Novo canal de TV brasileiro tem 24 horas de conteúdo feito por profissionais negros

Enviado por / FonteO Globo, por Maria Fortuna

A data escolhida para a estreia não foi à toa: 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, no Brasil, dedicado à memória de Tereza de Benguela, importante líder quilombola. Agora, este dia marca também a entrada no ar do canal de TV Trace Brazuca (624 na Claro/NET, e 630, na Vivo), o primeiro da história do país com 24 horas de conteúdo produzido por negros. O lançamento acontece também em meio à urgência de importantes debates mundiais sobre direitos civis e visibilidade da população negra.

É aí que entra a questão da representatividade, uma das principais bandeiras do novo canal, que pretende potencializar as vozes negras.

— A gente fala de empoderamento por meio do entretenimento. Não queremos falar de dor, mas de conquistas e vitórias para mostrar que o negro é múltiplo, que existimos em muitas esferas e não queremos só falar de racismo — afirma Kenya Sade, chefe da programação. — Pretendemos contar a história de um perspectiva positiva na qual a mulher e o homem negros possam se ver em potência e excelência, visto que houve um apagamento histórico por anos e anos. Chegou a hora de contarmos nossas histórias em primeira pessoa.

E essa história é recheada de muita música, documentários e shows de diferentes gêneros da cena brasileira. A curadoria do Trace Brazuca promete contemplar artistas e movimentos culturais de diferentes regiões do país.

Além de conteúdo autoral, a grade do canal também é composta por programas veiculados pela Trace, multiplataforma de mídia e entretenimento, em países como Angola, França, Portugal e Moçambique.

Um dos destaques da programação é a a playlist “Djouba”, com os maiores hits africanos do momento. Tem também o “Trace+”, com uma seleção de documentários. Um deles é “História do Papa Wemba”, sobre a trajetória do cantor congolês. “Afrobeats, da Nigéria para o mundo”, que conta como o gênero musical influenciou artistas de diversos lugares, é outro exemplo.

+ sobre o tema

Um novo olhar para os jovens nordestinos

Mudar uma cultura impregnada ao longo de décadas não...

O fotógrafo que desafiou o racismo nos EUA e registrou a luta pelos direitos civis no país

Quando Cecil J. Williams começou a trabalhar como fotojornalista,...

Jay Z e Will Smith vão produzir uma nova minissérie para a HBO

Projeto deve contar a história de Emmett Till, um...

para lembrar

Médicos voltam atrás e adiam alta de Gilberto Gil; músico segue internado

  Internado desde a última terça-feira, 10, Gilberto Gil continua...

Comitiva brasileira viaja à Nigéria para participar do OLOJO

Estreitar laços e promover o intercâmbio cultural entre Brasil...

Lima Barreto, um Intelectual Negro na Avenida Central

Autora: CELI SILVA GOMES DE FREITAS Filiação Institucional: UERJ   }Suas crônicas...

Livro de História e Cultura Afro-brasileira vence em 1º lugar o mais importante prêmio literário do Brasil

História e Cultura Afro-brasileira Por Juliana Dias Entre os 21 livros...
spot_imgspot_img

14 de maio e a Revolta dos Malês

Quem passa pelo Campo da Pólvora, em Salvador, nem imagina que aquela praça, onde ironicamente hoje se encontra o Fórum Ruy Barbosa, foi palco...

Iza anuncia que terá uma menina e o nome será Nala

O primeiro bebê de Iza e Yuri Lima já teve o sexo revelado: será uma menina. A cantora contou a novidade aos fãs na noite desta segunda-feira (13),...

Mostra Competitiva Adélia Sampaio recebe inscrições de filmes de mulheres negras até 16 de junho

A 6ª edição da Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio está com inscrições abertas para filmes dirigidos por mulheres negras de todo o...
-+=