Novembro Negro tem programação unificada na UFMG

Espetáculos culturais, rodas de conversa sobre percurso de alunos e professores e cotas raciais estão entre os destaques

Da UFMG

Presença negra na Universidade será amplamente discutida nas próximas semanas – Paulo Pinto / Fotos Públicas

Novembro é o mês da consciência negra e, a exemplo do que ocorre em diversos lugares no Brasil, vários grupos da UFMG propõem ações para discutir temas como inclusão, participação e racismo. Com o objetivo de unificar esses eventos, o coletivo Tudo Nosso, o Centro de Convivência Negra e a Unegro Mineira organizaram o Novembro Negro UFMG, que se estende até 7 de dezembro.

O 2º Festival Iranti de Cultura Negra, promovido pela Associação dos Servidores (Assufemg), está sendo realizado até 17 de novembro, com diversas atrações musicais, culturais e artísticas, feira de arte negra e oficinas. Para conhecer a programação e se inscrever nas oficinas, basta acessar o site da entidade.

Nesta terça-feira, dia 14, às 11h, a roda de conversa Apenas vivi, no auditório Bicalho, reúne discentes e docentes negros. Eles vão relatar suas trajetórias na academia e as dificuldades que enfrentaram por serem negros e negras. Às 13h, o Café Cacs sobre autodeclaração, que será realizado na sala 2080 da Fafich, vai discutir o tema das cotas raciais na universidade.

“A ideia é promover um mês de reflexão sobre o negro na universidade e discutir questões como as fraudes nas cotas”, explica Alexandre Braga, um dos organizadores do evento. Ainda nesta terça, haverá oficina de capoeira angola, às 14h, na Arena da Fafich, e os debates DESconstruções: construindo, desconstruindo e reconstruindo saberes e Quilombos urbanos: identidade, território e violência, às 17h, no auditório 2 da Faculdade de Ciências Econômicas (Face). A programação do dia será encerrada às 22h, com Batalha de MC’s e um pocket show, na arena da Fafich.

Na quinta-feira, 16, a turma de formandos do Teatro Universitário (TU) se apresenta na Fundação Nacional de Artes (Funarte), às 19h, com peça apresentada apenas por atores negros. No dia seguinte, 17, haverá o lançamento do livro Passageiros da noite: do trabalho para a EJA, do professor Miguel Arroyo, na Faculdade de Educação (FaE), às 18h30.

ato contra a censura Terreiro Pai Ogum/Unegro é a atração de domingo, 19 de novembro, às 18h, no Palácio das Artes. O evento, que pretende denunciar a censura e a cultura do ódio que tomou conta do país, será marcado pela lavagem das escadarias do Palácio das Artes.

Consciência negra

No Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, a Praça de Serviços será um dos palcos das atividades do Novembro Negro UFMG. A partir das 11h, haverá performance EnegreSer, seguida de lançamento de livros, apresentação de violão e roda de conversa sobre percursos de negros acadêmicos.

Ainda no dia 20, a performance EnegreSer e o Cortejo afro serão realizados das 18 às 18h30, no Restaurante Universitário 1. Às 18h, também ocorre a palestra O negro na sociedade brasileira, na Faculdade de Direito.

No dia 21, às 11h, o campus Saúde recebe a Concentração negra na Medicina. No dia 23, a palestra O que é ser negro? será realizada na Fafich, às 11h. E, no dia 27, haverá oficina de dança afro na Praça de Serviços, às 13h30. No último dia, 7 de dezembro, às 18h30, está marcada, na Fafich, a atividade Preta poeta e indígena

Semanalmente, a programação será atualizada na página do Facebook do eventona página da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) e no site Viver UFMG.

+ sobre o tema

Companhia aérea coloca imagem de Mandela em avião para comemorar seu aniversário de 93 anos

A companhia sul-africana "South African Airways" (SAA) apresentou hoje...

Nota de Pesar – Danilo Santos de Miranda

Danilo Santos de Miranda, diretor do SESC-SP, filósofo, sociólogo,...

Aparecida Petrowky chega para se casar: ‘Estou com frio na barriga’

Aparecida Petrowky não se atrasou para o seu casamento...

Vagas disponíveis para educadores no Museu Afro Brasil

O Museu Afro Brasil criado a partir da coleção particular de...

para lembrar

Borba Gato deve cair

Por quais estátuas os sinos do nosso luto dobram,...

Filhos de Bob Marley anunciam primeira turnê coletiva em duas décadas

Bob Marley teve, ao total, 11 filhos, e cinco deles...

África tem reservas subterrâneas de água, dizem cientistas

    Terra Cientistas dizem que o continente africano, conhecido pelo clima...

A cultura moderna nasceu em África há 44 mil anos?

Por Ana Gerschenfeld A nossa visão das origens da modernidade...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=