Ministério Público solta nota de repúdio contra Reinaldo Azevedo

Associação Paulista do Ministério Público, entidade que representa promotores e procuradores de Justiça de São Paulo, divulgou nota oficial contra o blogueiro neocon Reinaldo Azevedo, de Veja.com; o motivo foram as ofensas proferidas contra o promotor de Justiça José Carlos de Freitas e o Ministério Público do Estado de São Paulo; “nada autoriza a veiculação de agressões e ofensas gratuitas, e pior, com acusações infundadas e injustas”, diz o texto; “Não se podem permitir ataques baixos e grosseiros contra uma das instituições mais respeitadas de São Paulo e do Brasil”

As ofensas do blogueiro neoconservador Reinaldo Azevedo ao promotor José Carlos de Freitas provocaram uma dura reação da Associação Paulista do Ministério Público. Em nota, a entidade manifestou repúdio ao colunista de Veja.com. Leia abaixo:

NOTA DE REPÚDIO AO COLUNISTA REINALDO AZEVEDO

A Associação Paulista do Ministério Público (APMP), entidade que representa Promotores e Procuradores de Justiça do Estado de São Paulo, da ativa e aposentados, vem a público refutar e repudiar as declarações feitas pelo colunista Reinaldo Azevedo nesta quarta-feira, 18/06/2014, em seu blog hospedado no site da revista Veja, contra o Promotor de Justiça José Carlos de Freitas e o Ministério Público do Estado de São Paulo.

O direito à livre imprensa é fundamental no estado democrático de direito. A divergência de opinião, saudável e necessária. Por acreditar nisso, o Ministério Público, em São Paulo e em todo o país, sempre lutou por essas garantias. E foi exatamente pelo seu papel de relevância na redemocratização do país, na elaboração de nossa Constituição e na defesa da cidadania que jornalistas como Reinaldo Azevedo têm, hoje, direito e espaço para opinar.

Porém, nada autoriza a veiculação de agressões e ofensas gratuitas, e pior, com acusações infundadas e injustas. Não se pode tratar um agente público, que trabalha pela e para a população, de tal maneira. Não se podem permitir ataques baixos e grosseiros contra uma das instituições mais respeitadas de São Paulo e do Brasil. E, particularmente, contra um colega Promotor de Justiça cuja conduta prima pela seriedade, responsabilidade e qualidade do trabalho desenvolvido.

Por tudo isso, a APMP avaliza e defende a atuação do Promotor de Justiça José Carlos de Freitas e condena com veemência a postura lamentável do colunista Reinaldo Azevedo com relação ao colega e ao Ministério Público.

São Paulo, 10 de janeiro de 2014

Diretoria da Associação Paulista do Ministério Público

Fonte: 247

+ sobre o tema

Preconceito racial, discriminação e racismo, distinções de letramento – Por Cidinha da Silva

Certos amigos, aborrecidos, perguntam-me se gosto de tudo em...

Pessimismo da mídia influiu na pesquisa Ibope

Pesquisa CNI/Ibope, divulgada nesta quinta (19), revelou, entre tantos...

O jornalismo publicitário

Por Marcos Fabrício Lopes da Silva O poema “Relato”, que...

O complexo de viralatas pode nos vacinar contra a raiva da mídia

Jura Passos Nem preciso dizer quantas coisas americanas são adoradas...

para lembrar

Reflexão sobre o texto da Afropress e Luiza Bairros por Eduardo Santiago

REFLEXÕES SOBRE O TEXTO INTITULADO: Com avaliação de apagada,...

Sem alarde da mídia, Alckmin renova 5,2 mil assinaturas da Veja

No último dia 14 de junho de 2013, enquanto...

Tinta Preta e Pele Escura: A necessidade de uma Imprensa Negra

Conheça a história dos jornais negros brasileiros e o...

A tolice da inteligência brasileira e o papel da mídia, por Rafael Pizzato

Qual é a tolice da inteligência brasileira? Por Rafael Pizzato...
spot_imgspot_img

Geledés – Instituto da Mulher Negra abre novas turmas do Curso de Multimídia online e para todo Brasil 

O projeto de comunicação do Geledés – Instituto da Mulher Negra está abrindo novas turmas de formação em multimídia em parceria com o Zoom...

Portal Geledés recebe prêmio como imprensa negra brasileira

O que faz uma organização ser reconhecida como um canal de comunicação de destaque? Esta questão tem ocupado o pensamento da equipe do Portal...

Seletividade política apagou existência de afro-gaúchos e indígenas no RS

O dia 20 de setembro é a data mais importante do calendário cívico sul-rio-grandense. Ela faz alusão ao início da guerra civil que assolou...
-+=