Uma mulher vai à Justiça a cada três dias para entregar bebê a adoção, diz pesquisa

Reportagem de Natália Cancian diz que levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo a partir de consulta a tribunais mostra que ao menos uma mulher vai à Justiça a cada três dias para entregar seu bebê ainda em gestação ou já nascido para adoção.

Do DCM

Uma mulher vai à Justiça a cada três dias
Mulher grávida. Foto: Wikimedia Commons

Desde janeiro de 2017 até maio deste ano, já foram ao menos 203 casos no país, um a cada 2,5 dias.
O número, no entanto, deve ser maior, já que nem todos os estados forneceram dados completos. De 27 tribunais consultados, apenas 11 enviaram informações. Os demais afirmaram não ter estatísticas ou não responderam, afirma a publicação.

Uma mulher vai à Justiça a cada três dias

A Folha diz que, embora ainda alvo de impasses, situações como essas começam a ganhar maior visibilidade no Judiciário. A mudança vem na esteira de uma nova lei, sancionada em novembro, que estabelece garantia para as mães do direito ao sigilo sobre o nascimento e traz etapas e prazos de atendimento.

+ sobre o tema

VII Seminário Agosto Para a Igualdade Racial : Homenagem à Marielle Franco e Wangari Maathai

  Programação na Universidade  Estadual da Paraíba  e Universidade Federal...

Coletânea: RAÍZES – Resistência Histórica

O projeto RAÍZES - RESISTÊNCIA HISTÓRICA Por Karine Bassi, Do Catarse Reprodução/Facebook Somos mulheres negras e...

Lágrimas de homem abalam o machismo no futebol. E o racismo? Voa impávido em céu de brigadeiro

As lágrimas dos jogadores brasileiros pressionados pelo terror de...

para lembrar

Maria Lamadrid

A população negra resultante do tráfico de escravos durante...

Mais de 400 travestis e transexuais usarão o nome social no Enem

Número representa um aumento de 46% em relação ao...

Beatriz Nascimento, uma mulher afro-atlântica

A princípio esta coluna estava desenhada para receber textos...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=