Mostra de filmes do NICHO NOVEMBRO 2021 abre programação com “Libório”, de Nino Martínez Sosa, no Vão Livre do MASP

Também serão exibidas gratuitamente 15 produções nacionais e internacionais pela plataforma de streaming exclusiva SALA 54

Na abertura do Eixo Curatorial do NICHO NOVEMBRO 2021, o NICHO 54 exibe gratuitamente o filme “Libório”, no próximo dia 05 de novembro, às 19h, no Vão Livre do Masp, tradicional cartão postal paulistano. Exibida no Festival de Cinema de Rotterdam em 2021, a obra marca a estreia de Nino Martínez Sosa na direção de longa-metragem.

Ambientado no começo do século 20, “Libório” nos apresenta o personagem título,  um camponês que desaparece num furacão e retorna como um profeta rodeado por um ar mítico. Ele é seguido por uma população fiel e seu povo se isola nas montanhas em busca da liberdade plena enquanto a ameaça da marinha estadunidense no território da República Dominicana se aproxima.

Para esta sessão, serão disponibilizados 100 ingressos, sendo 50 para convidados e os demais para o público geral. A exibição seguirá todos os protocolos de segurança preconizados pelas Autoridades de Saúde. O uso de máscara será obrigatório, bem como a apresentação do comprovante de vacinação para acesso ao local.

SALA 54

A mostra de filmes do NICHO NOVEMBRO deste ano será complementada com outras 15  produções nacionais e internacionais, entre curtas e longas-metragens, vindas de nove países e que serão exibidas pela plataforma de streaming exclusiva SALA 54 (www.sala54.com.br). Cada título ficará disponível para acesso por um período de 42 horas a partir da data de estreia no site, que será sempre às 19 horas.

A seleção apresenta obras exibidas e premiadas em festivais como BlackStar, Berlinale, Roterdã, Sundance, Vienna Shorts, Encontro de Cinema Negro Zózimul Bulbul, Recifest, IDFA, FestCurtasBH, Outfest Fusion, Curta Kinoforum, entre outros. As produções debruçam-se em histórias negras centradas em relacionamentos afetivos, dilemas familiares, xenofobia, pandemia, migração, sexualidade, resistência ao colonialismo, jornadas tortuosas de crescimento, mobilização popular de mulheres e etc.

“A carta de intenções curatoriais da mostra do ano passado segue relevante para este ano: mantemos nossa aposta na pesquisa curatorial, que é a de ultrapassar o mero gesto de ‘mostrar os melhores filmes da safra anual’. Pretendemos assim estabelecer conversas entre as diásporas e o continente africano e vislumbrando o nosso evento como um recorte cirúrgico e propositivo na produção recente”, explica Heitor Augusto, codiretor do NICHO 54 e programador-chefe do instituto.

Entre os destaques da programação da mostra estão “Lagarto” (“Lizard”), de Akinola Davies Jr, curta-metragem ganhador do Prêmio de Júri do Festival de Sundance de 2021, e o cubano “Aquilombados” (“Los Cimarrones”), filme de Dami Sainz que traz uma parábola que relaciona a construção de quilombos durante a escravidão com a experiência contemporânea da homossexualidade naquele país.

Da Colômbia surge “Entre Fogo e Água” (“Entre Fuego y Agua”), de Viviana Gómez Echeverry e Anton Wenzel, documentário que investiga a jornada de um jovem negro adotado por uma família indígena do povo Quillasinga. Outra atração imperdível é “Apátrida”, que venceu o Prêmio do Júri no Blackstar Film Festival 2020. Dirigido por Michèle Stephenson, o longa-metragem convida o público a acompanhar as tensões raciais e o comportamento xenofóbico da República Dominicana frente ao Haiti. 

A produção brasileira está representada com sete títulos nesta edição do evento. Destaque para o curta-metragem ficcional “Como respirar fora d’água”, de Júlia Fávero e Victoria Negreiros, que conta a história de Janaína, uma adolescente abordada violentamente pela polícia enquanto voltava do treino de natação. Já em casa e livre do perigo, ela encaraa relação com seu pai, Júlio, também policial militar, com outros olhos.

A safra nacional traz ainda “O Dia da Posse”, que marca o encerramento da mostra de filmes do NICHO NOVEMBRO 2021 e se equilibra entre o documentário e a autoficção. O filme de Allan Ribeiro ganha curta exibição no dia 13 de novembro por um período de 5 horas.

Confira abaixo a lista completa dos filmes que integram o Eixo Curatorial do NICHO NOVEMBRO 2021:

Exibição presencial:

Divulgação/ Libório

Filme: Libório  – Nino Martínez Sosa – Ficção, República Dominicana/Porto Rico/Catar, 2021, 99 minutos.

