conta a história da família da menina e fala sobre o projeto, em que já ajudaram mais de 10 mil crianças órfãs.

familia-scheer5

Mas apesar da história incrível de Amaya e sua família e da iniciativa da Comfort Cases, a família precisou aguentar um movimento de retaliação liderado pelo grupo One Million Moms, organização afiliada à Associação Norte-Americana de Famílias. “1MM acredita na adoção e no cuidado de órfãos, como somos instruídas biblicamente a fazer no salmo 83:3, mas a American Girl poderia ter focado o artigo na criança  e não nos pais, já que se trata de uma revista para crianças. A revista também poderia ter escolhido outra criança para escrever e permanecer neutra na guerra de culturas“, escreveu o grupo, que com bases religiosas, desaprova a união homossexual de Rob e Reece.

A polêmica foi grande e a família Scheer foi convidada para comentá-la em um programa de televisão. Mais uma vez Amaya mandou bem: “eu diria ‘isso não te interessa’“, reportou oHuffington Post. Objetiva e simples, a menina afirmou que a orientação sexual de seus pais é uma questão pertinente à família dela e a ninguém mais. Já Rob questionou o fato de uma organização formada por mães ser capaz de espalhar tanto ódio por aí. “Eu não vivo em uma bolha de plástico. Eu sou um homem gay e eu tenho quatro filhos negros. Eu sei que as pessoas por aí são malvadas. Mas eu não esperava que um grupo de mães dissessem que somos pecadores“, desabafou.

Até quando a religião será motivo para ações e palavras de ódio?

familia-scheer

familia-scheer2

familia-scheer3

familia-scheer4

familia-scheer6

 

Leia Também 

A resposta desta família ao secretário da ‘cura gay’ é um tapa na cara do preconceito

Família como um homem e uma mulher legalmente casados. Qual será o desdobramento seguinte?

Dia da Família é alternativa inclusiva nas escolas

+ sobre o tema

Luiza Bairros: PM criminaliza negros

Ministra da Igualdade Racial acusa a polícia e...

Quem se importa com o equilíbrio entre trabalho e vida das mulheres normais?

Mulher mais poderosa da TV norte-americana, Shonda Rhimes detesta...

Após pixações em banheiros, alunas transgênero da Unicamp dizem que transfobia e feminismo andam juntos

Além da discriminação, alunas e alunos transgênero ainda têm...

MPF recomenda que Big Brother Brasil respeite direitos humanos (UI)

(Última Instância) O MPF (Ministério Público Federal) enviou à...

para lembrar

A mulher que nem Mandela eclipsou

Comentaristas sublinharam o silêncio no estádio Soccer City, dias...

EUA elogiam programas sociais brasileiros e inclusão feminina

A embaixadora-geral para Assuntos Globais da Mulher dos Estados...

Livro “Mulheres Negras” será lançado nesta segunda, em Cubatão

A trajetória de vida das mulheres negras na sociedade...
spot_imgspot_img

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Novas pesquisas mostram que meninas nos EUA estão tendo sua primeira menstruação mais cedo. A exposição ao ar tóxico é parcialmente responsável. Há várias décadas, cientistas ao redor do...

Leci Brandão recebe justa homenagem

A deputada estadual pelo PC do B, cantora e compositora Leci Brandão recebe nesta quarta (5) o Colar de Honra ao Mérito Legislativo do...
-+=