Músico brasileiro foi vítima de preconceito na Espanha

Um músico brasileiro que vive na Europa afirma que foi vítima de preconceito na Espanha. Ele denunciou a violência à embaixada brasileira em Madri. De acordo com o Itamaraty, a embaixada pediu esclarecimentos à corregedoria da polícia espanhola e vai acompanhar o caso de perto.

Israel de França é maestro da Orquestra de Câmara de Granada, na Espanha. Em entrevista por telefone, ele afirmou que foi vítima de racismo. Ele estava com outro brasileiro em um bar quando policiais chegaram. O amigo, que é branco, foi liberado. Israel foi levado para a delegacia e lá, disse que foi agredido com socos e pontapés na noite do último domingo (23).

Essa não é a primeira vez que Israel é vítima de racismo. Na adolescência, ele foi detido e levado para uma delegacia porque corria apressado em um parque com um violino para uma apresentação. O músico teve que tocar o instrumento para mostrar que não era ladrão. A história foi mostrada na Rede Globo, nos anos 80.

O episódio motivou Israel a continuar estudando. Ele estreou como solista em 1982. Passou pela Orquestra Sinfônica de Campinas e Sinfônica da Paraíba. Depois, recebeu uma bolsa de estudos da embaixada brasileira em Portugal. Em Granada, onde vive até hoje, estudou regência e foi um dos fundadores da Orquestra de Câmara da cidade.

Fonte: G1

+ sobre o tema

Violência racista dá sinais de escalada na Itália

País registra nove ataques a bala contra integrantes de...

Mais de 200 mil pessoas em Berlim contra o racismo e a direita

O centro da capital alemã estava cheio de uma...

Confundidas com faxineiras, deputadas negras britânicas denunciam racismo

Deputada da oposição trabalhista Abena Oppong-Asare contou no Twitter...

Tobias Barreto e a questão racial no Brasil pré-republicano

Por Venceslau Tavares Costa Filho O mês de junho de 1889...

para lembrar

Grupo Pão de Açúcar atrasa investigação de agressão e racismo contra crianças

Os advogados dos menores agredidos por um segurança acusam...

‘Você faz faxina?’ Perguntou uma mulher, e a resposta foi: “Não. Faço mestrado”

A historiadora e professora Luana Tolentino, de 33 anos,...

Cotas: 10 anos de inclusão nas universidades públicas brasileiras

Em audiência pública com mais de três horas de...
spot_imgspot_img

Presos por racismo

A dúvida emergiu da condenação, pela Justiça espanhola, de três torcedores do Valencia por insultos racistas contra Vini Jr., craque do Real Madrid e da seleção brasileira. O trio...

Formação territorial do Brasil continua sendo configurada por desigualdades, diz geógrafo

Ao olhar uma cidade brasileira é possível ver a divisão provocada pela segregação espacial no território, seja urbano, seja rural. A avaliação é fruto...

Família de João Pedro protesta contra decisão que absolveu policiais

Os parentes do adolescente João Pedro, morto por policiais civis durante uma operação na comunidade do Salgueiro, em São Gonçalo, no Grande Rio, em...
-+=