Sinopse: Começo do século 20. Libório é um camponês que desaparece num furacão e retorna como um profeta rodeado por um ar mítico. Ele é seguido por uma população fiel e seu povo se isola nas montanhas em busca da liberdade plena. Porém, a ameaça da marinha estadunidense no território da República Dominicana se aproxima.

Onde: Exibição em  05 DE NOVEMBRO, às 19h, no Vão Livre do MASP.

Exibições na SALA 54 (www.sala54.com.br )  – Por data de estreia na plataforma

Divulgação/  COMO RESPIRAR FORA D’ÁGUA

●       COMO RESPIRAR FORA D’ÁGUA, de Júlia Fávero, Victoria Negreiros – Ficção, Brasil, 2021, 15 minutos

Sinopse: Na volta de um dos seus treinos de natação, Janaína é enquadrada violentamente por policiais. Já em casa e livre do perigo, ela enfrenta a relação com seu pai, Júlio, também policial militar, com outros olhos.

Janela de exibição: 06 de novembro às 19h até 08 de novembro às 14h

●       ALMA DO MAR (Liremu Barana), Ficção, Guatemala/Noruega, 2019, 10 minutos

Sinopse: Arisa dança dia e noite ao som de canções que falam das batalhas de seu povo e de seus ancestrais. Música e memória se entrelaçam nessa meditação lírica acerca da jornada de se tornar mulher, da identidade e do pertencimento ao povo Garífuna, na Guatemala.

Janela de exibição: 06 de novembro às 19h até 08 de novembro às 14h

●       LAGARTO (Lizard), de Akinola Davies – Ficção, Nigéria/Reino Unido, 2021, 18 minutos

Sinopse: Juwon, uma garota de oito anos com habilidades para farejar o perigo, é expulsa da aula de educação religiosa. Sua jornada pelos corredores de uma mega igreja em Lagos, capital da Nigéria, faz com que testemunhe, acidentalmente, os mistérios do espaço.

Janela de exibição: 06 de novembro às 19h até 08 de novembro às 14h

●       MENINOS RIMAM (Lucas Nunes) – Ficção, Brasil, 2020, 20 minutos

Sinopse: Enquanto um aprende a filmar, o outro sonha com seu primeiro videoclipe. Entre os dois, a amizade e o aflorar do desejo. Ritmado pelos beats e improvisos do rap, este filme acompanha descobertas e reúne diferentes regimes de imagem, numa montagem igualmente impregnada de desejo. Do skate à câmera emprestada, tudo converge para o encontro entre os dois… Um beijo seria capaz de separá-los? Este curta brinca com o verbo rimar e amplifica ritmicamente as descobertas em curso.

Janela de exibição: 06 de novembro às 19h até 08 de novembro às 14h

●       NOOR & LAYLA, de Fawzia Mirza – Ficção, Canadá, 2020, 13 minutos

Sinopse: Noor e Layla estão terminando o relacionamento. É o fim da linha para essas duas mulheres mulçumanas ou é o começo? Este é um filme sobre a reivindicação do ritual e do amor queer entre mulçumanas contado através de cinco momentos definidores no relacionamento de Noor e Layla marcados pelo azaan, a chamada mulçumana para a oração.

Janela de Exibição: 06 de novembro às 19h até 08 de novembro às 14h

●       O BEM VIRÁ, Uilma Queiroz – Documentário, Brasil, 2020, 80 minutos

Sinopse: Treze mulheres, treze ventres, treze esperanças, uma foto. E uma busca pelas mulheres que, em 1983, em uma seca no sertão do Pajeú, em Pernambuco, lutaram pelo direito à sobrevivência num contexto em que ser mulher limitava-se à função de administrar a  miséria.

Janela de exibição: 07 de novembro às 19h até 09 de novembro às 14h

●       EYIMOFE – ESSE É O MEU DESEJO (Eyimofe), de Arie and Chuko – Ficção, Nigéria, 2020, 116 minutos

Sinopse: Tragédia e o destino intervêm enquanto dois nigerianos buscam uma vida melhor para as suas famílias. Eyimofe (Este é Meu Desejo) é um filme sobre a busca de duas pessoas pelo que acreditam ser uma vida melhor em terras estrangeiras. Após Mofe perder sua família e Rosa não conseguir cumprir uma promessa, seus planos de viagem caem por terra os forçando a repensar a ideia de viver no exterior. À medida que o tempo passa e as feridas cicatrizam, eles aprendem que o futuro que procuram incessantemente pode ser construído em seu próprio lar.

