Tag: adoção

    (Foto: Reprodução/ Instagran @brunogagliasso)

    Bruno Gagliasso fala sobre a adoção de Titi e Bless

    Bruno Gagliasso foi o convidado de João Vicente de Castro no Instagram do GNT para uma live. O ator, cujo último papel na TV foi em "O sétimo guardião", relembrou seu início na carreira, falou sobre a gravidez da mulher, Giovanna Ewbank, e detalhou a adoção dos filhos Bless e Titi. - Para mim, foi também um reencontro. Giovanna teve esse reencontro com ela, porque elas com certeza se conhecem de outras vidas. Quando eu cheguei (ao Malawi, onde o casal conheceu Titi), a expectativa era muito grande porque Giovanna já tinha sido bem recebida pela Chissomo (nome de Titi), e comigo foi a mesma coisa. Não consigo esquecer dela correndo de braços abertos. Ela nunca tinha me visto, me abraçou e veio... É muito forte. Falar disso me toca muito porque ali, para mim, ela de fato nasceu para a gente. Ela veio com um sorriso, tinha um olhinho ...

    Leia mais
    Mulher grávida. Foto: Wikimedia Commons

    Uma mulher vai à Justiça a cada três dias para entregar bebê a adoção, diz pesquisa

    Reportagem de Natália Cancian diz que levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo a partir de consulta a tribunais mostra que, a cada três dias, ao menos uma mulher busca apoio da Justiça para entregar seu bebê ainda em gestação ou já nascido para adoção. Do DCM Mulher grávida. Foto: Wikimedia Commons Desde janeiro de 2017 até maio deste ano, já foram ao menos 203 casos no país, um a cada 2,5 dias. O número, no entanto, deve ser maior, já que nem todos os estados forneceram dados completos. De 27 tribunais consultados, apenas 11 enviaram informações. Os demais afirmaram não ter estatísticas ou não responderam, afirma a publicação. A Folha diz que, embora ainda alvo de impasses, situações como essas começam a ganhar maior visibilidade no Judiciário. A mudança vem na esteira de uma nova lei, sancionada em novembro, que estabelece garantia para as mães do direito ao sigilo ...

    Leia mais
    blank

    15 coisas que mães adotivas jamais deveriam ouvir

    Assim como as atrizes Giovanna Ewbank, Angelina Jolie, e a jornalista e apresentadora Astrid Fontenelle, inúmeras pessoas adotam e falam abertamente sobre o assunto. Ainda assim, existem pessoas tão inconvenientes que fazem questão de deixar seus comentários desagradáveis, grosseiros e muitas vezes ofensivos. Não são todos que possuem bom sendo e nem tem tanto respeito como gostaríamos, por isso fizemos uma pequena lista de 15 coisas que mães adotivas ou de coração escutam e não mereciam. Por Júlia Warken Do Bebe 1. É seu filho? Mesmo? Quando os pais decidem adotar uma criança que possui uma etnia ou qualquer detalhe físico diferente do deles, é motivo para tal pergunta. O que essas pessoas não conseguem compreender é que: filho é filho, independente de cor, de raça, de DNA! Se você apresenta “Olá! Esse é o meu filho”, é porque é e pronto, não há necessidade de dúvidas por parte de terceiros, certo? 2. ...

    Leia mais
    blank

    Brancas com descendência negra: Como mães adotivas aprendem a lidar com racismo

    Dados do Cadastro Nacional de Adoção mostram que 65% das crianças prontas para a adoção no Brasil são negras ou pardas. Por Thaís Folego, da Revista Azmina Nery tinha o sonho de ser mãe. Mas aos 42 anos, seu relógio biológico começou a lhe falhar. Foi quando surgiu a oportunidade de adotar uma menina, então com poucos dias de vida, cuja mãe biológica não tinha condições financeiras nem familiares para criar. A garotinha era Tatiana Taveira. Ela cresceu num ambiente saudável e feliz, com o amor e o afeto dos pais e da família. Mas, da porta de casa para fora, provou de uma realidade que seus pais adotivos, por serem brancos, nunca experimentaram: o racismo. Pais brancos que adotam crianças negras vivem um fenômeno curioso: eles geralmente têm pais e avós brancos, mas passam a ter uma descendência negra. A partir disso, precisam aprender a lidar com o preconceito ...

