Ministra Luiza Bairros se reúne com GT de Especialistas em Afrodescendentes da ONU

Encontro amanhã (13/12), no Rio de Janeiro, será seguido de coletiva de imprensa para apresentação de resultados das visitas do grupo ao Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro

 

A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, se reúne amanhã (13/12), no Rio de Janeiro, com o Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Afrodescendentes. Em visita a cidades brasileiras desde o dia 3 de dezembro, o GT tem a missão de examinar questões relacionadas aos direitos humanos dos afrodescendentes brasileiros. O relatório final do Grupo, contendo todas as conclusões e recomendações, será apresentado ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em 2014.

Às 11h, os participantes do encontro recebem a imprensa para apresentação de um balanço da missão. A coletiva acontece no Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio), no Palácio Itamaraty, Avenida Marechal Floriano 196 – Centro, Rio de Janeiro.

O Grupo de trabalho visitou Brasília, Recife, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro, onde se reuniram com autoridades federais, estaduais e municipais, assim como com representantes da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), organizações não governamentais, acadêmicos e comunidades de afrodescendentes, incluindo grupos religiosos de ancestralidade africana. O GT visitou também quilombos, terreiros e favelas e esteve com representantes da polícia em um centro de detenção para saber mais sobre as experiências de afrodescendentes em conflito com a lei.

As especialistas abordaram questões relacionadas com pobreza, estigmatização, desigualdade, acesso a saúde, educação e justiça, participação nos processos políticos e o direito dos afrodescendentes à propriedade. Também conversaram sobre manifestações contemporâneas de racismo, xenofobia e discriminação no Brasil, com foco especial na discriminação múltipla que mulheres e homens jovens afrodescendentes enfrentam.

Estabelecido em 2002 pela então Comissão de Direitos Humanos, após a Conferência Mundial contra o Racismo, realizada em Durban, em 2001, o Grupo de Trabalho é composto por cinco especialistas independentes, servindo em suas capacidades pessoais: Verene Shepherd (Jamaica), relatora-presidenta; Monorama Biswas (Bangladesh); Mireille Fanon-Mendes-France (França); Mirjana Najcevska (Antiga República Iugoslava da Macedônia) e Maya Sahli (Argélia).

Coordenação de Comunicação da SEPPIR

Fonte: Seppir

+ sobre o tema

Quando raposas tomam conta do galinheiro, por Maurício Pestana

por Maurício Pestana  A expressão acima, dito popular...

Obama para de fumar e Michelle está ‘orgulhosa’

A luta contra o vício foi um dos temas...

Juízes lançam nota de repúdio à Condução Coercitiva de Lula

Juízes divulgam nota em que afirmam que não se...

para lembrar

No dia D, Romney e Obama ainda disputam votos

por Rodolfo Borges Uma eleição em aberto. As pesquisas de...

Serra prepara saída e blindagem do governo

Por: FÁBIO ZAMBELI Tucano, que deixa o...

Michelle Obama: “Os homens de minha vida não falam assim sobre as mulheres”

Há emoção nos comícios de Michelle Obama a favor...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=