Janela de exibição: 08 de novembro às 19h até 10 novembro às 14h

Divulgação/ ENTRE FOGO E ÁGUA

●       ENTRE FOGO E ÁGUA, de  Viviana Gómez Echeverry – Documentário, Colômbia, 2020, 92 minutos

Sinopse: Camilo é filho adotivo de dois indígenas do povo Quillasinga da lagoa da Cocha, na Colômbia. Ele é o único homem negro em sua comunidade e sempre se sentiu diferente. Durante anos, perguntou-se quem eram seus pais biológicos. O chefe Quillasinga o aconselha e o dá Ayahuasca, uma planta sagrada e guia espiritual. Durante a viagem interior, Camilo tem visões de sua mãe biológica. Com o apoio de seu pai adotivo, Camilo embarca em uma viagem em busca de suas origens.

Janela de exibição: 10 de novembro às 19h até 12 de novembro às 14h

●       NOVO RIO, de Lorran Dias – Documentário, Brasil, 2021, 15 minutos

Sinopse: Nos anos 2000, Lorran Dias vive uma experiência inédita e inesperada: viaja de avião com seus pais para o município de Tamboril, no Ceará (onde sua mãe nasceu), saindo da Favela da Maré. Tania Dias registra em fotografias a única vez que retornou à sua terra de origem desde a década de 1980 e o único contato do seu filho com o lugar. Vinte anos depois, em um ensaio sobre a distância e as suas transformações, Lorran reúne as memórias de sua mãe com relatos do deslocamento de outras pessoas nordestinas moradoras da Favela da Maré.

Janela de exibição: 11 de novembro às 19h até 13 de novembro às 14h

●       FIVE TIGER, de Nomawonga Khumalo – Ficção, África do Sul, 2021, 11 minutos

Sinopse: Ambientado na África do Sul contemporânea, Five Tiger conta a história de Fiona, uma mulher devota e religiosa que tem de realizar uma transação com o líder de sua igreja para conseguir dar apoio ao marido enfermo e à filha.

Janela de exibição: 11 de novembro (quinta-feira) às 19h até 13 de novembro (sábado) às 14h

●       VOCÊ TEM OLHOS TRISTES, de Diogo Leite – Ficção, Brasil, 2020, 19 minutos

Sinopse: Luan trabalha como bikeboy de aplicativo e enfrenta dilemas e preconceitos na sua jornada diária de entregas em uma cidade grande. Sem hesitar, sonha com um futuro melhor.

Janela de exibição: 11 de novembro às 19h até 13 de novembro às 14h

●       AFETADAS, de Jean – Híbrido, Brasil, 2021, 20 minutos

Sinopse: JEAN vinha filmando amigas, amigues e rolês com dispositivos portáteis, aos poucos gerando uma coleção de vislumbres e lembranças. Este retrato coletivo atravessa uma constelação de fragmentos autobiográficos que documenta cidade, pista, beleza e intimidade enquanto fornece uma fábula meditativa do laço e hospeda olhar e corpo de quem vê um fluxo onírico de si. Realizado em parceria com o Surto & Deslumbramento, com montagem de André Antônio, é também um filme para dançar e para curar.

Janela de exibição: 11 de novembro às 19h até 13 de novembro às 14h

●       AQUILOMBADOS (Los Cimarrones), de Dami Sainz Edwards – Ficção, Cuba, 2021, 12 minutos

Sinopse: À noite, o bosque esconde os mais profundos medos de Orestes: a escuridão, os espíritos dos seus ancestrais escravizados e a homossexualidade de seu irmão.

Janela de exibição: 11 de novembro às 19h até 13 de novembro às 14h

Divulgação/ APÁTRIDA

●       APÁTRIDA, de  Michèle Stephenson – Documentário, EUA/Canadá, 2020, 95 minutos.

Sinopse: Em 1937, milhares de haitianos e dominicanos de ascendência haitiana foram exterminados pelo exército da República Dominicana motivados pelo racismo antinegro. Corta para 2013, quando o Supremo Tribunal Federal daquele país retirou a cidadania de qualquer pessoa com pais nascidos no Haiti. A medida foi retroativa, cobrindo até o ano de 1929, o que deixou mais de 200 mil pessoas sem Estado — ou apátridas. Este documentário acompanha a militância da jovem advogada Rosa Iris, sua atuação no combate à corrupção eleitoral e a contribuição para garantir o direito de cidadania de toda a população.

Janela de exibição:  12 de novembro às 19h até 14 de novembro às 23h

●       O DIA DA POSSE, de Allan Ribeiro – Documentário, Brasil, 2021, 70 minutos

Sinopse: Brendo quer ser presidente do Brasil. Enquanto esse dia não chega, o jovem baiano estuda direito, faz vídeos para as redes e sonha com novas conquistas em meio à pandemia. Entre os conflitos que vive com o diretor do filme, Allan Ribeiro, Brendo ainda tem tempo de observar as inúmeras janelas dos vizinhos. Quem são essas pessoas? O que estão fazendo? Que horas dormem? Estão isoladas? Nos observam também? Estamos todos em um reality show da vida real?

