sábado, janeiro 28, 2023
InícioQuestões de GêneroLGBTQIA+Pastor homofóbico renuncia após ser pego conversando em app de paquera gay

Pastor homofóbico renuncia após ser pego conversando em app de paquera gay

Um pastor de Michigan (EUA) que já se pronunciou contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi pego pedindo por sexo em um aplicativo de paquera gay.

Do UOL

O site de notícias gays Queerty conseguiu capturas de tela da conversa em que Matthew Makela envia fotos suas para outros homens. O pastor, que é pai de dois filhos, confirmou a autenticidade da conversa, mas não quis fazer mais comentários.

Makela deixou o cargo depois que o artigo veio a público. O pastor repetidamente condenou a homossexualidade, de acordo com o Queerty.

Em um agora deletado comentário para um jornal anticasamento gay, editado por um colega pastor, Makela comparou a homossexualidade ao alcoolismo e sugeriu que os gays poderiam superar a atração pelo mesmo sexo com apoio suficiente.

“Eu amo as pessoas que têm atração sexual pelo mesmo sexo, assim como Deus”, escreveu ele. “Nós não dizemos a uma pessoa que nasce com tendências para o abuso de álcool para continuar a satisfazer seus desejos inatos. Tentamos ajudá-la em sua luta.”

Em um post no Facebook de setembro de 2014 ele novamente repetiu suas visões antigays. “Mudar a cultura começa com a mudança de nossa própria cultura de casamento e família, tomando a união matrimonial com a maior seriedade e acolhendo as crianças em nossa igreja”, escreveu, explicando que o casamento gay e o divórcio não “refletem os desejos de Deus de amor e submissão”.

Mas, no Grindr –o aplicativo de paquera para o público homossexual–, o pastor pediu para se encontrar com outros homens, explicando que tinha uma namorada e que não podia sair à noite.

“Adoro ficar pelado”, ele escreveu. “Oral e massagem. Também gosto de abraçar”, continuou ele antes de enviar mais fotos de si mesmo pelo app. (Com “NY Daily News“)

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench