Mulher estuprada pela polícia é acusada de atentado ao pudor na Tunísia

A convocação a um tribunal de uma mulher acusada de atentado ao pudor após ter sido estuprada por policiais na Tunísia desencadeou nesta quarta-feira a ira da sociedade civil, que critica os islamitas no poder pelo descaso quanto à condição feminina.

A mulher deverá ser confrontada com os policiais estupradores que a acusam de “atentado ao pudor”, delito passível de seis meses de prisão. Várias ONGs denunciaram o caso.

A audiência foi adiada para o dia 2 de outubro, segundo as ONGs, que lançaram um apelo para manifestar neste dia em frente ao Tribunal de Túnis.

Segundo o ministério do Interior, a jovem e seu namorado foram vistos por três policiais no dia 3 setembro em uma “posição imoral”. Dois policiais estupraram a vítima, enquanto o terceiro segurava o namorado. Os três policiais foram presos.

As ONGs ressaltam que este procedimento “transforma a vítima em acusada e tem o objetivo de aterrorizar e obrigar, a ela e ai namorado, a renunciar a seus direitos”, já que o mesmo juiz analisa o estupro e o atentado ao pudor.

Desde a chegada ao poder dos islamitas do partido Ennahda após a revolução, várias ONGs tunisianas denunciam o comportamento da polícia em relação as mulheres, que são regularmente punidas por suas roupas ou por saírem à noite sem a companhia de um homem de sua família.
As mulheres tunisianas beneficiam de um dos estatutos mais modernos do mundo árabe desde a promulgação do Código de Estatuto Pessoal (CSP), em 1956, que instaurou a igualdade de gênero em várias áreas, mas elas continuam sendo discriminadas em outras, como nas heranças.

Os islamitas do Ennahda iniciaram um movimento em agosto propondo inscrever na nova Constituição a “complementaridade” dos sexos e não a igualdade. Este projeto foi abandonado na segunda-feira.

 

 

Fonte: Yahoo

+ sobre o tema

Taxa de feminicídios no Brasil é quinta maior do mundo

Lançadas nesta semana, diretrizes nacionais sobre feminicídio querem acabar...

Covereadora Carolina Iara denuncia transfobia na Câmara: ‘Ataque explícito’

A covereadora Carolina Iara (PSOL-SP) denunciou ontem, no Twitter,...

Uma fala de Sueli Carneiro

Neste 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra...

#MinhaPrimeiraTransfobia: transexuais relatam primeiro caso de preconceito

Internautas relatam os acontecimentos e recebem o apoio de...

para lembrar

Fundo ELAS lança XX Concurso com inovação.

O Concurso “Gestão Escolar para Equidade: Elas nas Exatas”,...

Mulheres ainda precisam lutar contra preconceito

Segunda-feira fez exatamente um ano que a auxiliar de...

Líder do Boko Haram promete vender jovens raptadas na Nigéria

Em vídeo, homem se intitula Abubakar Shekau e diz...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira (11) para julgamento a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra...
-+=