OIT: Brasil foi quem mais perdeu empregos na América Latina

Com a extinção 490 mil empregos durante a primeira metade do ano, o Brasil foi o país que mais perdeu vagas na América Latina, quase a metade do total, segundo relatório sobre o Emprego no Mundo 2009 publicado nesta segunda-feira pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Na América Latina, o estudo apontou a redução de 1 milhão de postos de trabalho.

No entanto, o Brasil conseguiu frear o impacto e recuperar outros 417 mil empregos no terceiro trimestre deste ano.

O relatório indica que, apesar de algumas das principais economias da América do Sul, como Brasil, Colômbia e Venezuela, estarem voltando a criar empregos, a situação geral na região não melhorará nem voltará aos níveis de trabalho anteriores à crise (em meados de 2008) até do final de 2010.

Por isso, a OIT sugere aos países para que não retirem os pacotes de ajuda e as medidas de contingência, até que esteja assegurado que o mercado de trabalho está recuperado. Além disso, a OIT lembra que os programas de seguridade social são necessários e devem ser mantidos, especialmente em tempos de crise.

O relatório assinala que só 40% dos países têm sistemas de proteção que abrangem aos trabalhadores do setor informal. O “Bolsa Família” foi um dos três casos citados pelo órgão como exemplo de programa adotado pelos países para minimizar os efeitos da crise.

Além disso, o relatório faz referência à mudança climática e à oportunidade que surge na criação de “empregos verdes”. O texto indica que nos países em desenvolvimento, como os da América Latina, há menos empregos com alta carga de carbono do que nos países desenvolvidos.

Segundo a OIT, nos países ricos os trabalhos com alta carga de carbono representam 57% do total, enquanto nos países emergentes se situa em 33%. O relatório foi baseado nos dados fornecidos por Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Jamaica, México, Peru e Venezuela.

Fonte: Terra

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

DEM abre processo de expulsão de Demóstenes

Por: Marina Marquez Reunida em Brasília, cúpula do partido...

Entrevista de Dilma na Band é mais vista que a de Serra no SBT

A entrevista com a presidenciável Dilma Roussef (PT) realizada...

O lixo do Carnaval diz muito até sobre injustiça reprodutiva

Desde que tomei ciência da “sopa plástica do Pacífico”,...

Conflito racha Comissão da Verdade

A Comissão Nacional da Verdade rachou e chegou ao...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=