Guest Post »

UNEGRO: Novos desafios para o movimento negro brasileiro

Por: Edson França

A União de Negros Pela Igualdade – UNEGRO/SP realizou, com muito êxito, no dia 25 de abril, na Capital de São Paulo, sua Plenária Estadual “Por Um Novo Projeto de Desenvolvimento Nacional: O Negro Compartilhando o Poder”.

Participaram 250 filiados, representando quinze municípios, todos realizaram plenárias municipais acompanhadas pela coordenação cessante. Contamos com a presença de Leci Brandão, Netinho de Paula, Nadia Campeão e Wander Geraldo (presidentes estadual e municipal do PCdoB, respectivamente), Delegado Protógenes Queirós (responsável pela operação Sathiagara, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas) e Célio Tourinho (criador e responsável pelos Pontos de Culturas em todo país).

Elegemos a coordenação para o triênio 2010 – 2013, que terá a tarefa de aprimorar a organização da entidade, colocar em prática a nova política da UNEGRO e influenciar a agenda do movimento negro, considerando que além das políticas públicas sociais e as ações afirmativas, temos que debater temas estruturantes que incidem no desenvolvimento do país, assumir bandeiras gerais que unificam os movimentos sociais e trabalhar para maior participação do negro da política.

A Plenária debateu novos rumos para UNEGRO e para o movimento negro brasileiro, verificamos a importância estratégica do debate sobre os rumos e modelo de desenvolvimento nacional; sobre a transformação da força social e reivindicatória do movimento negro em força política concreta, capaz de, aliada as forças políticas e sociais progressistas, impor um projeto capaz de unir o povo e promover a justiça social.

Compreendemos que a ausência do negro organizado no debate sobre os planos plurianuais (PPA) e orçamento público nos municípios, estados e União; sobre o fomento ao desenvolvimento e créditos dos bancos públicos (BNDS, Banco do Brasil e Caixa Econômica) e outros temas relacionados a economia e desenvolvimento; somada a sub-representação do negro nos espaços institucionais de definição política e a super representação nas bases dos movimentos sociais e partidos políticos, tem gerado grandes prejuízos para implantação das políticas públicas propostas pelo movimento negro e mantido a população negra nas margens da sociedade.

Verificamos que o movimento negro é muito fértil em formulação, proposição e reivindicação de políticas públicas para promoção da igualdade racial, porém não se constituiu em força política capaz de dar plena efetividade e eficácia em suas propostas. O conservadorismo e a incompreensão prevalecem. Para a UNEGRO, essa realidade somente será alterada, com a democratização dos espaços de poderes e a participação do povo na implantação de um projeto nacional de desenvolvimento com vista à inclusão dos setores marginalizados.

Consideramos que o movimento negro está apto a enfrentar os desafios exigidos em debates e pleitos estruturantes, no entanto, terá que superar sua cultura política introspectiva e privilegiar o desenvolvimento de ações unitárias com os demais segmentos dos movimentos sociais. Agregar bandeiras e levar a pauta de luta do movimento negro a todos lutadores do povo brasileiro, compreendendo o racismo como problema nacional e não dos segmentos vítimas da discriminação, preconceito e racismo.

Em consonância com a nova política acima exposta definimos:

1. Realizar seminários e estudo coletivos para aprofundar a compreensão sobre desenvolvimento e economia, a fim de elaborar a defesa de um modelo de desenvolvimento que inclua a população negra;
2. Participar do processo eleitoral, somando as forças progressistas comprometidas com a luta contra o racismo, o desenvolvimento nacional, com mais democracia, direitos sociais e distribuição de renda;
3. Participar das campanhas eleitorais nos municípios onde estamos organizados;
4. Garantir as propostas do movimento negro nos planos de governos majoritários;
5. Apoiar a pré-candidatura da cantora e compositora Leci Brandão para a Assembléia Legislativa. Desejamos a presença de uma mulher negra progressista, comprometida com o combate ao racismo e com a promoção da igualdade racial na Assembléia Legislativa de São Paulo – a mais conservadora e preconceituosa do Brasil.
6. Apoiar a pré-candidatura do vereador e apresentador de televisão Netinho de Paula ao Senado. São Paulo não deseja ser representado no senado exclusivamente por brancos de olhos azuis, por isso buscaremos pronunciamento do movimento negro e demais movimentos populares que tem na bandeira antirracismo um ponto importante de atuação.

Fonte: Lista Racial

Artigos relacionados