OPAS: ‘Mais Médicos’ no Oiapoque resgata saber tradicional de tribo indígena

O cubano Javier Lopez Salazar, do Programa Mais Médicos, chegou ao Brasil em janeiro de 2014 e iniciou um trabalho de resgate cultural na aldeia, na tentativa de recuperar a sabedoria local na utilização de plantas e ervas medicinais.

Do Nações Unidas.

O médico cubano, Javier Lopez Salazar, do Programa Mais Médicos, chegou ao Brasil em janeiro de 2014. Especialista em Medicina Familiar e comunitária e com uma pós-graduação em Medicina Tradicional, ele iniciou um trabalho de resgate cultural na aldeia Kumenê, em Oiapoque, localizada a 590 quilômetros da capital do Amapá.

De acordo com os relatos dos índios da aldeia de etnia Palikurca, a chegada de missionários evangélicos ao local e a construção de um templo levou praticamente toda a população a adotar a religião, o que implicou em uma série de mudanças nos costumes dos índios. Grande parte da cultura tradicional da tribo foi deixada de lado, associada a paganismo ou bruxaria, em razão da nova doutrina adotada.

“Esta é uma aldeia evangélica há mais de trinta anos, e muitas vertentes da sua cultura foram mudadas. Eles deixaram de acreditar em plantas medicinais, até a minha chegada aqui. Pouco a pouco, com a equipe de saúde, fomos convencendo as pessoas”, contou Salazar, que contou com a participação do professor local para engajar os mais jovens, dos mais velhos para retransmitir esse conhecimento e a comunidade para recriar uma horta com plantas medicinais.

A iniciativa também foi apoiada pelo cacique, Azarias Ioio Iaparrá. “Eu disse para o médico que nós tínhamos esse conhecimento, do remédio caseiro. Ele então reuniu as comunidades, chamou os idosos, todos nós conversamos. E hoje em dia ele fez a comunidade ver a importância disso, a horta está lá, tão bonita. Ele veio e mostrou o conhecimento dele”, disse Iaparrá.

+ sobre o tema

Médicos fazem laqueadura em mulher grávida

A cirurgia foi realizada em outubro na cidade de...

Deises e Leilanes: abandonadas sem vale-táxi e SAMU-cegonha, por Fátima Oliveira

É cruel a assistência ao parto em muitos recantos...

Dos 32 países da Copa, Brasil foi quem mais reduziu mortalidade infantil, diz estudo

Entre os 32 países participantes da Copa do Mundo,...

Brasileiro consome mais que o dobro do sal recomendado pela OMS

Jefferson Puff Apesar do alardeado resultado de um acordo entre...

para lembrar

Médicos fazem laqueadura em mulher grávida

A cirurgia foi realizada em outubro na cidade de...

A epidemia das cesáreas brasileiras chega ao Congresso

Mulheres em ato pela humanização do parto, em 11...

Mais médicos, por favor. E mais rápido

por : Mauro Donato Dois enfermeiros, um com as mãos no...

Tabu nas campanhas eleitorais, aborto é feito por 850 mil mulheres a cada ano

Interrupção da gravidez é quinta maior causa de morte...
spot_imgspot_img

A indiferença e a picada do mosquito

Não é preciso ser especialista em saúde para saber que condições sanitárias inadequadas aumentam riscos de proliferação de doenças. A lista de enfermidades que se propagam...

Mulheres pretas e pardas são as mais afetadas pela dengue no Brasil

Mulheres pretas e pardas são o grupo populacional com maior registro de casos prováveis de dengue em 2024 no Brasil. Os dados são do painel de...

Saúde: 307 crianças ianomâmis desnutridas foram resgatadas em 2023

Ao longo do ano de 2023, 307 crianças ianomâmis diagnosticadas com desnutrição grave ou moderada foram resgatadas e recuperadas, segundo o Ministério da Saúde. Há quase...
-+=