    Leia mais
    blank

    A menina pobre que viveu em caverna no Brasil e virou escritora de sucesso na Suécia

    "Christiana, me prometa uma coisa. Aconteça o que acontecer na sua vida, nunca pare de caminhar", disse certa vez sua mãe, naqueles tempos miseráveis em que ela se chamava Christiana Mara Coelho. Por Claudia Wallin Do BBC Sua primeira casa foi uma caverna no Parque Estadual do Biribiri, reserva natural próxima à cidade mineira de Diamantina. A segunda, uma favela de São Paulo. Mas quando ela tinha oito anos de idade, tudo iria mudar: um dos "pássaros de metal" que ela via voar no céu de São Paulo a levou para a Suécia, ao lado dos pais adotivos. E ela passou a se chamar Christina Rickardsson. A história das duas vidas de Christina se tornou um best-seller na cena literária da Suécia, com título dedicado às palavras da mãe. Sluta Aldrig Gå (Nunca Pare de Caminhar), livro de estreia da autora brasileira que já não fala o português, será lançado no ...

    Leia mais
    blank

    Justiça propõe prazo máximo de oito meses para processo de adoção

    Rapidez é uma palavra pouco associada ao processo de adoção de crianças e adolescentes, e é comum que grande parte deles perca parcela expressiva da infância e da juventude nessa espera — há casos em que a demora chega a seis anos. Como tentativa de acelerar esse mecanismo que frustra tantos pais e filhos, o Ministério da Justiça divulgou ontem uma proposta de projeto de lei que muda alguns termos sobre adoção no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), estabelecendo pela primeira vez um prazo máximo para todo o processo: oito meses. POR CLARISSA PAINS, do Exame  As alterações incluem ainda a criação da figura do padrinho afetivo — que já existe em projetos estaduais, mas não consta na lei federal — e estabelecem prioridade para a adoção de meninos e meninas com deficiência ou problema de saúde e de grupos de irmãos. O conjunto de propostas é fruto ...

    Leia mais
    blank

    ‘Enfrentei meu próprio preconceito e o da sociedade ao adotar filhos negros’

    "Quando você precisa pensar na roupa que seus filhos devem vestir ao passear, para que algo de ruim não aconteça a eles, você percebe o grau de racismo e preconceito ainda existente na sociedade brasileira." por Noemia Colonna no BBC Brasil A advogada brasiliense Karina Teles, de 39 anos, diz ter descoberto o peso do preconceito no dia-a-dia a partir da convivência com seus filhos, que são negros. Para ela, a consciência sobre o que é ser negro no Brasil veio com a adoção de João, de 6 anos, e Camila, de 5. O racismo enfrentado por famílias que adotam crianças negras veio à tona recentemente com a denúncia feita pelo casal de atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank por comentários feitos na internet sobre sua filha, Titi. Para famílias como a de Karina, tais experiências são parte de um processo doloroso que costuma ter ao menos três etapas. A primeira, no ...

    Leia mais
    blank

    Empresária se prepara para ser primeira ‘mãe provisória’ de São Paulo

    Quando o telefone toca na casa da empresária Jamie Chamberlain, 37, seu coração acelera —ela vai passar o Dia das Mães na expectativa da chegada de uma criança. Jamie é parte do programa família acolhedora, do Instituto Fazendo História, e está prestes a receber um "hóspede". Do Folha O acolhimento, que já é realizado em outras partes do país, começa a ser desenvolvido em São Paulo. Três famílias já foram capacitadas. Mãe de duas meninas, Sophie, 6, e Olívia, 4, Jamie conta que elas também estão muito ansiosas. "Estão superanimadas para cuidar de um bebê. Não sei como será o ciúme, pois ele vai tirar um pouco do tempo que dedico a elas", afirma a neozelandesa, que mora no Brasil há quase seis anos. Diferentemente do processo de adoção, a família que acolhe fica com a criança por no máximo dois anos. As crianças acolhidas foram afastadas de suas famílias ...

    Leia mais
    blank

    A maravilhosa resposta de uma menina de 11 anos às críticas por ter sido adotada por um casal homoafetivo

    Quando Rob Scheer tinha 10 anos, perdeu seus pais e acabou indo parar em um orfanato. Foi lá que viveu sua infância, junto a dezenas de outras crianças, até completar 17 anos. Sem ter onde ir ou o que fazer, morou nas ruas e viveu de bicos até conseguir ser chamado no exército, onde conseguiu uma vida e uma carreira. Anos depois, ele acabou deixando o serviço militar e se apaixonou por Reece, que viria a ser seu parceiro e pai de seus filhos. O casal adotou quatro crianças órfãs: Amaya, Makai, Greyson e Tristan. Do Hypeness Amaya e Makai são irmãos e foram os primeiros a chegar à casa dos Scheer. Em dois sacos de lixo carregavam seus poucos pertences. Quando foi a vez de Grayson e Tristan chegarem à família, os dois garotos também trouxeram seus sacos de lixo e a cena bateu fundo no coração de Rob. ...

