Movimentos negros do Estado dizem que racismo ainda existe na sociedade

Por: Paula Vitorino

 

A exemplo do caso de ofensa racial registrado hoje (16), em Campo Grande, a questão do racismo “ainda existe, e muito, no Mato Grosso do Sul”, segundo o coordenador do Fórum Permanente das Entidades do Movimento Negro do Estado e presidente do Instituto Casa da Cultura afro-brasileira, Antônio Borges dos Santos.

Para Borges, o racismo precisa ser combatido dentro da família e, principalmente, já nas crianças.

“As pessoas não têm coragem de dizer que são racistas. Mas ele existe e já dentro da família. Quando o pai diz para a criança que não gosta de negro, essa criança já vai crescer com a mentalidade racista”, diz.

Uma das soluções apontadas pelo representante de movimentos negros é a inclusão da história do negro na grade curricular do ensino fundamental e médio.

“Estamos lutando para que a história da África e do negro no Brasil entre no currículo escolar. O povo que não tem sua história reconhecida não é nada. Isso é uma forma de dizer que nós não existimos”, ressalta.

Os vários nomes que a legislação designou para a discriminação racial, segundo Borges, também contribui para a impunidade.

“A lei precisa ser aplicada. Preferem chamar de injúria ao invés de racismo. Isso é uma forma de dizer que no Brasil não existe racismo.”, frisa.

Já o advogado e conselheiro do Conselho Estadual de Direitos do Negro, José Roberto Camargo de Souza, alerta para a necessidade de que as leis sejam devidamente cumpridas.

“A legislação precisa ser aplicada. A vítima deve registrar boletim de ocorrência e também pode entrar com ação na justiça contra danos morais e então receber indenização do autor. Dessa forma, o autor pode ser punido com detenção e também pagar com o bolso”, explica.

Ele ainda orienta as pessoas que se sentirem ofendidas ou discriminadas racialmente a procurar o Conselho. “Lá nós prestamos todo apoio a vítima e orientamos sobre seus direitos”, esclarece.

O telefone do Conselho Estadual de Direitos do Negro é 3382-9206.

 

Fonte: Campo Grande news

+ sobre o tema

Busto em vilarejo provoca debate sobre passado fascista da Itália

Por Gaia PianigianiHomenagem de prefeito de Affile ao general...

RS: homem pega 13 anos de prisão por matar outro por racismo

Fonte: Terra Notícias -   O trabalhador...

Quando o refugiado é branco europeu

"A cobertura mais racista da Ucrânia na TV" foi...

para lembrar

Erradicar a fome

O título desta coluna deveria ser “e não vai...

Você pode impedir a redução da maioridade penal

Especialistas, organizações nacionais e internacionais, movimentos sociais e igrejas. Todas as pessoas sérias, responsáveis...

A execução de adolescentes no Rio e o vídeo do Unicef que ninguém viu

Por Alceu Luís Castilho Do Outras Palavras O que separa o...

Secretário anuncia proposta de plano nacional com cotas para negros

  O secretário-executivo da Secretaria de Políticas de...
spot_imgspot_img

Prisão de torcedores deveria servir de exemplo para o futebol brasileiro

A condenação de três torcedores racistas na Espanha demonstra que, apesar da demora, estamos avançando em termos de uma sociedade que quer viver livre...

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...
-+=