Janela de exibição:  13 de novembro às 19h até 13h de novembro às 23h59

Sobre o NICHO NOVEMBRO:

Contemplando integralmente os três eixos do instituto – Curadoria, Formação e Mercado – , o evento deste ano segue gratuito e reúne mostra de filmes, com os destaques nacionais e internacionais da safra anual de obras focadas nas vivências negras; atividades de formação, que buscam o compartilhamento de conhecimento e experiências cinematográficas; e participação no mercado audiovisual, por meio de painéis de discussão sobre temas do setor e rodada de negócios com players do mercado – com seleção de longas-metragens aberta até o dia 02 de novembro por meio deste formulário: https://forms.gle/6qqr3UsSDdCVqsfV9 .

As atividades de Formação serão realizadas via Zoom, com participantes selecionados por inscrição já encerrada, e as de Mercado  poderão ser acessadas gratuitamente pelo Facebook e Youtube do NICHO 54. Já os filmes serão exibidos pela plataforma de streaming exclusiva SALA 54 (www.sala54.com.br), que abriga todas as mostras on-line de filmes do instituto. Acompanhe todos os detalhes do evento pelo nosso Instagram (@nicho54br) e pelo Facebook: https://www.facebook.com/nicho54brasil .

A terceira edição do NICHO NOVEMBRO é correalizada pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, por meio da Spcine, e pelo Fundo Goethe| Hilfsfonds, com apoio institucional do Projeto Paradiso,  Goethe-Institut, Quanta e Compasso.

Sobre o NICHO 54:

Atualmente dirigido por Fernanda Lomba e Heitor Augusto, fundadores do instituto ao lado de Raul Perez, o NICHO 54 visa fomentar a presença negra no audiovisual. Incorporando perspectivas de gênero, classe e orientação sexual, atua na estruturação de carreiras de pessoas negras com vistas a posições de liderança criativa, intelectual e econômica.

O Instituto está estruturado em três pilares: Formação, que compreende a capacitação para profissionais exercerem distintas funções na cadeia do audiovisual; Curadoria, cuja ênfase está na formação do olhar e de disputa do imaginário, seja por meio da programação de filmes quanto na oferta de oficinas e vivências curatoriais para jovens profissionais negros; e Mercado, com ações de estímulo à aproximação entre profissionais e a indústria, bem como atuando na sensibilização de agentes contratantes e realização de ambientes de mercado para projetos de realizadores negros.

O NICHO 54 nasce em diálogo com experiências internacionais que tratam da reparação dos cenários de exclusão de raça e gênero no audiovisual, como o programa Diversity and Inclusion no European Film Market (Berlinale) e Diversity in Cannes (Festival de Cannes).

+ sobre o tema

O poder da beleza negra, na Vogue Itália

O poder da beleza negra, na Vogue Itália. A Vogue...

Beyoncé contrata 200 dançarinos africanos para novo clipe

Beyoncé contratou mais de 200 bailarinos africanos para o...

Camila Pitanga conta que faz terapia desde os 16 anos

Camila Pitanga falou com a Marie Claire e contou que faz...

Hoje na História, 1973, nascia Isabel Filardis

Isabel Cristina Teodoro Fillardis mais conhecida como Isabel Fillardis...

para lembrar

Kerry Washington, cinema e afins

Linda. Pele de pêssego. Primeira protagonista negra de uma...

EUA: Filme “Njinga, Rainha de Angola” estreia em Washington

Washington - O filme angolano intitulado "NJinga, Rainha de...

Cidade de Deus está em lista de melhores filmes estrangeiros

Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, foi eleito o...

Arquétipos e caricaturas do negro no cinema brasileiro

Um dos questionamentos mais frequentes feitos ao cinema brasileiro...
spot_imgspot_img

Novas imagens de Jaafar Jackson como Michael Jackson em cinebiografia chocam web: ‘É o próprio MJ’

Se tem uma cinebiografia que está chamando a atenção dos fãs de cinema ultimamente, essa com certeza é "Michael", longa inspirado na obra e vida de Michael Jackson. Para...

Filmes de Plástico: De  Mar, Amar

Contagem, abril de 1968. Palco da primeira grande greve operária no recrudescer da ditadura militar no Brasil. Contagem semeia Lula em São Bernardo do...

Festival Visões Periféricas anuncia filmes selecionados 

O FESTIVAL VISÕES PERIFÉRICAS confirma a realização da 17ª edição, de 20 a 26 de março, com formato presencial e online e gratuito para todo o Brasil,...
-+=