    Leia mais
    blank

    À espera de um lar

    O Instituto Data Popular fez uma pesquisa em 2014 indicando que, apesar de 92% dos brasileiros acreditarem que há racismo no país, somente 1,3% se considera racista. Ou seja, quase todos admitem um crime sem criminoso. Por Maurício Pestana Enviado para o Portal Geledés No Brasil, há mais de seis mil crianças esperando para serem adotadas por uma família, segundo o Cadastro Nacional de Adoção. Desse total, a maioria é considerada preta ou parda. Por outro lado, dos quase 35 mil pretendentes a adoção cadastrados no mesmo sistema, menos de 50% aceitam adotar crianças negras. Os dados evidenciam o racismo inerente em nossa sociedade e colocam em xeque o mito da democracia racial. Mesmo sendo maioria na fila de espera, as crianças negras continuam sendo rejeitadas por parte das famílias, que preferem esperar mais tempo até surgir o “perfil ideal” de filho. Em outras palavras, recém-nascido, branco e sem irmãos. A adoção sempre foi considerada uma questão delicada e tabu para muitas famílias. Adotar ...

    Leia mais
    blank

    Finalmente as desculpas de Domenico Dolce do Dolce&Gabanna aos pais gays

    FOI PRECISO CINCO MESES PARA QUE DOMENICO DOLCE, DA DOLCE&GABBANA PEDISSE DESCULPAS PELAS DECLARAÇÕES POLÊMICAS QUE OFENDERAM GAYS AO REDOR DO MUNDO. ENTENDA AQUI No Universo AA Você já sabe: em março deste ano, o estilista Domenico Dolce – que junto de Stefano Gabbana é parte da dupla de estilistas da Dolce&Gabbana – causou muita polêmica ao declarar à revista italiana Panorama ser contra a adoção de crianças por pais gays, bebês de proveta… O resultado? Revolta ao redor do mundo. Elton John pediu boicote às suas coleções e até Madonna, uma fiel usuária da label, usou seu Instagram para rechaçar suas palavras. Em outras entrevistas, ele se recusou a pedir o mínimo: desculpas. Alegava que “apenas havia usado as palavras erradas para seus pensamentos”. Demorou, mas o pedido veio. E para a jornalista Sarah Mower, do site americano de Vogue. E o que ele diz: “Eu sinto muito, não era minha ...

    Leia mais
    blank

    Casal gay que adotou Paulo Henrique, menino rejeitado por ser ‘negro demais’ estrela campanha do Dia das Mães

    Você já deve ter lido a história do pequeno Paulo Henrique. Ele foi rejeitado por três casais heterossexuais que na fila de adoção o consideraram "feio" ou "negro demais". no Brasil Post por  Diego Iraheta A vida do menino de cinco anos mudou quando ele foi adotado pelo jornalista Gilberto Scofield Junior e seu companheiro, Rodrigo Barbosa. A história dessa nova família, formada há cerca de seis meses, integra a campanha de Dia das Mães da companhia aérea GOL. Em quatro vídeos postados em seu canal no YouTube, a empresa presta uma homenagem às pessoas que optaram pela adoção. Segundo a companhia, são "brasileiros que escolheram amar além de qualquer distância". Entre eles, há a mãe que virou pai e mãe. E o pai que escolheu ser mãe — caso tanto de Gilberto quanto de Rodrigo. O jornalista conta no vídeo como foi o processo anterior à adoção de Paulo: "Vinha na cabeça a ideia de dar ...

    Leia mais
    blank

    STF reconhece adoção por casal gay, e Brasil avança mais um passo nos direitos LGBT

    Enquanto a Câmara dos Deputados se prepara para aprovar um conservadorEstatuto da Família, que rechaça diferentes núcleos familiares, o Judiciário brasileiro avança mais um passo na luta dos direitos LGBT. Por Diego Iraheta  Do Brasil Post Em decisão publicada nesta semana, o STF (Supremo Tribunal Federal) reconheceu a adoção de um casal gay. A ministra Cármen Lúcia negou recurso extraordinário do Ministério Público Estadual do Paraná contra um casal que adotou um menino no estado em 2005: o professor Toni Reis e o marido, David Harrad. Ao Brasil Post, Toni celebrou a última barreira superada na batalha para garantir o direito dele e de David de ter uma família: "Foram dez anos de luta, honorários, dor de cabeça; quase uma novela anglo-mexicana. Nós decidimos adotar em 2000. Cinco anos depois, entramos com papelada para adotar. O juiz do Paraná autorizou, mas impôs que tinha de ser menina e de 12 anos. ...

