‘Me chamaram de macaco, preto’. Dois irmãos foram agredidos por agentes da CPTM em estação da Barra Funda

‘Me chamaram de macaco, preto’, diz jovem. Confusão começou após uma funcionária ter autorizado o uso do banheiro após as 22h.

no G1

Dois irmãos foram agredidos na estação Barra Funda da CPTM por agentes e seguranças terceirizados nesta terça-feira (6). A Polícia Civil investiga injúria racial.

A confusão teve início após Danilo Evangelista ter sido autorizado por uma funcionária a usar o banheiro após as 22h.

Imagens feitas por passageiros que passavam pelo local mostram o momento em que os agentes seguram à força o estudante de economia. Na sequência, o irmão Denis Evangelista aparece também sendo imobilizado. Os usuários da CPTM gritam que os agentes vão matar os jovens.

Os dois foram levados para a sala de segurança da estação e contam que lá sofreram ameaças e mais agressões. “Na hora de ser revistado, eu colocava a mão na cabeça e ele me dava um soco no baço”, conta Denis.

“Me chamaram de macaco, preto. Falaram que a gente era drogado”, relembra.

Uma passageira que presenciou as agressões acompanhou os irmãos até a delegacia para testemunhar. “Eu achei que fosse racismo, porque eles são morenos. Senti revolta, porque eu não goto de nenhum tipo de violência”, conta ela.

O delegado responsável pelo caso disse ao Bom Dia São Paulo que os seguranças e agentes serão investigados por lesão corporal, injúria racial e abuso de autoridade.

vejo o Vídeo no G1

+ sobre o tema

Primeira mulher trans a liderar bancada no Congresso, Erika Hilton diz que vai negociar ‘de igual para igual’

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) foi aclamada nesta quarta-feira como...

Estrela do Carnaval, ex-passista Maria Lata D’Água morre aos 90 anos em Cachoeira Paulista, SP

A ex-passista Maria Mercedes Chaves Roy – a ‘Maria...

Aos ‘parças’, tudo

Daniel Alves da Silva, 40 anos, 126 partidas pela...

Iniquidades raciais e as mudanças do clima

O verão brasileiro, embora conhecido pelas belíssimas praias, férias...

para lembrar

O caso Marielle Franco e a reação da ONU

Marielle Franco, vereadora eleita na cidade do Rio de...

Anistia Internacional grava vídeo comovente com parentes de Marielle Franco. Veja aqui

Por ocasião dos quatro meses do assassinato de Marielle...

Governo federal oferece proteção à Mônica Benício, viúva de Marielle Franco

O Ministério dos Direitos Humanos vai incluir a arquiteta...
spot_imgspot_img

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Pacto em torno do Império da Lei

Uma policial militar assiste, absolutamente passiva, a um homem armado (depois identificado como investigador) perseguir e ameaçar um jovem negro na saída de uma...

Enviado ao STJ, caso Marielle passa a ter dois eixos de apuração: executores e mandantes

O caso da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, assassinados em 2018, foi dividido em dois eixos. Uma parte segue no Rio...
-+=