Outubro Rosa: Sesc realiza mutirão da mamografia em todo o Brasil

Atendimento móvel será feito onde não há exame pela rede pública de saúde

No Terra

Courtesy, iStockphoto

A fila para a realização do exame de mamografia na rede pública pode levar meses para diminuir em alguns lugares do País. Para tentar auxiliar as mulheres que não conseguem acelerar esse processo, as unidades móveis do Sesc rodam o Brasil para oferecer o exame gratuitamente.

O público alvo é composto por mulheres, entre 50 e 69 anos, e que não precisarão de um pedido médico. “É uma rede de promoção da saúde da mulher que faz mamografia para rastreamento de câncer de mama e exame citopatológico (conhecido como papanicolau) para rastreamento de câncer de colo de útero”, afirmou Roberta Vilhena, coordenadora do projeto, em entrevista para a Agência Brasil.

Essa ação é permanente, ou seja, ocorre ao longo de todo o ano, em 22 Estados brasileiros, no total de 25 unidades do Sesc Saúde Mulher. Os resultados ficam prontos, em média, em 15 dias. A paciente é encaminhada para o sistema de saúde local, onde será atendida pela equipe médica.

Roberta Vilhena reforça que o objetivo é levar as unidades móveis para os lugares do Brasil em que não existe a possibilidade de se fazer o exame. “A gente tem a missão de estar, principalmente, nos municípios que não têm mamógrafo”, afirma.

Por ano, essas unidades têm capacidade para realizar 176 mil mamografias, 176 mil exames para rastreamento de câncer de colo de útero e 275 mil atendimentos com orientações. “O projeto desenvolve ações educativas com foco em promoção da saúde sexual e reprodutiva também”, ressalta Roberta Vilhena.

Todos os exames são enviados para o Hospital do Câncer de Barretos, no interior de São Paulo, que é considerado referência nacional em pesquisa, diagnóstico e tratamento da doença. O trabalho é feito em parceria com o município, através do Sistema Único de Saúde (SUS).

Se você quiser saber mais sobre os locais de atendimento das unidades móveis do Sesc, confira no site.

+ sobre o tema

Idas e vindas da lista suja do trabalho escravo no Brasil

Entenda as alterações na regulamentação da lista suja nos...

Sete em 10 mulheres descobrem câncer de ovário ‘tarde demais’

Histórico familiar e obesidade estão entre os fatores de...

“Como foi descobrir o câncer de mama enquanto amamentava”

Conheça a história de uma mãe que foi diagnosticada...

Edital seleciona projetos de promoção de direitos de adolescentes negros

Fonte: Blog do Andrey Sgorla Propostas de projetos...

para lembrar

Na contramão da sociedade civil, oposição derruba Política de Participação Social

Derrubada do decreto de Dilma que fortalecia atuação dos...

A mídia ganhou e perdeu em 2011. Agenda de 2012 depende da privataria

Meios de comunicação buscaram impor orientação conservadora ao país....

Crônica de um jornalismo que regrediu ao Facebook

Incapaz de examinar e debater grandes temas nacionais, velha...

Relatoria Nacional para o Direito Humano à Educação

A Relatoria Nacional do Direito Humano à Educação é...
spot_imgspot_img

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...

Marcelo Paixão, economista e painelista de Geledés, é entrevistado pelo Valor

Nesta segunda-feira, 10, o jornal Valor Econômico, em seu caderno especial G-20, publicou entrevista com Marcelo Paixão, economista e professor doutor da Universidade do...
-+=