    Leia mais
    blank

    Rejeitado por heterossexuais ‘por ser negro demais’, menino é adotado por casal gay

    O jornalista Gilberto Scofield Jr e seu companheiro, Rodrigo Barbosa, adotaram há quatro meses um menino de quatro anos. Em carta publicada no blog Ser mãe é padecer na internet, do portal Estadão, Scofield falou sobre o processo de adoção e os desafios da paternidade. Do Brasilpost Filho de pais alcoólatras, o menino PH vivia em um abrigo na cidade de Capelinha (MG) desde que sua mãe morreu e o pai não quis ficar com ele. Segundo Scofield, antes de ser adotado, ele foi rejeitado por outros três casais heterossexuais, que alegaram que PH era "feio" ou "negro demais". De quebra, Scofield mandou um recado para o presidente da Câmara dos Deputados e defensor do Estatuto da Família, Eduardo Cunha (PMDB-RJ): "Não, deputado Eduardo Cunha. A paternidade virtuosa não é um monopólio da heterossexualidade. E caso a sua religião não pregue a tolerância, preste atenção num fato muito simples: toda ...

    Leia mais
    blank

    Homens ampliam direitos na adoção de crianças

    Com cultura e legislação que privilegiam a mãe como cuidadora de crianças, o Brasil avançou na concessão de direitos aos homens no caso de adoção; mas ainda é grande a necessidade de ampliar as conquistas legais relativas à família, igualando homens e mulheres pais de filhos biológicos ou adotivos Por: Mariana Branco  Do: Brasil247 Com cultura e legislação que privilegiam a mãe como cuidadora de crianças, o Brasil avançou na concessão de direitos aos homens no caso de adoção. Mas especialistas ouvidos pela Agência Brasil destacam a necessidade de ampliar as conquistas legais relativas à família, igualando homens e mulheres pais de filhos biológicos ou adotivos. Além disso, ressaltam as dificuldades de transportar as mudanças na letra da lei para o dia a dia da sociedade. Em outubro do ano passado, a Lei n° 12.873 trouxe alterações favoráveis ao homem adotante, modificando as legislações previdenciária e trabalhista. Pelas novas regras, homens ...

    Leia mais
    blank

    Maternidade: tudo bem ser o que você quiser

    Estava assistindo Grey`s Anatomy e me veio a cabeça falar de maternidade. Tudo isso porque assisti o clássico episódio onde Christina descobre que está grávida do Owen e decide abortar, enquanto Meredith está em processo de adoção de uma menina junto com Derek. Vejo nesse episódio e nos seguintes uma questão que muito me assusta: a.decisão de ser mãe vai muito além apenas da vontade da mulher. Texto de Sara Joker. Já foi conversado sobre esse episódio por aqui: Aborto, de quem é a decisão final? Me lembro de como foi que me senti com todo o incomodo de Owen, não por ele querer ser pai, mas por ele não conseguir entender que uma mulher não desejar uma gravidez não significa privar seu companheiro de decidir ser pai. Sim, na maioria das vezes, a decisão de ter ou não filhos é feita pelo casal, mas engravidar deveria (já que o aborto não é legalizado ...

    Leia mais
    Rainbow

    Adoção por casais homossexuais aumenta nos EUA, apesar das barreiras legais!

      Um número cada vez maior de casais homossexuais estão adotando crianças, de acordo com dados do censo norte-americano, apesar de uma paisagem legal desigual que pode deixar as crianças sem os direitos e proteções dos quais desfrutam os filhos de pais heterossexuais. Por: Sabrina Tavernise Casais de mesmo sexo estão explicitamente proibidos de adotar em apenas dois estados norte-americanos – Utah e Mississippi –, mas enfrentam obstáculos legais significativos em cerca de metade dos demais estados, principalmente porque não podem se casar legalmente nesses lugares. Apesar dessa colcha de retalhos legal, a porcentagem de pais de mesmo sexo que adotam crianças aumentou dramaticamente. Cerca de 19% dos casais de mesmo sexo que têm filhos disseram ter um filho adotivo no lar em 2009, 8% acima de 2000, de acordo com Gary Gates, um demógrafo do Instituto Williams para a Lei da Orientação Sexual na Universidade da Califórnia, Los Angeles. ...

    Leia mais
    blank

    “Nunca passou por minha cabeça adotar criança branca”, diz Glória Maria

    Em conversa com o R7, na festa de 9 anos da revista Quem, na noite desta terça-feira (6), em São Paulo, a jornalista Glória Maria, que renovou com a Globo até 2016, disse que pretende preservar ao máximo a imagem das filhas, Laura e Maria, já que o processo de adoção delas ainda não está concluído. - É claro que elas não vão ficar a vida inteira escondidas, mas só vou chegar no Rio no fim do ano. Estou ainda terminando o processo de adoção. Acho que quantos menos expô-las, melhor. É por elas, não é por mim. Por mim, queria mostrar, porque eu sou uma mãe coruja. Elas são lindas. Mas por enquanto não dá. A jornalista contou que faz questão de acompanhar todos os passos das filhas e que vai junto "para a natação, para a aula de música". Glória Maria ainda explicou por que fez questão de ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist